A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
RESUMÃO AV1   UTI[1]

Pré-visualização | Página 1 de 1

A
C
ER
V
O
 D
E 
ED
W
A
LL
A
C
E 
A
M
O
R
IM
 
 
A
C
ER
V
O
 D
E 
ED
W
A
LL
A
C
E 
A
M
O
R
IM
 
 
RESUMÃO AV1 – CLÍNICO 7 UTI 
Resumão elaborado por: Edwallace Amorim 
 
1. Qual o dimensionamento preconizado pela RDC nº 07 para Equipe de Enfermagem e Enfermeiro na Unidade de 
Terapia Intensiva? R: Pela RDC 07/2013: 
 Enfermeiro: 1:10 leitos ou fração. 
 Técnico de enfermagem: 1:2 leitos; 1 técnico p/ o isolamento; e sugere-se deixar 01 técnico de apoio. 
Pela AMIB: Enfermeiro: 1:8 leitos ou fração. 
 
2. O que o Enfermeiro deve fazer para garantir o leito de UTI pronto? Cite materiais e equipamentos que deve conter 
neste leito? 
R: Leito vago, limpo, arrumado, ou seja: 
1) Vago: O leite deve está disponível; 
2) Limpo: a enfermagem faz a retira dos materiais contaminados, e o pessoal da higienização faz a 
lavagem e limpeza terminal. 
3) Arrumar Materiais e equipamentos: a enfermagem realiza a desinfecção de bancadas e 
equipamentos; checa cama forrada, testar os equipamentos (monitor multiparâmetros, 
respirador mecânico); montar e testar régua e painel de gazes; verificar se o leito contem 
materiais de emergência (sonda, luvas, kit de aspiração, equipo, gaze) e EPIs; caixa de perfuro 
cortante; Ressuscitador Pulmonar Manual (ambú); bombas de infusão; suporte de soro; lixeira 
comum e infectante. 
 
3. Como deve ser o leito de isolamento da UTI conforme a RDC nº 07: 
R: 01 antessala, com 01 pia (sabonete e papel toalha); 01 suporte para EPI´s; leito deve ter janelas de vidro, 01 
banheiro privativo, e todos os itens de um leito comum de UTI. 
 
4. Se houver apenas 01 leito de isolamento na UTI e houver 04 pacientes em isolamento de contato, como o Enfermeiro 
pode proceder e orientar a equipe quanto as precauções? 
R: O enfermeiro da unidade deve alinhar estes 04 leitos de isolamento lado a lado no mesmo sentido da UTI, de 
forma adequada para facilitar o comando e o deslocamento intenso dos profissionais destas escalas. 
Redimensionar a equipe p/ estes paciente. 
Manter as precauções de contato em cada leito, orientado a equipe sobre a importância do cuidado. 
 
5. Quais os cuidados de Enfermagem com pacientes em uso de drogas vasoativas? 
R: Monitorar SSVV; Administração através de bomba de infusão; Administrar em AVC; Conhecer as Drogas 
(finalidade e ação, se é fotossensível, estabilidade, tempo de troca); Medir débito urinário; Avaliar sinais de 
desidratação; Seguir prescrição medica; observar sinais de flebite se a droga estiver correndo em acesso periférico. 
 
6. Quais materiais o Enfermeiros ou equipe de Enfermagem devem preparar para passagem de Cateter venoso central? 
R: Kit p/ subclávia; cateter escolhido pelo médico; clorexidina ou povidini; gaze estéril; luva estéril; SF 0,9% + 
equipo; xilocaína líquida; seringas; fios para sutura; esparadrapo; bisturi. 
 
7. Em quais situações se devem passar um cateter central? 
R: Uso de drogas vasoativas; Monitorar a pressão invasiva; Verificação de PVC; Nutrição Parenteral; Hemodiálise; 
Administração de drogas específicas; Impossibilidade de acesso do AVP; Antes de cirurgias de médio ou grande 
porte. 
 
8. Quais os tipos de cateter central quanto a sua finalidade: 
 Tipos: Mono Lúmen (01 via); Duplo Lúmen (02 vias); Triplo Lúmen (03 vias); Quadri Lúmen (04 vias); 
Penta Lúmen (05 vias). 
 Finalidade: infusão de dietas parenterais – NPT, longa permanência para infusão de quimioterapias ou 
tratamentos de longo prazo e cateter de curta ou média permanência para hemodiálise. 
 
9. Quais os cuidados de Enfermagem em pacientes em uso de cateter venoso central? 
R: Realizar curativos a cada 48h ou SOS; Observar sinais flogísticos, Orientar para desinfecção de extensão e 
torneirinhas com álcool 70%; Trocar equipos conforme CCIH; Cuidados para não tracionar ou exteriorizar o cateter; 
Lavar o acesso com água destilada ou SF antes e após administrar medicamentos. 
 
10. Qual a finalidade da técnica da PVC (Pressão Venosa Central)? 
R: Verificar a pressão de enchimento do ventrículo direito, avaliar condições circulatórias do paciente, monitorar 
balanço hídrico, avaliar hidratação ou desidratação do paciente. 
 
 
A
C
ER
V
O
 D
E 
ED
W
A
LL
A
C
E 
A
M
O
R
IM
 
 
A
C
ER
V
O
 D
E 
ED
W
A
LL
A
C
E 
A
M
O
R
IM
 
 
11. Em que tipo de acesso se deve medir a PVC. 
R: Acesso Venoso Central - AVC. 
 
12. Quais os materiais utilizados para verificação da PVC manual e eletrônica? 
R: Manual (CmH2O – 6-10): 01 equipo para monitorização de PVC, 01 frasco de SF de 100 ou 250ml, fita 
adesiva e a régua de nível. 
Eletrônico (mmHg – 3-6): 01 transdutor eletrônico, SF e a bolsa presurizada 
Obs.: Ambos o paciente precisa está de AVC; 
 
13. Quais os valores de normalidade para PVC manual e eletrônica e suas unidades? 
R: Manual (CmH2O – 6-10) e Eletrônico (mmHg – 3-6) 
 Entre 6-10 = normal 
 <6 = hipovolemia (desidratado) 
 >10 = hipervolemia (hiperhidratado muito líquido circulante) 
 
14. Quais os tipos de dispositivos podem ser utilizados para oferecer oxigênio ao paciente? 
R: Painel de gases ou cilindro; Ambú; Cateter nasal ou tipo óculos; máscaras (venturi, hudson); SEPAP ou 
ventilação não invasiva - VNI; Ventilação Invasiva através da tubo (cânula endotraqueal) ou traqueostomo (cânula 
traqueal) 
 
15. Quais os valores em litros e em porcentagem para as cores de filtros da máscara de Venturi: Verde, Amarela, Laranja 
e azul? 
R: Laranja 50% = 15 litros; Rosa 40% = 15 litros; Verde 35% = 12 litros; Branca 31% = 8 litros; Amarela 28% = 6 litros; 
Azul 24% = 3 litros 
 
16. Quais os tipos de módulos do Ventilador Mecânico? 
R: 1.Ventilação Controlada; 2.Ventilação Assistida; 3.Ventilação Assistida Controlada; 4.Ventilação Mandatória 
Intermitente (SIMV); 5. Ventilação de Pressão Suporte (PSV); 6.Ventilação por Pressão Controlada (PCV). 
 
17. Quando dizemos que o paciente está sem drive ou está sedado qual o módulo ventilatório é o mais indicado? 
R: Ventilação Controlada. 
 
18. Quais os principais cuidados de Enfermagem com pacientes em uso de Dreno de tórax? 
R: Trocar selo d'água a cada 24 horas; anotação do debito do dreno; trocar curativo da inserção conforme 
prescrição médica, manter o frasco abaixo da linha do tórax, na movimentação do paciente trazer frasco para linha 
do tórax e pinçar e despinçar depois do procedimento e monitorar SSVV. 
 
19. Quais os cuidados de Enfermagem para pacientes com DPOC e SDRA? 
R: Elevação da cabeceira da cama; aspirar vias áreas se necessário ou SOS; prevenir broncoaspiração; monitorar 
SSVV e padrão respiratório e promover assistência ventilatória. 
 
20. Sinais e sintomas em pacientes com AVC ou AVE: 
R: Cefaleia, vômitos, rebaixamento do nível de consciência, perda da visão, plegia ou paresia, alteração da fala e da 
marcha, desvio de comissura labial, queda da própria altura e crises convulsivas. 
 
21. FATORES DE RISCO EM PACIENTES COM AVC OU AVE: 
R: HIPERTENSÃO, DIABETES, TABAGISMO, OBESIDADE, COLESTEROL ELEVADO, POLICITEMIA. 
 
22. Qual instrumento de Avaliação em pacientes com AVC ou AVE: 
R: É a Escala de Cincinnati que vai avaliar 03 tópicos: A. Face, Sorriso / B. Fraqueza nos MMSS / C. Fala 
 
23. Para que serve o Monitor de PIC: 
R: Para medir a pressão intracraniana através do cateter introduzido entre os ventrículos na região subaracnóide. 
 
24. Quais os riscos para pacientes em uso de PIC: 
R: Infecção local, hemorragia e meningite e risco de perder ou exteriorizar o cateter. 
Valores da PIC: 
 Menor ou igual a 10 = normalidade 
 Entre 11-20 = anormalidade é leve 
 Entre 21-40 = anormalidade moderada 
 Acima de 41 = anormalidade grave

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.