Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
caso2

Pré-visualização|Página 1 de 4

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ
FRANCISCO DAS CHAGAS GOMES Matrícula nº 201202199216
PRÁTICA SIMULADA II ( TRABALHO)
Tema: Articulação Teoria e Prática. Os elementos da Petição Inicial de Trabalho; Estrutura de
Petição Inicial.
CASO 02
TÍCIO, auxiliar administrativo, residente no município de São Gonçalo -RJ , foi contratado pela
empresa ALFA LTDA, para trabalhar n a filial localiz ada no Município do Rio de Jane iro-RJ, em 4
de janeiro de 2016. A contratação ocorreu no município de Niterói, local onde está situada a matriz
da empresa. Cumpria jornada de trab alho das 8 às 17h, com 1 hora de intervalo para repouso e
alimentação. Recebia o salário mensal de R$ 2.000,00 (dois mil reais). Foi im otivadam ente
dispensado, sem prévio aviso, no dia 26 de jane iro de 2017, ocasião em que nada lhe foi pago a
título de verbas resilitórias. Informa que, encontra-se desempregado at é o presente momento e qu e
nunca usufruiu férias. Você, na qualidade de advogado(a) do sindicato da categoria de T ÍCIO ,
promova a medida processual cabível, observando o procedimento devido e o Juízo competente.
Petição Inicial
AO EXCELENTÍSSIMO JU ÍZO DE DIREITO PERTENCENTE À VARA D O TRABALHO Nº__
DA CIDADE DO RIO DE J ANEIRO/RJ
TÍCIO, brasileiro, auxiliar administrativo, residente e domi ciliado na Rua Bauru, 371, da
cidade de São Gonçalo-RJ , CEP: 00.000-000, inscrito no registro geral sob o correspondente
número:______ e no cadastro nacional de pessoas físicas no Nº_________ __, vem, mui
respeitosamente, através de seu advo gado devidamente qualificado em procuração acostada,
registrado na o rdem dos advogados do Brasil sob o xxx -xx-ce, com escritório situado na rua
major Wayne, nº 540, montese, CEP: 00.000-000, São Gonçalo-RJ, PROPOR:
RECLAMAÇÃO TRA BALHISTA, PELO RITO SUMARÍSSIMO
EM FACE DA SOC IEDADE LIMITADA ALFA, inscrita no cadastro nacional de pessoas jurídicas
sob o nº: 00.000.000/0000 -00, com endereço na Av. Borges de Melo, 0.000, Bairro de Fátima,
telefone:(85)99192-7765, e-mail: xxxx@xxxx.com.br, na cidade do Rio de Janeiro/RJ, CEP:
00.000-000, PE LOS SEGU INTES FATOS E FUNDAMENTOS J URÍDICOS QUE S E PASSA A
EXPOR:
I. DAS PRELIMINARES
I.II. DA GRATU IDADE JUDICIÁRIA

Requer o Auto r, n os termos da lei 1.060 de 1 950 e do s artigos 98 e seguintes do CPC e 5º,
LXXIV da CF/88, que lhe seja deferido os bene fícios da justiça G ratuita, tendo em vista de que o
mesmo não pode arcar com as custas processuais e com os honorários advocatícios sem o prejuízo
do sustento próprio.
I.III. DA C OMPETÊNCIA DO JUÍZO
É competente este foro p ara a propositura da presente ação, tendo em vista que, embora a
contratação tenha sido feita na cidade de Niteroí-RJ, a prestação do serviço se d eu n a cidade do
Rio de Janeiro/RJ, conforme é exposto nos autos e assim preleciona o artigo 651 da CLT. Vejamos-
lo: Art. 651 - A competência das Juntas de Conciliação e J ulgamento é determinada pela localidade
onde o empregado, reclamante ou reclamado, prestar serviços ao empregador, ainda que tenha sido
contratado noutro local ou no estrangeiro. (Vide Constituição Federal de 1988) (CLT) Portanto,
resta-se nítido a competência deste juízo para apreciação do caso em tela.
II. DOS FATOS
Ocorre que Tício, o ra reclamante, fora admitido como auxiliar admin istrativo, em contr ato firmado
com a empresa ALFA LTDA , or a r eclamada, p ar a trab alhar na filial desta localizada no Município
do Rio de Janeiro-RJ, em 4 de janeiro de 2016. Tício cumpria jornada de tr abalho das 8 às 17h, com
1 hora de intervalo para repouso e alimentação. Percebia o salário mensal de R$ 2.000,00 (dois
mil reais). Acontece que em 26 d e janeiro d e 2017, com mais de um ano de prestação de serviços, o
autor fora imotivadamente dispensado, sem pr évio aviso, e pe rcebimento algum das verbas
resilitórias, tampouco pode -se dizer das férias, jamais usufruídas. Tício hoje encontra-s e
desempregado, vivendo as amarguras de uma vida com direitos violentamente extirpados.
III. DO MÉRITO
III. I. DA D IREITO A PE RCEPÇÃO DAS VERBAS RESCISÓRIAS
Excelência, desde logo, convém registrar que o Autor possui o di gno direito de re ceber as suas
verbas resilitórias, não por tão somente terem sido todas elas olvidadas e injustificadamente não
pagas, mas, a bem verd ade, por serem o primeiro socorro alimentício de um t rabalhador quando se
encontra repentinamente sem os provimentos as suas mínimas condições de existência.
Percebe-se, no c aso em tela, que o Sr. Tício f oi obstado de receber os valores do aviso prévio (no
caso, indeniz ado), saldo de salário, férias vencidas integrais acrescidas do terço constitucional, o
décimo terceiro salário, os depósitos referentes ao fundo de garantia por tempo de serviço (FGTS)
com a respectiva multa dos 40% do saldo do aludido fundo.
Como se vê, nobre magistrado, resta -se claro a p roporção da s everidade na vida do trabalhador e
nos mandamentos d a lei, que f oram sumariamente feridos por um empregador sem escrúpulos.
III. II. DA DESCRIÇÃO DAS VERBAS RESILITÓRIAS DEVIDAS
Nobre julgador, por motivos aclaratórios, faz-se necessário discriminar de modo específico os
valores e os fundamentos legais de todas as verbas devidas.
Como já explanado em alhures, são os valores referentes:
da CF/88 e o artigo 1º da Lei
12.506/2011);
constitucional (Art. 7º/CF88, XVII. CLT - Art. 129,
CLT -Art. 146, súmul a 328 do TST);
Art. 7º VIII, Lei 4090/62 Art. 1º e Art. 3º);
serviço (Lei 8036/90 Art. 20. ) Com a
respectiva multa dos 40% do saldo do aludido fundo (Lei 8036/9 - Art.18.)
III. III. D A APLICAÇÃO DA MULTA DISPOSTA NO ART IGO 477, § 8º, DA C LT

Excelência, com o devido respeito, mostra -se claramente necessário no c aso em tela a aplicação da
multa que é exposta no artigo 477 , parágrafo 8º da CLT, levando em consideração que o prazo para
o pagamento das verbas rescisórias em muito for a desrespeitado pelo empre gador, tornando, assim,
a premente necessidade d e se estabelecer uma p unição a contento para aquele que desrespeita a lei.
E quando, então, tal desrespeito fere grav emente verbas de natureza alimentícia, most ra-se ainda
mais justa a penalidade.
Nesse sentido:
RECURSO DE REVISTA. MULTA DO ARTIGO 477 D A CLT.
A multa do artigo 477, § 8º, da CLT tem como escopo
compensar o prejuízo oriundo, unicamente, do não pagamento das verbas rescisórias no prazo legal
estabelecido por seu § 6º, não aquele porventura decorrente de atraso na homologação da rescisão
contratual. Recurso de revista não conhecido.
(TST - RR: 404020145120031, Relator: Renato de Lacerda Paiva, Data de Julgamento: 20/05/2015,
2ª Turma, Data de Publicação: DEJT 29/05/2015) Destaquei.
III. IV. DO VALOR DA CAUSA
Para que se estipule o valor ex ato d esta reclamação, faz -se necessário demonstrar, de forma
específica, o montante qu e deveria te r sido pago à época da dispens a, sendo assim a crescentado
com os valores referentes aos depósitos de toda s as contas do FGTS e a multa d e 40 %; multa
disposta no artigo 477 da CLT; aviso prévio indeniz ado; férias vencidas. Veja -se:
1. DA RESC IS ÃO DO CONTRATO DE TRABALHO
ADMISSÃO: 04-JANEIRO-2016 - AFASTAMENTO: 26-JANEIRO-2017
MOTIVO DO AFASTAMENTO: Dispensa sem justa causa
SALÁRIO BASE: R$.2.000,00 - AV ISO PRÉVIO: indenizado
FÉRIAS VENC IDAS: Sim
MULTA DO ART. 477 D A CLT R$. 2,000,00
VALOR LÍQUIDO A SER PAGO: R$11.010,44
1.1. Memória de Cálculo
Saldo de salário (26/30): R$1.733,33 [INSS: R$156,00]
[INSS: R$198,00]. Data do término d o aviso prévio (para efeito de cálculo): 28-Fevereiro-2017.
Total d e salários: R$3.933,33.
Parcela do INSS do empregado sobre salários: R$354,00.
IRPF sobre salários (base = R$1.733,33 - R$156,00 = R$1.577,33): R$0,00
Décimo terceiro proporcional (1/12): R$166,67 [INSS: R$13,33]
Décimo terceiro indenizado (12/12): R$2000,00
Total de décimo terceiro: R$2166,67
- R$13,33 = R$153,33): R$0,00
/3 sobre férias vencidas: R$666,67

Quer ver o material completo? Crie agora seu perfil grátis e acesse sem restrições!