A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Trabalho resumo bras cubas

Pré-visualização | Página 1 de 2

UNIESP/IESB
TEORIA LITERÁRIA – Profª. Me. Jussemy Aguiar Monteiro
ROTEIRO PARA ANÁLISE DE LIVROS.
Nome: Andre Luiz Pereira Bastos nº.4 RA:2014004072
I – FICHA TÈCNICA
Nome do livro: Memórias Póstumas de Brás Cubas.
Data da primeira publicação: 1881
 Nome do autor: Machado de Assis
Personagens principais: Virgílio Brás Cubas, Virgília Lobo Neves, Lobo Neves, Quincas Borba.
II – TEMA BASICO DO LIVRO: Hipocrisia da Sociedade.
III – GÊNERO DO LIVRO: Romance, porém podemos classifica-lo também por Romance Realista dado o enredo e a construção da obra.
IV – LUGAR ( ou ESPAÇO) (onde ocorrem os fatos?)
Físico: Rio de Janeiro, na Corte.
Social: Burguesia carioca.
V – TEMPO: (Quando ocorre a história) 1869
 (Quanto tempo leva?) A biografia Post Mortem do Defunto Autor leva um período de 63 anos e 10 meses, sendo que o mesmo nascera no dia 20 de outubro de 1805, deixando o mundo dos vivos em uma tarde de sexta-feira do mês de Agosto de 1869.
O tempo é Cronológico, Psicológico e possui flash-backs
VI – ENREDO:
Se tratando de uma história pós morte, o romance realista Memórias Póstumas de Brás Cubas, começa e termina com a morte de Brás Cubas, narrada por ele mesmo. Culpando uma “Ideia fixa” por sua morte e não a pneumonia que realmente lhe tirara a vida, devido a um vento encanado que tomou abrindo as janelas, para tentar ventilar os pensamentos e concluir o Emplasto Brás Cubas, que seria a cura para todas as moléstias da humanidade. livro segue com o seguinte enredo:
Após a morte, Brás Cubas retorna para nos contar suas venturas e
desventuras, tendo dado seu ultimo suspiro em uma sexta-feira do mês de agosto de 1869, o Defunto Autor nos narra sua experiências, o seu delírio de morte,e motivo que lhe trouxera ao final da vida, porém, o mesmo vê a necessidade de trazer nos sua biografia post mortem, a partir de seu nascimento, nascera no dia 20 de outubro de 1805, oriundo de uma família bem abastada de recursos financeiros, a “O Menino Diabo” alcunha que lhe fora colocada devido a suas peripécias e travessuras de infância, porem sempre adulado por seu pai Bento Cubas, e amado por sua Mãe que por medo de que o mesmo se desvirtuasse o fazia rezar e ter temos pelo santos. Pulando os tempos de escola teve inicio a sua amizade com Quincas Borba, saltado direto para a independência em 1988, ano onde começa o primeiro cativeiro pessoal, seu amor pela “linda Marcela” que durou 15 meses e onze conto de réis, os gastos e loucuras com esse amor, fizeram com que seu pai o enviasse para a Europa onde fez-se Bacharel em Coimbra Portugal. O mesmo se encontrava em Veneza na Itália, quando é convencido por seu pai a retornar ao Brasil, devido a enfermidade que acometera sua mãe deixando-a de cama, com o medo de que ela não vislumbrasse o rosto do filho antes de seu ultimo suspiro, Brás volta ao Brasil realisando a vontade de sua moribunda mãe, após a morte da mesma, ele permanece nas terras família na Tijúca, onde reencontra Dona Euzébia,( uma das vitimas de suas traquinagens dos tempos de menino), tendo ela se mudado para propriedade ao lado das der sua família, ele conhece então a “Flor da Moita”, porque coxa se bonita, porque bonita se coxa, essa duvida fez com que o amor de Brás não florescesse por Eugênia a Vênus Manca que recebeu dele o primeiro beijo da vida da mesma, mas, somente esse beijo. Devido as ambições políticas , e os sonhos que o senhor Bento Cubas havia traçado para vida de Brás, tem inicio a maior das complicações de sua existência, chegando a Corte , ele conhece sua pretendente a esposa, filha do Conselheiro Dutra, seu grande Amor Virgília, que seria seu passaporte para a realização dos sonhos e desejos de seu pai.
Sem duvidas, Virgília foi o grande amor e a maior complicação de
sua vida, sendo trocado sem explicações por Lobo Neves, vitimado por um conchavo político do velho Dutra, Brás tem seu amor furtado, com a promessa de se tornar Marquesa, Virgilia das as costas para cubas e casa-se com Lobo Neves, após o casamento ela segue o marido rumo a concretização de seu sonho, tornar-se Marquesa. O desgosto por ver seus sonhos arrebatados, leva o senhor Bento Cubas a ficar enfermo e posteriormente a morte. A questões de partilha de bens entre Brás, Sabina (sua irmã) e Cotrin (esposo da mesma) leva-os a um desentendimento, que por anos afasta os irmãos. Certa vez Brás reencontra Marcela, agora velha, e sem a mesma beleza de outrora devido a alguns impropérios da vida, perdera a beleza e o encanto dos dias de sua juventude.
O retorno de Lobo Neves e Virgilia à Corte desencadeia o Clímax do Romance, em um baile Brás os dois acabam por dançar algumas valsas juntos, das valsa veio um beijo escondido, do beijo coma chama de um “amor proibido” acessa, eles acabam por alugar uma casinha, colocando Dona Placida a quem Brás deixa como recompensa Cinco contos de réis, (fruto de um achado do mesmo em uma ocasião), fazendo daquela casinha o recanto de amor dos amantes, mas devido uma certa indiscrição do casal, a sociedade começa a tecer insinuações e conversas as escondidas sobre o possível adultério dos dois, mas, eles tentavam ser discretos em publico, tamanha era a discrição que Brás simulou tão perfeita a encenação de ser amigo de Lobo Neves, que sendo ele indicado a presidência da província no Nordeste, indicando Cubas por seu secretário, o que não acaba por acontecer devido a o Decreto ser de numero 13, sendo este numero um algarismo agourento ao supersticioso Lobo Neves. Com resultado de tantos encontros de amor entre Virgilia e Brás uma gravidez acontece, o que desperta e Brás a euforia da paternidade, mas, o fruto do pecado dos dois não vinga, e ela acaba perdendo o embrião, tamanha foi a tristeza e frustração, que tentando confortar Lobo Neves, ele acaba deixando algo escapar, depois da convalescência de Virgilia, os encontros continuam, porém Neves começa a vigiar a esposa, certa vez acaba por quase pegar os dois na casa de dona Plácida.
Com o decreto 31 Lobo Neves é nomeado Presidente de uma das Províncias, não levando desta vez Cubas por secretário, acabando por distanciar o casal de amantes, em uma das caminhadas pelas ruas da corte o encontro curioso com Quincas Borba, agora um mendigo que pedindo-lhe esmolas e recebendo alguns réis de nosso abandonado herói, agradecendo a ventura do encontro em um abraço de despedida furta lhe um relógio de bolso. Após alguns meses recebe em sua casa uma carta do larapio, pedindo-lhe desculpas e desejando um reencontro para restituição do bem e também uma conversa para coloca-lo a par de seus novos rumos, acontecendo a encontro Quincas Borba que recebera de um tio uma herança no decorrer da conversa lhe apresenta a sua nova filosofia ao Humanitismo, a verdadeira religião, que mudaria toda a humanidade, e isso acaba por preencher a mente de Brás por muito tempo. Nesse período Sabina e Cotrin se reaproximam de Brás e eles se reconciliam, fruto dessa reconciliação é a amizade com Damaceno, meio parente de seu cunhado. Damaceno era pai de nhaLoló com quem finalmente Brás cubas se casaria se não fosse uma epidemia de Febre Amarela ceifa a vida de Eulália Damacena de Brito de seus braços, sendo este o derradeiro caso de “amor” do romance, por, outro período de tempo tem no humanitismo de Borba como um escape, é realmente como diria Quincas, “Ao Vencedor As Batatas”, de tanto filosofar e buscar rumos cada vez mais profundos para sua filosofia, a loucura acaba por dominar Borba de uma tal maneira que ele rasga todos os manuscritos sobre o Humanitismo dizendo que os recomessaria escrever, com maior ênfase em sua parte dogmática, pouco tempo depois de nosso encontro ele veio a falecer.
Após a morte de Quincas Borba, o fato de maior relevância, foi a “Ideia Fixa”, a invenção do emplastro que levaria a moléstia da humanidade, e acabou o levando para o seu derradeiro final, viveu bem, sem preocupações, pode não ter conseguido tudo o que quis na vida, mas, segundo o mesmo, saiu com um saldo positivo não tendo filhos,