A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
34 pág.
REAÇÕES DE HIPERSENSIBILIDADE - Imunologia Veterinária

Pré-visualização | Página 1 de 2

27/10/2017
1
REAÇÕES DE 
HIPERSENSIBILIDADE
Prof. Douglas Alonso
Definição de Alergia
(Hipersensibilidade)
- Resposta imunológica excessiva e
inapropriada do organismo a uma
substância inócua (alérgeno).
O termo hipersensibilidade é usado para designar 
uma resposta imune adaptativa que ocorre de 
forma exagerada ou inapropriada. Essas reações 
nada mais são do que expressões inadequadas de 
respostas imunes protetoras que algumas vezes 
resultam em reações inflamatórias e dano tecidual.
27/10/2017
2
Reações de hipersensibilidade
- Requer um contato prévio do indivíduo com o alérgeno 
(sensibilização)
- Resposta imunológica EXAGERADA: 
humoral ou celular
- Causam inflamação sistêmica ou local
Classificação
• Tipo I – mediada pelas IgE, ativando mastócitos, 2 a 30 min (H.S. 
imediata; anafilática)
• Tipo II – mediada pela IgG e IgM, fagócitos e complemento- 5 a 8 
horas (citotóxica)
• Tipo III – mediada por IgG e IgM, imuno-complexos e fagócitos (Ags
solúveis) - 2 a 8 horas (mediada por complexos imunes) 
• Tipo IV – mediada por linfócitos T (Th1, Th17 ou TCD8+)- 24 a 72 
horas (celular ou tardia)
27/10/2017
3
Classificação
Tipo I - causada por ac IgE específicos para Ag ambientais, 
é o tipo mais prevalente de H.S.
A H.S. imediata, comumente chamada de alergia ou atopia, 
é o exemplo de doença resultante da ativação de células T 
auxiliares produtoras de IL-4, IL-5 e IL-13, classicamente 
denominadas células TH2, onde as células T estimulam a 
produção de anticorpos IgE e a inflamação.
ABBAS Imunologia Celular e Molecular, 8 ed, 2015
27/10/2017
4
Hipersensibilidade 
tipo I
Classificação
• Tipo I - causada por ac IgE específicos para Ag ambientais, 
é o tipo mais prevalente de H.S.
• A H.S. imediata, comumente chamada de alergia ou atopia, 
é o exemplo de doença resultante da ativação de células T 
auxiliares produtoras de IL-4, IL-5 e IL-13, classicamente 
denominadas células TH2, onde as células T estimulam a 
produção de anticorpos IgE e a inflamação.
27/10/2017
5
• Nesse tipo de H.S., a primeira exposição gera a 
formação de anticorpos específicos para estas 
partículas, a reexposição leva à reação alérgica e 
as exposições repetitivas tornam o quadro cada 
vez mais grave
• São as reações intermediadas pelas IgE
• Conhecidas como REAÇÕES ALÉRGICAS
• Podem ocorrer as REAÇÕES ANAFILÁTICAS
• Linf Th2 vão transformar linf B em céls de 
memória em plasmócitos produtores de IgE que 
irão interagir com mastócitos e eosinófilos
27/10/2017
6
Hipersensibilidade Tipo I
Imediata
Quando sistêmica e grave é a anafilaxia
 IgE – leva a atopia
ANAFILAXIA
A reação pode ocorrer segundos ou minutos 
depois da exposição a um alérgeno.
Caracterizada por sensação de sufocamento, 
broncoespasmo, edema laríngeo, angioedema, 
respiração ruidosa, transudação pulmonar e 
alterações cutâneas agudas urticariformes. Se 
não houver um tratamento imediato, geralmente 
com epinefrina, pode causar inconsciência e 
morte
ATOPIA
Tendência hereditária a desenvolver 
manifestações alérgicas (p.ex., asma, 
certas rinites, urticária, dermatite etc.)
27/10/2017
7
IgE
No plasma sanguíneo é encontrada em 
quantidades muito pequenas
Maior parte conjuga-se com mastócitos e 
basófilos e essa conjugação prolonga sua 
meia-vida que passa de 2 dias, qdo livre no 
plasma, para 11 a 12 dias
HIPERSENSIBILIDADE DO TIPO I
Fase de sensibilização: produção de IgE que se liga a 
receptores de alta afinidade presentes em mastócitos 
e basófilos
Fase de ativação: degranulação de mastócitos e 
basófilos após a reexposição ao alérgeno
Fase efetora: ação de substâncias 
farmacologicamente ativa sobre os tecidos
27/10/2017
8
FASE DE SENSIBILIZAÇÃO
SENSIBILIZAÇÃO E MEMÓRIA
1 - Primeiro contato com o alérgeno
2 - Apresentação do alérgeno aos linfócitos T, via APCs
3 - Ativação de linfócitos B, que passam a produzir IgE
27/10/2017
9
FASE DE ATIVAÇÃO
Mastócitos
27/10/2017
10
Interação IgE e Receptor
Resposta dos mastócitos aos Ags
FASE DE EFETORA
27/10/2017
11
Fonte de citocinas: IL-4, IL-5, IL-6, IL-13 e FNT-a
27/10/2017
12
Sequência típica de eventos no processo 
de hipersensibilidade imediata
1) Exposição a antígenos (alérgenos), que são ptnas
ambientais comuns e substâncias químicas diversas (às quais 
a maioria dos indivíduos não responde produzindo IgE e não 
desenvolve reações potencialmente perigosas)
2) Ativação de células Th2 (linfócitos T helper auxiliares 2) 
específicas para esse antígeno, cujas citocinas produzidas 
são responsáveis por muitas das características da 
hipersensibilidade imediata
Sequência típica de eventos no processo 
de hipersensibilidade imediata
3) Produção de anticorpos do tipo IgE
• Responsável pela sensibilização dos mastócitos e permite o 
reconhecimento do antígeno
4) Ligação desses IgE aos receptores Fc dos mastócitos e 
estimulação destes mediante reexposição ao antígeno
• Liberação de mediadores pelos mastócitos e reação 
patológica subsequente. 
• Dá-se o nome de sensibilização à ligação de IgE aos 
mastócitos, pois mastócitos revestidos de IgE ficam prontos 
para serem ativados ao encontrarem o antígeno
27/10/2017
13
GOLDSY, R.A. et al. Immunology, 5th ed, 2003, p. 363
Hipersensibilidade tipo I
27/10/2017
14
1- Redução de exposição ao alérgeno
2- Inibição da resposta ao alérgeno (terapia de 
hiposensibilização)
3- Bloquear produção e função de mediadores (corticóides e 
anti-histamínicos)
4- Tratamento sistêmico da anafilaxia (adrenalina)
Controle das Reações de Anafilaxia
27/10/2017
15
Picada de abelha
Resposta antiparasitária
• Liberação de enzimas que matam os 
parasitas
• Provocam dano tecidual e inflamação 
aguda
• A mobilização eosinofílica é característica 
das reações de hipersensibilidade tipo I
27/10/2017
16
Alergia ao leite
Bovinos (Jersei) alégicos a caseína do “seu próprio 
leite”
Problema qdo não se faz a ordenha 
rotineiramente
Desconforto com lesões cutâneas urticariais e 
anafilaxia sistêmica aguda e morte
Alergia alimentar
Os sinais clínicos são observáveis tanto no trato 
digestório (vômito, fezes amolecidas, diarreia violenta e 
raras vezes sanguinolenta) qto na pele (pruriginosa)
 Lesões de pele papulares e eritematosas: envolvendo 
pés, olhos, orelhas, axilas ou área perianal
Infecção secundária por bactérias e leveduras.
27/10/2017
17
Hipersensibilidade 
tipo II
• Os anticorpos IgG e IgM podem causar lesão tecidual 
por meio da ativação do SC (sist. compl.), recrutando 
céls inflamatórias e interferindo nas fçs celulares 
normais. 
• Alguns desses Ac são específicos para Ag de 
determinadas células ou da matriz extracelular e são 
encontrados ligados a essas células ou tecidos ou como 
Ac livres na circulação
• As doenças induzidas por esses Ac são chamadas de 
hipersensibilidade do tipo II.
27/10/2017
18
Hipersensibilidade Tipo II
• Os melhores exemplos deste tipo de reações ocorrem 
em respostas a eritrócitos 
- Transfusões de sangue 
- Isoeritrólise neonatal
• Mediadas por anticorpos:
- IgG ou IgM se ligam em antígenos localizados na superfície 
das células
Hipersensibilidade Tipo II
ISOERITRÓLISE NEONATAL EQUINA
Ocorre sensibilização da égua quando entra em contato com 
hemácias do potro (devido a lesões placentárias ou durante o parto 
anterior) ou por transfusão de sangue e com isso, o filhote adquire os 
anticorpos contra as hemácias pelo colostro da primeira mamada assim 
que nasce e os anticorpos do neonato destroem suas hemácias, 
causando a isoeritrólise. Como os equinos possuem placentação 
epiteliocorial,