A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
46 pág.
AULA 02   NIC NOC CIPE

Pré-visualização | Página 1 de 2

Aplicação dos Sistemas de Classificação de Resultados e Intervenções de Enfermagem
Profª. Ms. MÁRCIA RAMOS COSTA
Nursing Interventions Classification (NIC)
O que é Intervenção de Enfermagem (IE)?
É qualquer tratamento, baseado no julgamento e no conhecimento clínico, que seja realizado por um enfermeiro para melhorar os resultados do paciente/cliente.
Tipos de Intervenções
Intervenção de assistência direta
Intervenção de assistência indireta
Intervenção comunitária/saúde pública
Tratamento iniciado por enfermeiro
Tratamento iniciado por médico
Atividades de Enfermagem
São comportamentos específicos ou ações dos enfermeiros para implementar uma intervenção e que auxiliam pacientes/clientes a avançar rumo a um resultado almejado.
ATENÇÃO !!!!
As intervenções da NIC são vinculadas aos diagnósticos da NANDA.
Os títulos e suas definições não devem ser alterados.
O cuidado pode ser individualizado por meio das atividades de enfermagem.
A estrutura da NIC
A taxonomia das IE é uma organização sistemática das intervenções com base em suas semelhanças em algo que pode ser considerado uma estrutura conceitual. A estrutura da taxonomia da NIC apresenta 3 níveis:
Domínios (7)
Classes (30)
Intervenções (542)
Atividades de enfermagem (12.000)
Domínios
O processo de escolha da IE
A seleção de uma IE é uma decisão do enfermeiro, considerando 6 fatores:
Resultados esperados do paciente
Características dos Diagnósticos de Enfermagem
Base de Pesquisa para a intervenção
Praticabilidade para a realização da intervenção
Aceitação pelo paciente
Capacidade do Enfermeiro
1.Resultados Esperados do Paciente
Os resultados devem ser especificados antes que a intervenção seja escolhida.
Utilizar a Classificação de Resultados de Enfermagem (NOC).
2. Características dos Diagnósticos de Enfermagem
Resultados e intervenções são selecionados em relação a determinados diagnósticos de enfermagem.
Intervenção que altera fatores etiológicos (fatores relacionados);
Intervenção para tratar sinais e sintomas (características definidoras);
Intervenção para modificar ou eliminar fatores de risco (diagnósticos de potencial ou de alto risco).
3. Base de Pesquisa para a Intervenção
O enfermeiro que utiliza uma intervenção deve estar familiarizado com sua base de pesquisa.
A pesquisa indicará a eficácia do uso da intervenção com certos tipos de pacientes.
Existem intervenções amplamente testadas e outras não.
4. Praticabilidade para Realização da Intervenção
É importante que o enfermeiro questione como a sua intervenção interage com outras intervenções dele e de outros profissionais.
Custo da intervenção e tempo para sua implementação.
5. Aceitação pelo Paciente
Uma intervenção precisa ser aceita pelo paciente e sua família.
O paciente deve ser informado sobre como é esperado que ele participe.
Valores, crenças e culturas do paciente devem ser considerados na escolha de uma IE.
6. Capacidade do Enfermeiro
O enfermeiro deve ser capaz de realizar uma determinada IE. Para tal, necessita:
Ter fundamentação científica;
Possuir habilidades psicomotoras e interpessoais;
Ser capaz de agir em uma determinada situação para utilizar de forma efetiva, os recursos de atenção à saúde.
A escolha das atividades de enfermagem e o estabelecimento de prioridades do cuidado
O cuidador seleciona as atividades que considerar apropriadas e pode adicionar novas atividades se assim o desejar.
 Domínio
Fisiológico Básico
 Classe
Controle da atividade e exercício
Controle da imobilidade
 Intervenção
Cuidado com repouso no leito
Promoção do exercício
Controle da energia
TÍTULO
 Controle de Energia
DEFINIÇÃO
Regulação do uso de energia para tratar ou prevenir a fadiga e otimizar as funções.
ATIVIDADES
Determinar as limitações físicas do paciente;
Encorajar a verbalização de sentimentos sobre as limitações;
Auxiliar o paciente a organizar a prioridade das atividades;
Auxiliar nas atividades físicas regulares;
Organizar atividades físicas que reduzam a competição pelo suprimento de oxigênio às funções vitais do organismo;
...
 
Nursing Outcomes Classifications (NOC)
Conceito
Compreende resultados que descrevem o estado, comportamentos, reações e sentimentos do paciente em resposta ao cuidado prestado.
Objetivos da NOC
Avaliar os cuidados por meio do emprego dos resultados de enfermagem.
Conceitualizar, rotular, definir e classificar os resultados e indicadores sensíveis aos cuidados de enfermagem.
A estrutura da NOC
Domínios
Resultados
Cada resultado possui um rótulo/nome, uma definição e uma lista de indicadores que descrevem o cliente, o cuidador ou a família em uma escala tipo Likert de 5 pontos que vai do estado menos desejável ao mais desejável.
Escalas para avaliar as IE
As escalas desenvolvidas facilitam a identificação das alterações no estado do paciente por meio de diferentes pontuações ao longo do tempo.
Monitoram a melhora, piora ou estagnação do estado do paciente durante um período de cuidado.
Como funciona?
O enfermeiro faz uma descrição do resultado atual e escolha do resultado desejado (estado final).
O estado atual pode ser comparado ao final, após uma intervenção de enfermagem para determinar a eficácia desta no resultado desejado.
Resultado de Enfermagem
Esperado / Desejado
Estabelecido a partir do diagnóstico
Considera
O contexto
Habilidades do profissional
Preferências do paciente
Alcançado
Estabelecido a partir da avaliação do paciente
indicadores
 Domínio
Saúde Funcional
 Classe
Manutenção de Energia
Mobilidade
 Resultado
Tolerância a atividade
Desempenho na transferência
Deambulação
Repouso
Condicionamento
TÍTULO
 Tolerância à atividade.
DEFINIÇÃO
Resposta fisiológica à movimentação requerida para as atividades diárias que consomem energia.
INDICADORES
Frequência respiratória à atividade
Facilidade respiratória à atividade
Facilidade para realizar atividades de vida diária
ESCALAS
Intensamente comprometido (1)
Substancialmente comprometido (2)
Moderadamente comprometido (3)
Levemente comprometido (4)
Não comprometido (5)
Não se aplica
Tolerânciaà atividade
(pontuação)
Comprometido
Indicadores
GC
MC
ModC
LC
NC
Não se aplica
Saturação de O2 à atividade
FR à atividade
x
Facilidade respiratória
x
...
15 indicadores
Tolerânciaà atividade
(pontuação)
Comprometido
Indicadores
GC
MC
MODC
LC
NC
Não se aplica
Saturação de O2 à atividade
FR à atividade
X
Facilidade respiratória
X
...
15 indicadores
Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem (CIPE)
Conceito da CIPE segundo a CIE
É um instrumento de informação para descrever a prática de enfermagem, prover dados que identifiquem a contribuição da enfermagem no cuidado de saúde e promover mudanças na prática de enfermagem por meio da educação, da administração e da pesquisa.
O que é “prática de enfermagem”?
Processo dinâmico, sujeito a mudanças e cujos principais componentes são:
Fenômenos
Ações
Resultados de enfermagem
Modelo de 7 eixos CIPE
Descrevendo cada eixo...
FOCO: área de atenção relevante para a enfermagem. 
Ex: dor.
JULGAMENTO: opinião clínica, determinação relacionada com o foco da prática profissional de enfermagem. 
Ex: parcial.
MEIOS: forma ou método de concretizar uma intervenção. 
Ex: cateter urinário.
Descrevendo cada eixo...
AÇÃO: processo intencional aplicado a, ou desempenhado por um paciente. 
Ex: instalar.
TEMPO: o ponto, o período, o instante ou a duração de uma ocorrência. 
Ex: meio-dia.
LOCALIZAÇÃO: orientação anatômica ou espacial de um diagnóstico ou intervenção.
 Ex: via ureteral.
CLIENTE: sujeito a quem o diagnóstico se refere e que é o beneficiário da intervenção. 
Ex: indivíduo, família.
CIPE – Versão 2.0
É a versão mais atual;
Lançada oficialmente no XXIV Congresso do CIE – Durban, África do Sul;
134 diagnósticos/resultados negativos;
95 diagnósticos/resultados positivos;