A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
26 pág.
ARTIGO

Pré-visualização | Página 1 de 6

- � PAGE �3� -
Dados do(s) Pesquisador(es) 
(Autor ou Autores do Texto Científico)
	Nome do Autor: 
Ana Carolina Santos Schetini; 
Gleicyana Vitor Gomes;
Caio Mário Leal Ferraz;
Rafael Alvarenga Almeida.
	Endereço residencial:
Av. Luiz Boali Porto Salman, 382, Centro, Teófilo Otoni – MG, 39802-000
	Formações Acadêmicas: 
Graduanda em Engenharia Civil;
Graduanda em Engenharia Civil;
Doutorando em Geografia e Mestre em Geografia;
Doutor e Mestre em Engenharia Agrícola.
 
	Vínculo Profissional (Instituição): UFVJM – Campus do Mucuri
Discente;
Discente;
Docente;
Docente.
	Endereço Profissional:
R. Cruzeiro, 01 - Jardim Sao Paulo, Teófilo Otoni - MG, 39803-371
	Telefones: 
(33) 98801-1457
(33) 98857-2767
(33) 98845-5247
 (33) 99908-4846
	Endereços Eletrônicos (e-mails): 
carol_schetini@hotmail.com;
gleyciane-arc@hotmail.com;
caio.ferraz@ufvjm.edu.br; 
rafael.almeida@ufvjm.edu.br.
	Link do Currículo Lattes (Se Brasileiro):
http://lattes.cnpq.br/5030555619653926;
 http://lattes.cnpq.br/8152873933826249.
 
Ministério da Educação – Brasil
Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri – UFVJM
Minas Gerais – Brasil
Revista Vozes dos Vales: Publicações Acadêmicas
Reg.: 120.2.095 – 2011 – UFVJM
ISSN: 2238-6424
QUALIS/CAPES – LATINDEX
Nº. 09 – Ano V – 05/2017
http://www.ufvjm.edu.br/vozes 
Expansão urbana aliada a áreas de risco na cidade de Teófilo Otoni – MG com auxílio de técnicas de geoprocessamento 
Ana Carolina Santos Schetini
Graduanda em Engenharia Civil - UFVJM
Discente da Universidade Federal dos Vales de Jequitinhonha e Mucuri – UFVJM
Teófilo Otoni – UFVJM - Brasil
E-mail: carol_schetini@hotmail.com
Gleicyana Vitor Gomes
Graduanda em Engenharia Civil – UFVJM
Discente da Universidade Federal dos Vales de Jequitinhonha e Mucuri – UFVJM
Teófilo Otoni – UFVJM – Brasil
E-mail: gleyciane-arc@hotmail.com
Prof. Caio Mário Leal Ferraz
Mestre e Doutorando em Geografia – UFMG
Docente da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri – UFVJM
Teófilo Otoni – UFVJM – Brasil
http://lattes.cnpq.br/5030555619653926
 E-mail: caio.ferraz@ufvjm.edu.br
Prof. Dr. Rafael Alvarenga de Almeida
Mestre e Doutor em Engenharia Agrícola - UFV
Docente da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM
Teófilo Otoni - UFVJM - Brasil
http://lattes.cnpq.br/8152873933826249
E-mail: rafael.almeida@ufvjm.edu.br
Resumo: O intenso crescimento urbano tem agravado diversos problemas socioambientais nas cidades, sobretudo a partir de meados do século XX. As enchentes e inundações urbanas, erosão acelerada e movimentos gravitacionais de massa, são os principais problemas ambientais que vem crescendo em muitas cidades brasileiras. Nesse cenário, o presente trabalho busca abordar a urbanização como causa do crescimento desordenado das cidades, tratando-se especialmente de Teófilo Otoni-MG, na qual tem-se sérios problemas ambientais e, inclusive, danos a população devido à ocupação de áreas de risco. O estudo foi realizado a partir de pesquisas e pelo mapeamento da cidade identificando a expansão populacional em torno dos anos de 1986, 1996, 2006 e 2016, buscando conjuntamente relacioná-lo a geomorfologia da área investigada. Como resultado, constatou-se que o aumento dos habitantes foi direcionado para áreas críticas, como os locais com declividade elevada, evidenciando a ausência de planejamento urbano e suas vulnerabilidades, o que pode refletir em danos incalculáveis. 
Palavras-chave: Urbanização, Ocupação Desordenada, Áreas de Risco.
Introdução
O crescimento urbano e suas consequências sobre o meio ambiente tem sido o principal motivo dos diversos problemas ambientais enfrentados atualmente. Este processo é associado à ideia de desenvolvimento, porém nem todo desenvolvimento é visto como positivo, uma vez que os efeitos negativos do crescimento sem limites, se destacam. 
Segundo Marandola et al. (2013) os riscos de desastres naturais têm se tornado cada vez mais presentes nas cidades, desencadeados pelo fenômeno da urbanização, que traz em seu próprio processo construtivo, perigos que se expressam pela carência de ajuste e aderência da produção do espaço urbano aos sistemas naturais, desde o sítio até ritmos regionais de chuvas, ventos e biodiversidade.
As populações mais carentes são induzidas a procurarem terrenos mais baratos, geralmente em áreas inadequadas à ocupação, como encostas íngremes ou regiões alagadiças, fato que ocorre na maioria das cidades, decorrente da exclusão sócio espacial característica do modelo socioeconômico vigente, que acentua tais desigualdades de renda familiares (Andretta, 2013, p.4). 
O foco deste trabalho é a cidade Teófilo Otoni (Figura 1), localizada no estado de Minas Gerais, que possuía uma população de aproximadamente 141 mil habitantes, estimada para 2016 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 
A área de estudo (Figura 1) compreende a mancha urbana da cidade de Teófilo Otoni – MG, limitada pelas coordenadas 17° 51′ 32″ Sul, 41° 30′ 32″ Oeste, latitude -17.8588, longitude: -41.509.
Conforme Ferraz et al. (2016), o município apresenta regiões com relevo mais dissecado, zonas com maiores amplitudes topográficas e vertentes de elevada declividade, além de áreas de morfologia moderadamente planas e alongadas.
De acordo com os dados apresentados, seria necessário um planejamento urbano da cidade evitando que a ocupação populacional se direcionasse para áreas suscetíveis à ocorrência de desastres naturais. Assim, uma das ferramentas que podem ser utilizadas para minimizar esses eventos é o mapeamento de áreas de risco que segundo Bim (2009) delimita e identifica possíveis regiões com maior probabilidade de ocorrência de destrates naturais, podendo contribuir para realização de políticas públicas para uso e ocupação do solo ou no emprego de um plano de gerenciamento de risco. 
Figura 1: Mapa de Localização da cidade de Teófilo Otoni - MG.
Objetiva-se com este trabalho mapear o crescimento urbano da cidade de Teófilo Otoni, em perspectiva histórica nas últimas quatro décadas. Este esforço, se correlaciona com a geomorfologia da área que pode apontar trechos em crescimento que ofereçam condições mais estáveis para ocupação urbana. 
Fundamentação Teórica
Histórico do crescimento urbano
A literatura relacionada à urbanização e crescimento do tecido urbano em diferentes partes do globo auxilia na compreensão de que o início destes processos se deu por êxodo de populações rurais e concentração destes habitantes nas áreas urbanas, em momentos históricos distintos e com características específicas que se relacionam ao contexto de cada nação ou região. 
Nesse sentido, para Pena (2014), a urbanização é o processo de crescimento das cidades, que ocasiona tanto o aumento da população, quanto da extensão territorial e ocorre devido à migração da população do campo para a cidade. Já para Carlos (2003), as cidades nascem em um certo momento da história da humanidade e se constituem ao longo de processos históricos, desenvolvendo formas e conteúdos diversos. Assim, a área urbana surge da necessidade da população em organizar um certo espaço no sentido de integra-lo e aumentar sua independência visando um determinado fim. Para este trabalho a definição de Carlos melhor se enquadra, uma vez que, será discutido as transformações ocorridas no meio urbano decorrentes das atividades dos próprios indivíduos, entendendo o mundo como produto do homem. 
A urbanização teve início somente a partir do século XVIII, porém as cidades mais antigas datam desde os tempos neolíticos. Segundo Gobbi (2006), “a cerca de seis mil anos, ao logo dos vales dos rios Tigres e Eufrates surgiram às primeiras cidades, que já possuíam certa importância econômica, política e social”. Contudo, as cidades passaram a ter maior reconhecimento