A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
17 pág.
av. pé diabético apresentação

Pré-visualização | Página 1 de 1

AVALIAÇÃO DO PÉ 
DIABÉTICO
Equipe: Eva Tayonara Alves Matos
José Elias do Carmo Neto
Juliana Santos Jucá
Luan Luri Lopes Maciel 
Mariana Soares da Silva
Viviane Cristina Penha Vasconcelos
Pé diabético: conceito e aspectos 
epidemiológicos
Definição: “infecção, ulceração e/ou destruição dos
tecidos profundos, associado a anormalidades
neurológicas e vários graus de doença arterial
periférica nos membros inferiores”
O pé diabético é a única complicação crônica do
DM, passível de prevenção primária.
 Estudo brasileiro mostra prevalência de pé
diabético de 9%.
Pé diabético: conceito e aspectos 
epidemiológicos
O risco de amputação na população diabética é 15
vezes maior que na população não-diabética.
 As amputações são comumente precedidas por
ulceração e infecção nos pés.
A prevenção das úlceras pode reduzir a taxa de
amputações entre 49% - 85%.
Pé diabético: aspectos 
etiopatogêgicos
Deformidades
Pé diabético: aspectos 
etiopatogênicos
Deformidades: áreas de risco para ulceração
Pé diabético: avaliação clínica
Consulta de Enfermagem e exame dos pés.
 Inspeção (marcha, calçados, pele e anexos, 
unhas, arco plantar, deformidades e espaços 
interdigitais).
Palpação (avaliação vascular: pulsos pedioso e 
tibial posterior).
Pé diabético: avaliação clínica
Consulta de enfermagem e exame dos pés.
Pé diabético: avaliação clínica
Avaliação Sensitiva:
Teste com o monofilamento de 10 gramas 
Teste com diapasão clínico de 128 Hz 
Teste do palito
 Teste dos tubos com água (quente e fria)
Pé diabético: avaliação clínica
Pé diabético: avaliação clínica
Consulta de enfermagem e exame dos pés.
Pé diabético: avaliação clínica
CATEGORIA RESPOSTA APRESENTADA
0 (ZERO) Sente monofilamento em todos os pontos 
testados, pulsos palpáveis, ausência de 
lesões e/ou queixas.
1 (UM) Não sente monofilamento em um ou mais 
pontos, pulsos palpáveis, ausência de 
lesões e/ou queixas.
2 (DOIS) Não sente monofilamento em um ou mais 
pontos, pulsos diminuídos ou ausentes, 
ausência de lesões.
3 (TRÊS) Presença de qualquer lesão, história de 
amputação, presença de dor.
Pé diabético: avaliação clínica
- Inspeção dos pés e calçados.
- Avaliação dermatológica, vascular e sensitiva.
- Pesquisa de pontos de pressão.
- Corte correto das unhas.
- Lixamento e retirada de calosidades.
- Tratamento de fissuras interdigitais.
Pé diabético: avaliação clínica
Tratamento das lesões:
 O objetivo do profissional de saúde ao tratar a
lesão é mantê- la úmida, limpa e a salvo de
trauma físico, preservando a integridade
cutânea do paciente.
Pé diabético: avaliação clínica
Tratamento das lesões:
A escolha dos curativos mais eficientes e a
implementação dos procedimentos ou técnicas
apropriadas ajudam a atingir esse objetivo.
 Existem mais de 2.000 produtos para tratar
feridas no mercado, o que torna a escolha do
curativo correto uma tarefa difícil e desafiadora.
Pé diabético: avaliação clínica
 Tratamento das lesões:
A escolha do curativo ideal deve atender às seguintes 
questões:
 Protege a lesão de infecção secundária?
 Promove um ambiente úmido para a cicatrização?
 Proporciona isolamento térmico?
 Pode ser retirado sem traumatizar a lesão?
 Facilita a drenagem e remove restos celulares?
 É isento de partículas ou substâncias tóxicas?
REFERÊNCIAS
 Pé diabético – Sociedade Brasileira de 
Diabetes disponível em: 
http://www.diabetes.org.br/profissionais/image
s/pdf/aulas-medicas/pediabetico.pdf Acesso 
em 04 de março de 2018. 
OBRIGADO(A) !!!