A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
60 pág.
APS   ONG Banco de Alimentos COMPLETA 2º semestre

Pré-visualização | Página 3 de 11

do Google, a ONG possui uma campanha efetiva de links patrocinados onde, por meio da pesquisa dos termos “aproveitamento integral de alimentos” ou “banco de alimentos”, a instituição é o primeiro nome a aparecer, tendo o mecanismo de busca ao seu favor. 
Há também a linha de parcerias que o Banco de Alimentos instituiu com empresas e clubes, que divulgam a iniciativa da associação através de seus membros. Demais propagandas da ONG também são feitas mediante a publicação em revistas e jornais. 
Globo Repórter
A participação do Banco de Alimentos no programa Globo Repórter, em 08 de julho de 2016, foi essencial em termos de visibilidade, porque diversos empresários buscaram contatar a ONG, questionando os meios com que poderiam se envolver com o projeto. Então, além de publicidade, que permite contribuições financeiras, a veiculação da imagem da Organização no programa forneceu também novos doadores de produtos. [6: Vídeo contendo quadro de aparição da ONG disponível em < http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2016/07/voluntarios-alimentam-22-mil-pessoas-com-comida-que-iria-para-o-lixo.html> ]
Programas de Conscientização 
A conscientização e educação alimentar fazem parte da segunda frente de atuação da ONG. Desse modo, há diversas ações que o Banco realiza visando atingir o objetivo de diminuir o desperdício na cozinha, que afeta não apenas o planeta, com o descarte de lixo orgânico, mas também o corpo humano, uma vez que as partes eliminadas, como cascas, sementes, folhas e talos, são dotadas de grande valor nutricional. Esta prática se chama “Aproveitamento Integral de Alimentos”. 
Além de todo o conteúdo disponível no site, a ONG possui autoria de dois livros, ademais da participação em eventos, como o Simpósio Mundial do Dia da Alimentação, que ocorreu em 13 de outubro de 2016, no Senac Campus Santo Amaro. O evento teve a participação de doze palestrantes que discorreram sobre temas referentes à alimentação sustentável. [7: Endereço digital contendo informações de palestrantes, temas discutidos e formas de entrada no evento: < http://www.bancodealimentos.org.br/alimentacao-sustentavel/dia-mundial-da-alimentacao-2016/> ]
Figura 1 Simpósio Mundial do Dia da Alimentação - Equipe do Banco de Alimentos
Figura 2 Simpósio Mundial do Dia da Alimentação – Auditório
Figura 3 Simpósio Mundial do Dia da Alimentação – Palestra
É de autoria da ONG a realização de demais palestras e workshops, com conteúdo interativo acerca de nutrição, aproveitamento integral dos alimentos e também sobre o desperdício. As atividades apresentam certificado e ocorrem na sede da associação. A ATS – Alimentando a Transformação Social faz parte dos projetos promovidos pelo Banco de Alimentos. Criado em 2007, o programa objetiva sensibilizar crianças e adolescentes quanto às questões de interesse social, como a política, situações sanitárias, de saúde, meio ambiente e de aceitação cultural, buscando trazer para a nova juventude referências que auxiliem no desenvolvimento de cidadãos ativos e bem instruídos. O evento é realizado em escolas. 
Há também a Oficina Show, que se configura em uma apresentação de receitas que utilizem partes não convencionais de alimentos, além da preparação de pratos para o público, ensinando-os sobre a importância econômica, ambiental e social da preservação dessas partes essenciais. 
Outras duas vertentes em que o Banco de Alimentos atua são a Banqueteria e a Oficina de Ideias onde, respectivamente, a ONG prepara alimentos utilizando os princípios do aproveitamento integral para eventos e desenvolve conteúdos especiais sobre alimentação sustentável com alto grau nutricional para empresas. 
Ademais, a associação civil também se disponibiliza a educar as cozinhas das instituições beneficiadas, com a presença de nutricionistas que apresentam meios de evitar o desperdício através do usufruto de todas as partes dos alimentos. 
Área de atuação 
O Banco de Alimentos atua apenas no Estado de São Paulo, focados na capital e na região metropolitana. Apesar de desejar expandir a ação para outros Estados, a instituição afirma que para isso ocorrer seria necessário a transformação da ONG em uma associação autossustentável, aumentar a malha logística de distribuição, além de contar com doações constantes. Para isso, é necessária a participação em mídias que atinjam a população e a mobilizem a realizar doações. 
História emblemática 
Assim como as demais instituições que trabalham em prol dos direitos sociais natos de qualquer cidadão, o Banco de Alimentos acumula histórias de sua participação na vida das pessoas beneficiadas. Entretanto, o caso em destaque contado a seguir não engloba apenas uma única pessoa que foi favorecida pela iniciativa da ONG, mas sim uma atitude que inspirou não somente a instituição beneficiada, como também todas as pessoas envolvidas na associação. 
Em uma feira de veículos marítimos, que ocorreu no Expo Center Norte, havia um espaço interativo com um lago artificial onde era realizada a pesca de tilápias, peixe nativo de água doce encontrado em todo o mundo, inclusive no Brasil. Ao final do evento, a empresa organizadora ligou para o Banco de Alimentos informando sobre a grande quantidade de peixe, aproximadamente 800 	quilos, que seriam eliminados caso ninguém demonstrasse interesse em se apossar do produto. A feira, que teve duração de uma semana, seria desmontada no domingo e a retirada dos peixes só seria possível após a meia noite deste mesmo dia. Os organizadores forneceriam o tanque e o gelo para o transporte. 
O problema em questão não era apenas a organização de carros para a movimentação do alimento, mas também a localização de uma instituição que fosse capaz de abrigar os 800 quilos de tilápias, com um frigorífico adequado e pessoas suficientes para consumi-lo, uma vez que não seria possível realizar duas entregas para organizações distintas. O armazenamento na sede também não entrava em questão, partindo do princípio que o Banco não possuía a câmara frigorífica adequada. A ONG conseguiu localizar um beneficiado que atendesse a remessa durante a madrugada e, mais tarde, descobriu que as tilápias foram utilizadas para alimentar as pessoas auxiliadas pelo projeto da instituição durante a semana de Páscoa, uma data que combina perfeitamente com o consumo de peixe. 
A história é emblemática não só do ponto de vista dos negócios, como também sob a perspectiva social, uma vez que o Banco de Alimentos favoreceu duas organizações — aquela que organizou o evento e a que recebeu os produtos — em uma única atitude, além de evitar o desperdício, contribuir cultural e socialmente na promoção de uma sociedade igualitária, impedindo que, diante do descarte de alimentos em bom estado para consumo, pessoas menos favorecidas pereçam devido à fome. 
No dia a dia 
A partir de pequenas atitudes é possível evitar o desperdício. Ao eliminarmos comida ainda adequada para consumo, não só privamos aqueles que realmente necessitam de alimento, como também poluímos o planeta — uma vez que a decomposição de lixo orgânico é a terceira maior consumidora de gás carbônico no mundo. Dessa forma, algumas iniciativas simples se mostram necessárias, como atentar para a quantidade e o prazo de validade dos produtos adquiridos; e inovar ao cozinhar, visando à utilização de partes não convencionais de alimentos em receitas novas. Valorizar e sempre buscar por embalagens pequenas e produtos em que o próprio consumidor possa escolher a quantidade que deseja adquirir também é essencial na reeducação da sociedade. 
Produtos 
O Banco de Alimentos possui diversos itens disponibilizados para compra que auxiliam na manutenção da estrutura da ONG, como a “Camisa combate à fome, eu ajudo”, os livros “Entre Cascas e Temperos” e “Gourmet Sustentável – Cozinhando com as Partes Não Convencionais dos Alimentos” e a receita de brownie