Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
26 pág.
sistema de produção de bens e serviços aula 2

Pré-visualização | Página 1 de 5

DISCIPLINA: 
SISTEMA DE PRODUÇÃO DE 
BENS E SERVIÇOS 
AULA 2 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Prof. Gil Fábio de Souza 
 
 
 
2 
CONVERSA INICIAL 
 
Olá! Seja bem-vindo à nossa segunda aula da disciplina de Sistema de 
Produção de Bens e Serviços! Nesta aula, teremos uma visão geral do 
planejamento da produção. 
Em todo sistema produtivo, ao serem definidas suas estratégias, e com 
base nestas, suas metas, faz-se necessário formular planos para atingi-las, 
administrar os recursos humanos e físicos a partir de tais planos, direcionar a 
ação dos recursos humanos sobre os físicos e acompanhar essas ações, 
permitindo a correção de prováveis desvios. 
 
Ao final dessa aula você deverá ser capaz de: 
 Conhecer como planejar as operações nas empresas (bens e serviços); 
 Saber como reduzir custos e melhorar a lucratividade a partir da 
qualidade; 
 Desenvolver maneiras de melhorar a produtividade a partir do 
planejamento; 
 Saber utilizar a produtividade como estratégia de negócios; 
 Desenvolver maneiras de melhorar a competitividade com base nos 
sistemas de produção e da cadeia de suprimentos. 
 
Vamos à nossa aula! 
 
CONTEXTUALIZANDO 
Determinar o nível ótimo de produção para atender à demanda é 
fundamental para a eficiência e a eficácia do Planejamento, Programação e 
Controle da Produção (PPCP). A falta de equilíbrio entre a capacidade e a 
demanda pode ter consequências desastrosas para a organização, tanto 
econômicas quanto em termos de qualidade. Nosso desafio, portanto, é 
harmonizar, em todos os níveis, o grau de capacidade produtiva com o nível da 
demanda a ser atendida com o menor custo possível. Para isso, são 
fundamentais o planejamento e o controle da capacidade produtiva. 
A efetiva utilização da capacidade produtiva depende de esforços 
constantes para redução do tempo improdutivo e aumento de disponibilidade, e 
 
 
3 
a gestão da demanda depende de um processo consistente de previsão de 
vendas. Erros nesta área podem comprometer as operações e até mesmo 
inviabilizar alguns negócios, pois criam desequilíbrio. 
 
Em nosso encontro de hoje, vamos abordar os seguintes temas 
fundamentais, tratando de: 
1. Papel estratégico e objetivos da produção: estratégia de produção; 
2. Natureza do planejamento; 
3. Plano de produção e o plano-mestre; 
4. Planejamento de capacidade e estoque; 
5. Planejamento da cadeia de suprimentos. 
 
PESQUISE 
Vamos verificar o cenário atual das indústrias sobre os impactos da economia brasileira. 
Acesse a revista Indústria no link a seguir e leia a matéria que está na página 13, “A Indústria em 
Números, no link <https://issuu.com/jtcomunicacao/docs/industria-29>. 
Veremos como é importante atualizarmos o cenário em que vivemos! 
 
TEMA 1 – PAPEL ESTRATÉGICO E OBJETIVOS DA PRODUÇÃO 
 
“A maioria das pessoas não planeja fracassar, fracassa por não planejar.” 
John L. Beckley 
 
O departamento de Planejamento e Controle da Produção, como apoio, é 
responsável pela coordenação e pela aplicação dos recursos produtivos de 
forma a atender da melhor maneira possível os planos estabelecidos nos níveis 
estratégico, tático e operacional. 
Para Tubino (2009), o planejamento estratégico busca maximizar os 
resultados das operações e minimizar os riscos nas tomadas de decisão das 
empresas. O impacto dessas decisões são de longo prazo e afetam a natureza 
e as características das organizações no sentido de garantir o atendimento de 
sua missão. Para efetuar um planejamento estratégico, a empresa deve 
entender os limites de suas forças e habilidades no relacionamento com o meio 
ambiente, de maneira a criar vantagens competitivas em relação à concorrência, 
aproveitando-se de todas as situações que lhe trouxerem ganhos. 
 
 
 
4 
 
A missão corporativa é a base de uma empresa, e a razão de sua 
existência 
Fazem parte da ideia de missão corporativa a definição clara de qual é o 
seu negócio atual e de como ele deverá ser no futuro, bem como a filosofia 
gerencial da empresa para administrá-lo. Normalmente, ao se definir a missão, 
algumas questões devem ser levantadas, entre elas: 
 Qual o escopo do negócio: industrial, comercial ou de prestação de 
serviços? 
 Qual a essência do negócio? 
 Qual o sentido e a intensidade do crescimento que está se buscando? 
 Como nos propomos a atender às necessidades dos clientes? 
 
A estratégia corporativa define as áreas de negócios em que a empresa 
deverá atuar, e como esta deverá adquirir e priorizar os recursos no sentido de 
atender às reivindicações de cada unidade de negócios. É a estratégia 
corporativa que faz com que os diversos negócios da empresa tenham um 
sentido comum e obtenham resultados superiores à mera soma dos resultados 
individuais. A estratégia deverá ainda especificar em que condições a 
diversificação de negócios contribuirá para o crescimento sustentável da 
corporação como um todo. 
 
Figura 1 – Visão geral dos sistemas de produção 
 Missão 
Estratégia corporativa 
Estratégia competitiva 
Estratégia funcional 
Finanças Marketing Produção 
Plano financeiro Plano de marketing Plano de produção 
Táticas 
Operações financeiras Operações de marketing Operações de produção 
 
Fonte: Tubino, 2009. 
 
 
5 
 
A estratégia competitiva (ou estratégia da unidade de negócios), propõe 
a base na qual os diferentes negócios da empresa irão competir no mercado, 
suas metas de desempenho, e as estratégias que serão formuladas para as 
várias áreas funcionais do negócio, a fim de suportar a competição e buscar tais 
metas. Pode-se dizer que uma estratégia competitiva, em dado instante, é a 
escolha por uma determinada posição competitiva. 
 
Figura 2 – Direcionamento da estratégia corporativa 
 
 
Fonte: Tubino, 2009. 
 
A escolha por uma determinada estratégia competitiva define a alocação 
de recursos e as habilidades organizacionais necessárias para a produção dos 
bens e/ou serviços oferecidos ao mercado. 
 
Figura 3 – Dinâmica da estratégia competitiva 
Fonte: Tubino, 2009. 
 
Há três estratégias genéricas de margem/volume que podem ser 
empregadas pelas empresas na competição pelo mercado. Observe: 
A Missão
Estratégia Corporativa
Estratégia
Competitiva
A
Estratégia
Competitiva
B
Estratégia
Competitiva
C
Estratégia
Competitiva
Benefícios
para Clientes
Custos
para Empresa
Margem de Lucro
Volume de Vendas
 
 
6 
1. Na liderança de custos, a empresa deverá buscar a produção ao menor 
custo possível, podendo com isso praticar os menores preços do mercado 
e aumentar o volume de vendas. 
2. Na diferenciação, busca-se a exclusividade em alguma característica do 
produto que seja mais valorizada pelos clientes. 
3. A estratégia de focalização é aquela que a empresa deverá buscar caso 
não consiga liderança de custos ou diferenciação da concorrência. 
 
O equacionamento dessas estratégias de competição deve ser feito à luz 
do posicionamento dos concorrentes diretos e indiretos que atuam no mercado, 
conhecidos como as cinco forças competitivas de Porter: 
1. a rivalidade entre as empresas concorrentes; 
2. o poder de barganha dos clientes; 
3. o poder de barganha dos fornecedores; 
4. a ameaça de novos entrantes potenciais; 
5. a ameaça de produtos substitutos. 
 
A escolha da melhor estratégia competitiva inclui a avaliação dessas 
forças e seu impacto sobre o desempenho das alternativas de custo/volume 
disponíveis para a empresa. Definida a posição competitiva da empresa, pode-
se então passar ao detalhamento das estratégias
Página12345