A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Segunda Aula Liderança e Empreendedorismo

Pré-visualização | Página 1 de 1

SEGUNDA AULA – DIA 28/02 
LIDERANÇA E EMPREENDEDORISMO
O QUE É INFLUÊNCIA?
Quando se diz que determinada pessoa é uma influência para as demais, significa que serve de modelo ou que exerce interferência sobre o modo de agir ou de pensar das outras pessoas. 
Influência é a capacidade de fazer com que alguém mude de um comportamento A para um comportamento B. 
Exemplos: 
Bebida Alcoólica;
Menina de 16 anos que quer chegar tarde em casa;
As más influências na sua vida. 
COMO A INFLUÊNCIA OCORRE DENTRO DA ORGANIZAÇÃO
Aqui serão tratados os tipos de poder que levam as pessoas a seguir à orientação do líder, ou seja, de que forma você é influenciado pelo seu líder. 
TIPOS DE PODER 
PODER DE RECOMPENSA
Baseia-se na capacidade de oferecer resultados compensadores. 
Exemplos: Promoções, Aumentos, Elogios, entre outros. 
Os gerentes influenciam o comportamento por meio do uso de recompensas (uma variedade delas), para estimular o funcionário. Quando o poder de recompensa não for utilizado como forma de manipulação, ele é bem-vindo como forma de reconhecimento. 
PODER COERCITVO
Baseia-se na distribuição de resultados indesejáveis. 
O poder coercitivo explora o medo. Para influenciar o comportamento dos subordinados, os superiores recorrem a punições, como: “Repreensões Públicas”, designação para tarefas indesejáveis, descontos no pagamento, entre outros. 
PODER LEGÍTIMO
 
Baseiam-se nas normas, valores e crenças no sentido de que certos indivíduos possuem direito legítimo de governar ou influenciar os outros. 
Na infância, as pessoas aprendem a aceitar ordens de figuras com poder – primeiro, os pais, depois os professores, e, por fim, os chefes (líderes). Envolve a compreensão de hierarquia. 
Vem da posição que uma pessoa detém. Isto está relacionado com o título de uma pessoa e responsabilidade de trabalho. Você também poderá ouvir isso como forma de se referir ao poder obtido por certa pessoa devido à sua posição, seu cargo na empresa. 
PODER DE ESPECIALIZAÇÃO
 
Baseia-se na posse de experiência, conhecimento e talento. Pessoas que são vistas como especialistas, numa determinada área, podem influenciar as outras lhes fornecendo conhecimento.
PODER DE REFERÊNCIA
É o poder de influenciar o outro pela força do seu carisma ou por características pessoais que são admiradas e servem como referência. Tem como base a identificação com o outro, desejo de ser semelhante ao outro. 
Famosos líderes religiosos e personalidades políticas geralmente desenvolvem e usam o poder de referência, também chamado poder carismático, para envolver e conquistar o público. 
TIPOS DE LIDERANÇA 
LIDERANÇA FORMAL 
Quando um líder é eleito por uma organização e passa a assumir um cargo de autoridade. 
LIDERANÇA INFORMAL
Pode surgir de forma natural, quando uma pessoa se destaca no papel de líder, sem, necessariamente, possuir um cargo de liderança.
TEORIA DOS ESTILOS DE LIDERANÇA – KURT LEWIN
Há três tipos de liderança segundo o autor, sendo elas: 
AUTOCRÁTICA
DEMOCRÁTICA
LIBERAL
AUTOCRÁTICA
Ênfase no próprio líder.
 O líder é focado apenas nas tarefas. 
O líder toma decisões individuais, desconsiderando a opinião dos liderados. 
Além da tarefa que cada um deve executar, o líder determina ainda qual o seu companheiro de trabalho. 
O “chefe” centraliza totalmente a autoridade e as decisões, e os subordinados não têm nenhuma liberdade de escolha;
 A figura do “chefe” se sobressai e as pessoas recebem ordens, possuindo pouco espaço para questionamentos ou sugestões;
Apenas o líder fixa as diretrizes, sem qualquer participação da equipe;
O LÍDER AUTOCRÁTICO COSTUMA
Ser dominador;
Emitir ordens a espera da obediência plena dos seus subordinados;
Os grupos submetidos à liderança autocrática apresentam um maior volume de trabalho, com evidentes sinais de tensão, frustração e agressividade
Costumam apresentar insatisfação, falta de motivação e uma propensão a gerar conflitos entre os colegas.
DEMOCRÁTICA
Ênfase no líder e liderado. 
Chamada ainda de liderança participativa ou consultiva, 
Este tipo de liderança é voltado para as pessoas e há participação dos liderados no processo decisório. 
As tarefas ganham novas perspectivas com o debate. 
Encoraja os colaboradores a darem sugestões e opiniões. 
O líder se torna um facilitador do processo, ajudando os colaboradores a executarem bem as suas tarefas e primando por um clima agradável de trabalho. 
Preocupa-se com a execução do trabalho, mas também com a qualidade de vida e satisfação da equipe. 
O líder demonstra ser bastante participativo, ouvindo, oferecendo dicas e ideias, quando necessário, esclarecendo dúvidas, dando feedbacks e auxiliando os membros da equipe a se desenvolverem e melhorarem no desempenho das tarefas. 
NA LIDERANÇA DEMOCRÁTICA, O LÍDER: 
Interage bem com a equipe e com os indivíduos;
Encoraja a participação das pessoas.
Preocupa-se igualmente com o trabalho e com a equipe.
O próprio grupo, juntamente com o líder, esboça as providências e as técnicas para atingir as metas e objetivos da instituição. 
LIBERAL 
Ênfase no liderado
Neste tipo de liderança as pessoas têm mais liberdade na execução dos seus projetos, indicando possivelmente uma equipe madura, auto dirigida e que não necessita de supervisão constante. 
Por outro lado, também pode ser indício de uma liderança negligente e fraca, onde o líder deixa passar falhas e erros sem corrigi-los.
Segue o pressuposto de que os colaboradores já são maduros o suficiente e não necessitam de um acompanhamento constante. 
Deixa o grupo a vontade para a condução das tarefas e estimula a autonomia de seus membros. 
O líder só ajuda quando solicitado, confiando plenamente no trabalho do liderado. 
Tanto a divisão das tarefas, como a escolha dos companheiros, fica totalmente a cargo do grupo.
Há liberdade completa para as decisões grupais ou individuais, com participação mínima do líder;
O MODELO DOS ESTILOS DE LIDERANÇA – RENSIS LIKERT 
Sistema I – Autoritário-Forte
As gerências não confiam em seus subordinados, o trabalho é executado por força e imposição e a decisão é tomada somente pela cúpula da organização.
Sistema II – Autoritário-Benvolente 
O gerente se apresenta mais sensível às necessidades dos subordinados. Nesse sistema o líder toma as decisões, mas permite que os subordinados tenham alguma liberdade e flexibilidade para execução de suas tarefas. O processo de decisão ainda é centralizado, mas existe já alguma delegação de autoridade. 
Sistema III – Consultivo 
A cúpula da organização ainda mantém o controle, mas pratica a consulta aos níveis inferiores da hierarquia. O líder consulta os subordinados para estabelecer os objetivos, metas e diretrizes da área, além de tomar as decisões baseadas nessa consulta. Embora exista a confiança das gerências em seus subordinados, esta ainda não é plena.
Sistema IV – Participativo 
Nesse sistema existe plena confiança das gerências em seus subordinados, a comunicação ocorre no sentido vertical e também no sentido horizontal dentro da organização. Existe forte característica de motivação nos funcionários, pois estes se sentem mais responsáveis pelo desenvolvimento das metas, objetivos e pelo atingimento dos lucros esperados por toda a organização.
De acordo com Likert o sistema IV se destaca porque há um grande envolvimento das pessoas no processo decisório da organização, gerando uma motivação maior na busca de todos por melhores resultados. Os gerentes que trabalham seguindo esse sistema conseguem obter equipes mais conscientes e motivadas e, consequentemente, a produtividade, a qualidade e as perdas são menores, gerando maiores lucros para a organização.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.