Direito Empresarial - Nome Empresarial
4 pág.

Direito Empresarial - Nome Empresarial


DisciplinaDireito Empresarial I21.296 materiais91.729 seguidores
Pré-visualização1 página
NOME EMPRESARIAL
Firma e Denominação
Código Civil \u2013 arts. 1.155 a 1.168
IN DNRC Nº 104, de 30/04/2007
IMPORTANTE: Título de estabelecimento, nome empresarial e marca NÃO SE CONFUNDEM!
Nome empresarial - identifica o sujeito que exerce a atividade empresária.
Marca - identifica o produto ou serviço.
Título do estabelecimento - o ponto comercial.
Exemplo:
Nome empresarial: \u201cComércio e Indústria Antonio Silva & Cia. Ltda.\u201d
Proprietário da marca \u201cAlvorada\u201d.
Título do estabelecimento: \u201cLoja da Esquina\u201d.
Conceito:
Art. 1.155 do CC:
	\u201cArt. 1.155. Considera-se nome empresarial a firma ou a denominação adotada, de conformidade com este Capítulo, para o exercício de empresa.\u201d
	\u201cParágrafo único. Equipara-se ao nome empresarial, para os efeitos da proteção da lei, a denominação das sociedades simples, associações e fundações.\u201d
Art. 1º da IN 104:
	\u201cArt. 1º. Nome empresarial é aquele sob o qual o empresário e a sociedade empresária exercem suas atividades e se obrigam nos atos a elas pertinentes.\u201d
	\u201cParágrafo único \u2013 O nome empresarial compreende a firma e a denominação.\u201d
Natureza e espécies:
O empresário, pessoa física ou jurídica, tem um nome empresarial, que é aquele com que se apresenta no mercado:
Firma
Denominação
Firma:
Só pode ter por base nome civil, do empresário individual ou dos sócios da sociedade empresária.
O núcleo do nome empresarial dessa espécie será sempre um ou mais nomes civis.
Por extenso ou abreviado.
Denominação:
Pode adotar por base seja um nome civil, seja qualquer outra expressão linguística (que a doutrina costuma chamar de elemento fantasia).
Princípios:
Veracidade \u2013 correspondência com a realidade efetiva.
Novidade ou originalidade \u2013 o nome deverá ser diferente dos outros no Estado.
Unicidade \u2013 Veda a utilização de mais de um nome, no Estado.
Empresário individual - art. 1.156:
Art. 1.156. O empresário opera sob firma constituída por seu nome, completo ou abreviado, aditando-lhe, se quiser, designação mais precisa da sua pessoa ou do gênero de atividade.
O empresário individual opera sob firma.
Exemplo: José da Silva empresário individual do ramo de distribuição de bebidas.
José da Silva \u2013 Distribuidor de Bebidas.
J. Silva \u2013 Comércio de Bebidas.
Sociedade com sócio com responsabilidade ilimitada \u2013 art. 1.157:
	Art. 1.157. A sociedade em que houver sócios de responsabilidade ilimitada operará sob firma, na qual somente os nomes daqueles poderão figurar, bastando para formá-la aditar ao nome de um deles a expressão "e companhia" ou sua abreviatura.
	Parágrafo único. Ficam solidária e ilimitadamente responsáveis pelas obrigações contraídas sob a firma social aqueles que, por seus nomes, figurarem na firma da sociedade de que trata este artigo.
Obrigatoriedade:
Sempre que houver sócio ou sócios com responsabilidade ilimitada, obrigatoriamente a sociedade adotará a firma, com o nome dos sócios com responsabilidade ilimitada.
Tipos de sociedade com sócios com responsabilidade ilimitada:
Sociedade em Comandita Simples.
Sociedade em Nome Coletivo.
Sociedade Limitada \u2013 art. 1.158:
	Art. 1.158. Pode a sociedade limitada adotar firma ou denominação, integradas pela palavra final "limitada" ou a sua abreviatura.
	§ 1º. A firma será composta com o nome de um ou mais sócios, desde que pessoas físicas, de modo indicativo da relação social. 
	§ 2º. A denominação deve designar o objeto da sociedade, sendo permitido nela figurar o nome de um ou mais sócios. 
	§ 3º. A omissão da palavra "limitada" determina a responsabilidade solidária e ilimitada dos administradores que assim empregarem a firma ou a denominação da sociedade.
A limitada poderá usar firma ou denominação em seu nome.
Sempre com o termo \u201cLimitada\u201d ou \u201cLtda.\u201d no final.
Se optar por firma, o nome será composto por um ou mais sócios, pessoas físicas.
Se operar sob denominação, deve designar o objeto da sociedade
A omissão do termo \u201cLimitada\u201d ou \u201cLtda.\u201d impõe a responsabilidade solidária e ilimitada dos administradores.
Exemplos:
Planalto Comércio de Automóveis Ltda.
J. Silva & Filhos Administradores de Imóveis Ltda.
Sociedade Cooperativa \u2013 art. 1.159:	
	Art. 1.159. A sociedade cooperativa funciona sob denominação integrada pelo vocábulo "cooperativa".
Opera sob denominação, mais o vocábulo \u201ccooperativa\u201d.
Exemplo:
Planalto Central Cooperativa de Crédito.
Sociedade Anônima \u2013 art. 1.160 
	Art. 1.160. A sociedade anônima opera sob denominação designativa do objeto social, integrada pelas expressões "sociedade anônima" ou "companhia", por extenso ou abreviadamente. 
	Parágrafo único. Pode constar da denominação o nome do fundador, acionista, ou pessoa que haja concorrido para o bom êxito da formação da empresa.
A Sociedade Anônima opera sob denominação, acrescida das expressões \u201cSociedade Anônima\u201d, S/A, S.A., Companhia ou Cia.
Se usar a expressão \u201cCompanhia\u201d ou \u201cCia\u201d deverá, obrigatoriamente, constar do início ou meio do nome, jamais no final.
Exemplos: Banco do Brasil S/A; Companhia Paulista de Laticínios.
Distinção do nome \u2013 art. 1.163:	
	Art. 1.163. O nome de empresário deve distinguir-se de qualquer outro já inscrito no mesmo registro.
	Parágrafo único. Se o empresário tiver nome idêntico ao de outros já inscritos, deverá acrescentar designação que o distinga.
Nenhum nome poderá ser totalmente igual a outro nome previamente na área de abrangência da respectiva Junta Comercial.
Deve-se acrescentar elemento de distinção.
Exemplo:
Expressão \u201cPlanalto\u201d.
Supermercados Planalto Ltda.
Planalto Comércio de Automóveis Ltda.
Planalto Confecções de Cama e Mesa Ltda.
Alienação do nome \u2013 art. 1.164:	
	Art. 1.164. O nome empresarial não pode ser objeto de alienação.
	Parágrafo único. O adquirente de estabelecimento, por ato entre vivos, pode, se o contrato o permitir, usar o nome do alienante, precedido do seu próprio, com a qualificação de sucessor.
A vedação diz respeito à firma.
Quando à denominação, nada impede a alienação.
No caso de firma, admite-se a continuação do uso da mesma, precedido da expressão \u201csucessor\u201d.
Exemplo:
J. Silva Comércio de Bebidas \u2013 J. Silveira, Sucessor
Morte de sócio \u2013 art. 1.165:	
	Art. 1.165. O nome de sócio que vier a falecer, for excluído ou se retirar, não pode ser conservado na firma social.
Diz respeito somente ao uso de firma.
Proteção ao nome - registro \u2013 art. 1.166:
	Art. 1.166. A inscrição do empresário, ou dos atos constitutivos das pessoas jurídicas, ou as respectivas averbações, no registro próprio, asseguram o uso exclusivo do nome nos limites do respectivo Estado.
	Parágrafo único. O uso previsto neste artigo estender-se-á a todo o território nacional, se registrado na forma da lei especial.
Ainda não foi editada a lei especial citada no parágrafo único.
A proteção é somente estadual.
Anulação de inscrição \u2013 art. 1.167:	
	Art. 1.167. Cabe ao prejudicado, a qualquer tempo, ação para anular a inscrição do nome empresarial feita com violação da lei ou do contrato.
A ação judicial para anulação de inscrição do nome empresarial é imprescritível.
Cancelamento de inscrição \u2013 art. 1.168:
	Art. 1.168. A inscrição do nome empresarial será cancelada, a requerimento de qualquer interessado, quando cessar o exercício da atividade para que foi adotado, ou quando ultimar-se a liquidação da sociedade que o inscreveu.
Qualquer interessado pode pedir o cancelamento.
Motivos:
Encerramento de atividade.
Liquidação da sociedade.