A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
68 pág.
Principios e métodos da supervisão escolar

Pré-visualização | Página 2 de 16

tem grande responsabilidade 
nesta formação: recebe crianças e jovens por certo número de horas todos os dias, 
durante anos de suas vidas, possibilitando-lhes construir saberes indispensáveis para 
sua inserção social. 
Assim, a função Supervisor educacional foi mais uma inovação educacional de 
ordem política para atender a ideologia do sistema, evidenciando uma tendência 
tecnicista. Entretanto, as novas políticas educacionais e as mudanças tecnológicas 
vêm disseminando uma nova visão de supervisor, uma pessoa preocupada com a 
realidade e que almeja modificar a realidade social por meio do seu trabalho interativo. 
Todavia, trata-se de um grito de alerta, uma nova possibilidade de elevar o nível 
educacional do país e dar ao povo a oportunidade de crescer em um espaço 
democrático. 
Assim sendo, o supervisor precisa ser uma pessoa que tenha qualificação 
teórica e busque o aperfeiçoamento constante cuja prática pedagógica seja planejada 
a partir das contribuições que pode dar ao sistema educacional. 
Portanto, suas habilidades devem propor um clima aberto a discussões com os 
demais colegas, onde todos estejam comprometidos com o ensino, onde a humildade 
seja uma das características preponderantes do supervisor. 
Muito ainda se tem a fazer. Acredita-se que mesmo a passos lentos é possível 
fazer da escola um espaço de democracia e de aprendizagens significativas. Nesse 
contexto, o trabalho de pesquisa desenvolvido é uma oportunidade de reflexão, de 
análise do sistema educacional e também um meio de viabilizar novas estratégias de 
trabalho a todo aquele que se preocupa com os caminhos percorridos pela educação. 
 
6 
 
RELEVÂNCIA E AS ATRIBUIÇÕES DO SUPERVISOR EDUCACIONAL EM UMA 
ESCOLA, TENDO COMO FOCO A APRENDIZAGEM 
 
Fonte: www.sp.senac.br/ 
“A escola dos nossos sonhos só será possível quando todos os educadores 
tiverem consciência de que não basta apenas criticar, é preciso em premissa maior, 
vestir a camisa de sua profissão com total responsabilidade”. Roberto Giancaterino 
O supervisor escolar precisa saber dialogar, argumentar e conversar com os 
professores que trabalham com ele. Isto é competência. Saber se expressar. Ser 
competente é ter humildade, auxiliar o professor no seu planejamento, nas realizações 
das atividades. É levar ideias para que os profissionais melhorarem sua prática 
educativa sem parecer mandão, arrogante e sem ser autoritário. Isto é muito 
importante na Instituição. 
Para adquirir essa competência é preciso também disciplina. Ambas andam 
juntas e são necessárias na escola. Uma das competências mais importantes do 
supervisor é ele conseguir passar para os educadores o quanto é fundamental o 
professor semear desejos e estimular projetos, fazendo com que os alunos saibam 
articular seus projetos e ideias pessoais com os da coletividade na qual está inserida. 
Ser competente pode-se dizer também que é saber pedir, ajudar, expressar-se, ser 
flexível e trabalhar em equipe. 
 
7 
 
Para ser competente, é necessário dominar conhecimento. Mas também deve 
saber mobilizá-los e aplicá-los de modo pertinente à situação. Tal decisão significa 
vontade, escolha e, portanto, valores. Essa é a dimensão ética da competência. Que 
também se aprende que também é aprendida. A competência só pode ser constituída 
na prática, não é só saber, mas sim o saber fazer. Aprende-se fazendo, numa situação 
que requer esse fazer determinado. Esse princípio é importante para a educação. 
Desenvolver competência com alunos e professores precisa ir além do ensino 
da memorização de conteúdos abstratos e fora de contexto. É fundamental que eles 
aprendam para que serve o conhecimento, quando e como aplicá-lo. Isso é 
competência. 
Pode-se citar como uma das missões do supervisor escolar o compromisso 
juntamente com os professores de garantir os princípios de liberdade e solidariedade 
humana, no pleno desenvolvimento do educando, no seu preparo para o exercício da 
cidadania e sua qualificação para o trabalho e, para isso assegurar a qualidade de 
ensino, da educação, da formação humana. 
Ao se estabelecer um conceito supervisão, é importante esclarecer o sentido 
etimológico do termo. A palavra Supervisão é formada pelos vocábulos super (sobre) 
e visão (ação de ver). Indica a atitude de ver com mais clareza uma ação qualquer. 
Como significação estrita do termo, pode-se dizer que significa olhar de cima, dando 
uma “ideia de visão global”. 
Afirma Ferreira (1999): supervisor é aquele que: “assegura a manutenção de 
estrutura ou regime de atividades na realização de uma programação/projeto. É uma 
influência consciente sobre determinado contexto, com a finalidade de ordenar, 
manter e desenvolver uma programação planejada e projetada coletivamente”. 
O supervisor escolar faz parte do corpo de professores e tem a especificidade 
do seu trabalho caracterizado pela coordenação – organização em comum – das 
atividades didáticas e curriculares e a promoção e o estímulo de oportunidades 
coletivas de estudo. O papel do supervisor está atrelado à gestão da escola como um 
todo. Uma vez que ele busca junto com o professor minimizar as eventuais 
dificuldades do contexto escolar em relação ao ensino-aprendizagem. 
 
8 
 
 
Fonte: facinepe.edu.br 
Quando questionamos sobre a função ou atribuição do supervisor, as respostas 
são: 
 Coordenar e organizar os trabalhos de forma coletiva na escola, 
oferecer orientação e assistência aos professores, bem como fornecer aos 
mesmos materiais e sugestões de novas metodologias para enriquecer a 
prática pedagógica; 
 Orientar os professores no planejamento e desenvolvimento dos 
conteúdos, bem como sugerir novas metodologias que os avaliem na prática 
pedagógica e aperfeiçoem seus métodos didáticos; 
 Acompanhar o desenvolvimento da proposta pedagógica da 
escola e o trabalho do professor junto ao aluno auxiliando em situações 
adversas. 
O supervisor, como qualquer profissional, em seu curso de formação e em sua 
prática, prepara-se para atuar como especialista, no caso, como coordenadora do 
processo curricular, seja em sua formulação, execução, avaliação ou reorientação. E 
é instrumentalizada para coordenar o processo de construção coletiva do projeto 
político-pedagógico da escola. 
 
9 
 
O tempo é um dos maiores empecilhos da função de supervisor, o de não ser 
cumprido como deveria ser, haja vista que, muitos casos o supervisor procura 
desenvolver seu trabalho de forma superficial, não se aprofundando o necessário, isso 
por que em muitas vezes exerce outra função além da supervisão. É sabido que 
exercer a função de supervisor requer uma visão nobre - a visão geral de 
fundamentos, princípios e conceitos do processo didático. 
A ação supervisora, implica ter-se uma concepção clara a respeito: 
- Da escola como instituição social fincada numa sociedade que tem sua base 
no sistema capitalista; 
- Do sentido que têm a educação e o ensino; 
- Da posição que o sistema de ensino atribui para o supervisor como um dos 
agentes educacionais; 
- Da posição que o próprio supervisor se atribui como agente do ensino e da 
educação; 
- Do objeto específico de trabalho do supervisor escolar e da capacidade de 
observar o cotidiano, para através dele, transformar sua ação. 
A supervisão escolar é relevante, haja vista que a mesma atua no sentido da 
construção de uma competência docente coletiva, por que: 
 Visa ao acompanhamento ao aluno com ajuda de professores, para um 
bom desenvolvimento do ensino-aprendizagem, bem como ajuda no 
fornecimento de materiais alternativos, para tornar conteúdos mais 
atrativos visando sempre uma melhoria

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.