Cadeia respiratória - Resumo
2 pág.

Cadeia respiratória - Resumo


DisciplinaBiologia26.915 materiais536.176 seguidores
Pré-visualização2 páginas
0
Biologia – Resumo
CADEIA RESPIRATÓRIA
As mitocôndrias demarcam o local qual deverá ocorrer a transferência de elétrons – Ou
se preferirmos, local aonde ocorrerá as reações de fosforilação oxidativas. Mitocôndrias
são caracterizadas por possuírem duas membranas Uma externa, e outra interna. Esta
simples divisão, apesar de muitíssimo básica, delimita regiões que irão trabalhar
diferentemente. Justamente como uma organização em salas e biombos, que
marcariam um andar empresarial, o espaço interno das mitocôndrias é funcionalmente
distinto. Sua camada externa é recheada de proteínas (transmembrana) permeáveis
especializadas (chamadas de porinas). Sua membrana interna também possui
transportadores específicos, porém, apresenta capacidade de carrear pequenas
espécies moleculares Tais como prótons. E determina a região mitocondrial
conhecida por matriz. E será nesta c amada interna que estarão alojadas as enzimas
necessárias ao ciclo do ácido cítrico. É tanta proteína agindo sobre seus alvos
prediletos, que os cientistas identificaram e descrever am mais de mil delas, com
direito a algumas centenas, aproximadamente trezentas, de caráter funcional ainda
desconhecidos.
Seria interessante pensar que o número de mitocôndrias das células é diretamente
proporcional à demanda aeró bica de seu tecido. Quer o dizer Tecidos musculares em
geral, e especialmente do coração, e o cérebro são exemplos de regiões corpóreas com
alta demanda energia. E a contagem de mitocôndrias nessas células poderá ultrapassar
facilmente a casa as dezenas, ou até mesmo, a dos milh ares. E também vale ressaltar
que tais mitocôndrias além de DNA próprio, dividem-se por fissão.
A cadeia transportadora de elétrons deverá trabalhar a energia (livre) contida nos
aceptores de elétrons universais – Tais como FADH2 e NADH. Aqui a missão será
efetuar a transferências dos átomos de hidrogênio, que saíram dos intermediários de
outros ciclos oxidativos (como por exemplo o oxalacetato), através de enzima s
desidrogenases, qual deverão levá-los até O2 para que então, seja este reduzido a H2O.
Para que haja tal transferência eletrônica, as membranas mitocondriais possuirão
verdadeiros centros reativos, ricos em ferro e enxofre, ou ainda transportadores
específicos – Como o citocromo e a ubiquinona, também chamada de coenzima Q.
Porém, a pergunta de ouro pode se reduzir a uma dúvida vital – C omo o ATP é
sintetizado, em meio a um carnaval bioquímico? O truque deste processo é que a
separação eletrônica, de prótons e elétrons, realizada através de centros reativos,
proteínas transmembrana e outros transportadores específicos, tais como o citocromo;
1
produz uma força motriz que efetua o retorno dos prótons para a matriz, à medida que
os elétrons (literalmente) passeiam pela membrana interna das mitocôndrias. Eis aq ui
o que os bioquímicos nomeiam de acoplam ento quimiosmótico. Pois, existe relação
(obrigatória) dentre o fluxo dos elétrons através da cadeia respiratória, e a produção de
ATP. Esta energia é o primeiro ingrediente par a se produzir ATP, seguidos de fosfato
inorgânico e ADP. Quem irá realizar a síntese é a bomba de ATP-Sintase.