A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
40 pág.
Aps 1º semestre - UNIP

Pré-visualização | Página 5 de 8

lógico nos métodos demonstrativos. Como este teorema tem grande significado tanto em Álgebra como em Teoria de Funções, ele influenciou ambas as áreas. Mas o estímulo do rigor veio, sobretudo, da Teoria das Funções.
Gauss também teve uma grade participação em reação ao números complexos na forma: Z = a + bi onde i é a parte imaginaria que representa √-1. Gauss já dizia que o conjunto dos números complexos formam um corpo algebricamente fechado.
Isso significa que toda equação algébrica de grau não nulo pode possuir como solução um número complexo. Mais formalmente, a seguinte equação,
 possui pelo menos uma solução complexa.
Este resultado é conhecido como teorema fundamental da álgebra e foi demonstrado primeiramente pelo matemático alemão Carl Friedrich Gauss. Uma consequência deste teorema é que todo polinômio de grau n pode ser decomposto em um produto de n fatores lineares complexos:
Friedrich Gauss participou em outros diversos ramos na matemática e da física trazendo conceitos utilizados até hoje como Em 1828 apresentou o “Teorema Egregium” e ”ideias da curvatura Gaussiana”. Gauss preferia polir sua obra muitas vezes, ao invés de publicar um grosseiro esboço. Seu princípio era: uma árvore com poucos frutos maduros (Pauca sed matura)
.
No diário, há anotações muito pessoais, como por exemplo, em 1798 há o seguinte registro: ΕΥΡΗΚΑ! NUM = v + v + v. Traduzindo-se: Eureka! Todo número positivo é a soma de três números triangulares.
Impactos Produzidos 
Os séculos XVIII e XIV foram marcados por diversas revoluções sócias e políticas, o mundo e a forma de pensar já não eram as mesmas da antiguidade. 
Vemos já de inicio que o século que um dos pontos marcantes do século XVIII foi o Iluminismo, um movimento global, ou seja, filosófico, político, social, econômico e cultural, que defendia o uso da razão como o melhor caminho para se alcançar a liberdade, a autonomia e a emancipação. 
Os iluministas defendiam a criação de escolas para que o povo fosse educado e houvesse liberdade religiosa. Para divulgar o conhecimento, os iluministas idealizaram e concretizaram a ideia da Enciclopédia (impressa entre 1751 e 1780), uma obra composta por 35 volumes, na qual estava resumido todo o conhecimento existente até então.
O nome “Iluminismo” vem mesmo para iluminar a sociedade e fugir desses dogmas trazidos da idade média, indo contra ao poder absolutista, monopólio comercial e principalmente contra a censura.
Temos como participante desse movimento o cientista D’Alembert que escreveu e ajudou na organização da Enciclopédia. Este também foi um grande referencial para os estudos de Carl F. Gauss, com as bases de d’Alembert Gauss chegou ao teorema Fundamental da Álgebra conhecido também como Teorema D’Alembert – Gauss.
Muitos outros casos também tiveram grandes influencias por estes períodos, como a Revolução Francesa que aconteceu em meados de 1789. Na França o poder era Absolutista Monárquico, contava com a maior população do mundo e era dividida em três estados (partes).
1º Clero (Bispos, Abades, Cônicos)
2º Nobreza (Alta Burguesia)
3º Povo (Camponeses, trabalhadores liberais e toda a população restante).
O clero e a nobreza tinham vários privilégios: não pagavam impostos, recebiam pensões do estado e podiam exercer cargos públicos.
O povo tinha que arcar com todas as despesas do 1º e 2º estado. Com o passar do tempo e influenciados pelos ideais do Iluminismo, o 3º estado começou a se revoltar e a lutar pela igualdade de todos perante a lei. 
E nesse clima tenso vivido por toda a sociedade, afinal de contas a França era a maior potencia nessa época, o avanço tecnológico não ficou para traz.
Na Inglaterra começamos a ver a Primeira Revolução industrial, que nada mais era do que a mudança continua de trabalho artesanal e manufatura, para os trabalhos industriais, maquino faturas. Inicio em 1760 com o surgimento das maquinas a vapor, esse foi um dos, senão o maior avanço tecnológico da história.
Com essa “Industrialização” era preciso que se focassem mais em tecnologias e com isso o trabalho dos matemáticos e físicos começou a ganhar mais renome entre a sociedade. 
Muitos cientistas desse período usufruíram destes avanços tecnológicos como incentivo em busca de seus objetivos. Carl F. Gauss também estudou com Pierre Laplace (1749 – 1827) onde, Laplace e Gauss introduzem no início do século XIX duas importantes ferramentas na Estatística, a utilização da distribuição normal para caracterizar os erros (e não apenas como uma aproximação da binomial) e a utilização da distribuição normal como uma distribuição aproximada da média em amostras de grande dimensão (Teorema Limite Central de âmbito geral).
A Segunda Revolução Industrial ocorreu no período de 1860 a 1900 e ao contrário da primeira fase, países como Alemanha, França, Rússia e Itália também se industrializaram. O emprego do aço, a utilização da energia elétrica e dos combustíveis derivados do petróleo, a invenção do motor a explosão, da locomotiva a vapor e o desenvolvimento de produtos químicos foram as principais inovações desse período.
Alguns historiadores têm considerado os avanços tecnológicos do século XX e XXI como a terceira parte da Revolução Industrial. O computador, o fax, a engenharia genética, o celular seriam algumas das inovações dessa época.
A tecnologia até os dias de hoje só vem aumentando, e assim surgindo cientistas que procuram desempenhar o seu melhor, vemos que em diversas épocas existiram um grande número de pessoas que se esforçaram o máximo para atingir um resultado exato, como Carl F. Gauss, que não se sentia satisfeito com a Geometria Euclidiana, Gauss foi a fundo e resolveu o incrível problema do polígono de 17 lados, e a partir dai criou a Geometria Não-Euclidiana baseada em axiomas diferentes de Euclides (323 a. C – 283 a. C).
Mas teve de pagar o preço dessas descobertas. A intensa concentração exigida pela sua obra o afastara quase completamente do convívio de seus semelhantes. Uma lenda conta que, em 1807, ao ser avisado de que sua mulher estava morrendo, levantou os olhos do problema que estava examinando e resmungou: “Manda-a esperar um momento até que eu possa acabar esse problema”.
Gauss assim como Isaac Newton, era um cientista fascinado pela matemática, física e astrologia, e em todo seu trabalho procurou fazer com total perfeição. 
 
Johannes Kepler
Biografia 
Johannes Kepler foi um importante físico alemão, astrônomo e matemático da época do Renascimento Científico (século XVI e XVII). Nascido no dia 27 de dezembro de 1571 na cidade de Weil der Stadt, sul da Alemanha no seio de uma família protestante (Luterana), apesar de morarem em uma cidade católica. Filho de Heinrich Kepler e Katharina Kepler, cujo sobrenome de solteira era Guldenmann, nasceu prematuramente e foi uma criança fraca e com problemas de saúde, no entanto era brilhante e impressionava desde pequeno. Foi apresentado à astronomia ainda criança, e desenvolveu um amor por ela que levou para a vida toda. Com 6 anos de idade, Kepler foi levado pela sua mãe para um lugar elevado para ver o grande cometa que surgiu no céu no ano de 1977, e com 9 anos pôde observar um eclipse total da lua. 
Em 1589 ingressou na Universidade de Tübingen, com o auxílio de uma bolsa de estudos, onde aprendeu sobre teologia e ciências exatas. Ali aderiu à teoria do heliocentrismo, tendo aprendido tanto o sistema heliocêntrico quanto o modelo geocêntrico de Ptolomeu, com Michael Maestlin, um professor de matemática partidário da teoria do movimento planetário, que foi inicialmente desenvolvida pelo polonês Nicolau Copérnico. O sistema heliocêntrico é o que o Sol é o centro do Sistema Solar, sendo assim todos os outros planetas, incluindo a Terra, orbitam em volta dele. Porém na época, o sistema aceito era o geocêntrico, que defendia que a Terra era o centro, e em volta dela orbitavam os planetas, a Lua e o Sol. Quando viu a teoria de Copérnico, Kepler aceitou-a imediatamente, pois acreditava que a simplicidade

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.