A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
TABELA ANTIBIÓTICOS - Infectologia

Pré-visualização | Página 1 de 5

BETA LACTÂMICOS (PENICILINAS) – Podem estar associadas a INIBIDORES DE BETA-LACTAMASE, que aumentam a sensibilidade bacteriana quando o mecanismo de resistência é por ação de betalactamases sensíveis aos inibidores. Qualquer penicilina associado a inibidor da Betalactamase faz com que o espectro aumente e ela pegue microorganismos anaeróbicos.
- Clavulanato – Usa com Amoxicilina e Ticarcilina
- Sulbactam – Usa com Amoxicilina e Ampicilina
- Tazobactam – Usa com Piperacilina
	ANTIBIÓTICO
	MEC. DE AÇÃO
	ESPECTRO
	VIA DE ADMIN.
	EFEITOS ADVER.
	DOENÇAS
	OBSERVAÇÕES
	PENICILINA G
(Naturais)
	-Inibe a síntese da parede celular
(Bactericida)
	-Estreptococos (pyogenes, pneumonae, agalactiae); 
-Cocos gram negativos; 
-Staphylococcus (aureus e epidermidis) (45% resistência)
	-IV – Cristalina
-IM – Benzatina (mantém nível sérico por até 30 dias)
-IM – Procaína (mantém nível sérico por 24-36 horas)
	-Alergias; 
-Dor no local de injeção (IM); 
-Flebites (IV); 
-Tóxico para SNC (doses altas de IV);
	-Faringoamigdalite estreptocócica, profilaxia de doença reumática e 
todas as formas de sífilis (Penicilina Benzatina) / 
-Pneumonia, meningite meningocócica, endocardite, pericardite, abscessos e sífilis congênita também (Penicilina Cristalina) / 
-Pneumonia, faringite, Piodermite, sífilis congênita (Penicilina Procaína)
	-Pode usar em gestantes e lactentes; 
-Possui hipersensibilidade cruzada as demais penicilinas; 
-Excreção renal (não usar em insuficiência renal)
	PENICILINA V
(Naturais)
	-Inibe a síntese da parede celular
(Bactericida)
	-Estreptococos (pyogenes, pneumonae, agalactiae); 
-Cocos gram negativos; 
-Staphylococcus (aureus e epidermidis) (45% resistência)
	-VO (absorção lenta e irregular)
	-Alergias (menor intensidade);
-Náuseas, Vômitos e Diarréias
	-Infecções leves por estreptococos como amigdalites e impetigo (alternativo a Penicilina procaína)
	-Útil em infecções pequenas por estreptococos;
-Uso de 6-6h (baixa adesão ao tratamento)
	OXACILINA
(1ª geração)
	-Inibe a síntese da parede celular
(Bactericida)
	-Cocos gram positivos e Bacilos gram positivos (anaeróbicos e aeróbicos)
-NÃO age em Enterococos
	-IV – Infecções graves;
-VO – Infecções leves;
-IM
	-Alergias; 
-Dor no local de injeção (IM); 
-Flebites (IV); 
-Náuseas, Vômitos e Diarréias (VO)
	-Impetigo; Celulite; Síndrome da pele escaldada; Foliculose; Broncopneumonia; Osteomielite; Meningite; Sepse; Abcesso; Artrite séptica; Endocardite
	-Excreção renal (principalmente) e biliar (menor parte)
-Não causa problemas em pacientes com insuficiência renal
	AMPICILINA e AMOXICILINA
(2ª geração)
	-Inibe a síntese da parede celular
(Bactericida)
	-Cocos gram positivos; 
-Bastonetes gram negativos (H. Influenzae; Enterobacterias); 
-Estreptococos e estafilococos sensíveis (5%)
-NÃO age em Enterococos
-Age em gonococo
	-Ampicilina – VO e IV – tem baixa absorção oral por ser instável ao pH ácido;
-Amoxicilina – VO possui boa absorção
	-Alergias; 
-Náuseas, Vômitos e Diarréias;
-Ampicilina é tóxica para o SNC (altas doses)
	-Meningite (Ampicilina); 
-Infecções brônquicas e das vias superiores (Amoxicilina); 
-Gonorréia uretral
	-Amoxicilina atinge alta concentrações em secreções brônquicas, seios nasais e paranasais, bile e ouvido
-Ampicilina IV atravessa a BHE, útil para meningites
	CARBENICILINA e TICARCILINA
(3ª geração)
	-Inibe a síntese da parede celular
(Bactericida)
	-Cocos e bastonetes gram positivos; 
-Bastonetes gram negativos; 
-Enterococos; 
-Pseudomonas (baixa potência, pega somente algumas cepas)
	-Carbenicilina – VO e IV – tem baixa absorção oral por ser instável ao pH ácido
 
-Ticarcilina – VO e IV
	-Alergias; 
-Ambas tóxicas para o SNC (altas doses); 
-Causam distúrbio de coagulação (pacientes com insuf. renal)
	-Pneumonias, Sepse, Peritonite (Ticarcilina com Clavulanato); 
-Infecções urinárias e prostatites (Carbenicilina)
	-Ambos possui excreção renal; 
-Inúteis contra MRSA e Klebsiella
	PIPERACILINA
(4ª geração)
	-Inibe a síntese da parede celular
(Bactericida)
	-Bastonetes gram negativos; 
-Qualquer anaeróbios; 
-Pseudomonas (potente)
	-IV
-IM
	-Alergias; Flebite (IV);
-Tóxica para o SNC (alta dose); 
-Possui a menor toxicidade de todos
	-Pneumonia, infecção urinária complicada, e infecções intra-abdominais pós-cirúrgicas (Piperacilina com Tazobactam) 
	-Excreção renal (principalmente) e também pela bile
BETA LACTÂMICOS (CEFALOSPORINAS) – Nenhuma cefalosporina pega: Bacteríoides fragillis; Clostridium dificille ou Prevotella sp
	ANTIBIÓTICO
	MEC. DE AÇÃO
	ESPECTRO
	VIA DE ADMIN.
	EFEITOS ADVER.
	DOENÇAS
	OBSERVAÇÕES
	CEFALOTINA e CEFAZOLINA
(1ª geração)
	-Inibe a síntese da parede celular
(Bactericida)
	-Cocos gram positivos (estreptococos e estafilococos); 
-Bacilos gram negativos
	-IM
-IV
	-Hipersensibilidade; Dor no local da injeção (IM); Flebite (IV);
Raramente causa necrose tubular aguda
	-Infecções por estafilococos NÃO MRSA!
	-Ambos possuem excreção renal (maior parte); 
-Usadas com segurança na gravidez;
-Mais nefrotóxicas associadas aminoglicosídeos
	CEFALEXINA e
CEFADROXIL
(1ª geração)
	-Inibe a síntese da parede celular
(Bactericida)
	-Cocos gram positivos (estafilococos e estreptococos); 
-NÃO pega hemófilos, pseudômonas e enterococos (atualmente não pega alguns bacilos gram negativos resistentes)
	-VO (melhor absorvida – sem interferência de alimentos)
	-Hipersensibilidade; Náuseas, vômitos e diarréia;
Dor abdominal
	-Infecções do trato urinário (devido a boa concentrações e ao combater bem E. coli comunitária); 
-Faringoamigdalite; 
-Ferimentos infetados por estafilococos de pequena ou média gravidade (furúnculo, hordéolo, celulite)
-Ferimentos infectados
	-Excreção renal;
-Pode ser usado em gestantes (não é tóxico para o feto)
	CEFUROXIMA
(2ª geração)
	-Inibe a síntese da parede celular
(Bactericida)
	-Cocos gram positivos; 
-Algumas cepas de bacilos gram negativo, e cepas de Cocos gram negativos;
-Hemófilos, Pneumococo e Enterobactérias
	-VO (Acetil cefuroxima é melhor absorvida com alimento/leit)
-IV
-IM
	-Hipersensibilidade; 
Náuseas, vômitos e diarréia; Flebite (IV); Dor no local da injeção (IM)
	Infecção do trato urinário; Gonorréia; Sinusite; Pneumonia; Osteomielite; Faringite; Otite; Infecções de pele; Meningite
	-Única segunda geração que penetra bem o SNC;
-Sabor ruim;
-Excreção renal
	CEFOXITINA
(2ª geração)
	-Inibe a síntese da parede celular
(Bactericida)
	-Cocos gram positivos; 
-Bacilos gram negativos; 
-Anaeróbios (apresenta atividade contra Bacterióides fragillis); 
-NÃO pega Enterococo, MRSA e pseudômonas
	-IV
-IM
	-Hipersensibilidade; Flebite (IV); Dor no local de injeção (IM);
	-Infecções abdominais graves cirúrgicas, para profilaxia (associado a aminoglicosídeos, pois ele induz resistência muito rápido)
	-Excreção totalmente renal (de sua forma ativa)
	CEFTRIAXONA e CEFOTAXIMA
(3ª geração)
	-Inibe a síntese da parede celular
(Bactericida)
	-Bactérias gram positivas; 
-Bactérias gram negativas; 
-Muito potente contra Enterobacterias; 
-Ceftriaxona age em Treponema pallidum e Gonococos
-NÃO age em Pseudomonas
	-IV (principalmente a Cefotaxima)
-IM
	-Hipersensibilidade;
Flebites (IV); Dor no local de injeção (IM); 
-Ceftriaxona causa Kernicteros (desloca o transporte de bilirrubina pela albumina); 
-Ceftriaxona causa lama biliar por atingir altas concentrações na bile e se quelar com sal biliar
	-Meningite (<1mes – Cefotaxima+Ampicilina [devido a Listeria] / Adultos – Ceftriaxona/ >50anos – Ceftriaxona + Ampicilina [devido a Listeria]);
-Gonorréa (Ceftriaxona);
-Sepse por bacilos gram negativos hospitalares;
-Pneumonia (H. Influenzae); 
-Doença de Lyme; 
-Sífilis (pega treponema);
-Abscesso cerebral e Empiema subdural – Ceftriaxona+Metronidazol
	-Menos potentes contra S. aureus e estafilococos

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.