Cidade Linar,  Plano Cerdá, Reforma de Paris e Plano de Haussmann
19 pág.

Cidade Linar, Plano Cerdá, Reforma de Paris e Plano de Haussmann


DisciplinaHistória e Teoria da Arquitetura154 materiais3.892 seguidores
Pré-visualização3 páginas
2.3.2.1 Cidade linear de Soria y Malta 
Arture Sorio y Malta \u201cTodos os problemas da cidade resultam do problema da circulação\u201d.
Arture Sorio y Mata é um engenheiro espanhol especializado em trabalhos públicos, ocupou diversos cargos na administração da cidade Madri e desenvolveu a primeira linha de Tramways para a cidade em 1875 \u2013 sistema de linhas de transporte público comum e elevado e subterrâneo.
 Segundo Ferrari (1977), entre 1882 e 1883, o espanhol Arturo Soria y Mata, através de vários artigos publicados no jornal madrileno \u201cEl Progresso\u201d, onde defendia a ideia de que a raiz de todos os males da época era devido a forma das cidades. A ideia da Cidade Linear de Sorio Y Mata basea-se na expansão das cidades sobre território rural. Em 1833, Soria y Mata publica um artigo com o seguinte tema: Cidade \u2013 problemática; neste artigo é feita uma crítica as vias urbanas (o congestionamento dos centros tradicionais com traçado radioconcêntrico), a insalubridade das habitações, saneamento e aumento da população. Soria acredita que o maior problema dos grandes centros está associado ao fluxo e ao tráfego. 
O foco principal de Arturo Soria y Mata estava voltado para a locomoção, pois deste, segundo Soria e Mata era de onde derivavam \u2013 se todos os demais serviços. Com o objetivo de resolver esses problemas Soria através do desenho urbano crio o conceito de cidade linear, em que descreve o seguinte em suas primeiras publicações sobre esse novo conceito:
 \u201c Uma só rua de 50 metros de largura e 500 de comprimento que fosse necessário, tal será a cidade do futuro, cujos os extremos podem ser Cádiz e São Petersbrugo, ou Pequim e Bruxelas. Coloquem-se ao centro desta imensa rua, ferrovias e rodovias, tubulações para água, gás e eletricidade, piscinas, jardins e de trecho em trecho pequenos edifícios para os diferentes serviços municipais de incêndio, de saúde, segurança e outros, e ficarão resolvidos ao mesmo tempo quase todos os complexos problemas que engendram a vida urbana de grandes massas populacionais. \u201d FERRARI (1977)
Fonte: portalarquitetonico.com.br
A ideia central era a de propor uma cidade que se desenvolvesse ao longo de uma faixa com largura de cinquenta metros (50 m) em linha reta, em que funcionaria como a artéria principal, ao longo dela receberia áreas arborizadas, margeada por duas faixas de terrenos urbanos. O eixo central dessa grande avenida seria percorrido por sistema de transporte férreo.
Figura xx - Projeto de cidade linear de Arturo Soria Y Mata 
Fonte: Google Imagens, modificado pelo autor (2014)
 No desenho acima Soria defendia a ideia de que os equipamentos deveriam ficar nos mesmos quarteirões das áreas residenciais; comercio e serviço, de forma policentrica linear. Com essa proposta o acesso seria bem mais fácil. Ao longo da grande avenida os primeiros lotes eram destinados ao comercio, logo depois dos primeiros lotes era o local destinado a classe média e o equipamentos de serviço e já no final dos quarteirões os últimos loteamentos voltados para a parte rural era destinados as residências de classe baixa.
A cidade idealizada por Sorio y Mata só é viável a partir da implantação de um sistema público de transporte mecânico eficiente. Em que seu crescimento deve ser ilimitado e sempre linear, pois Soria baseava-se na ideia de que para combater o problema de congestionamento nos centros das cidades, deveria ser sempre seguindo a forma linear, que possibilita a redução do tempo gasto com o deslocamento, e assim é feita uma distribuição dos serviços, áreas residenciais e de trabalho. Com tal distribuição ao longo da grande avenida, é evitado o deslocamento de toda a população para um único local nos horários de pico (de trabalho). 
Com relação à morfologia a faixa de terrenos adjacentes, deveria ser recortada por uma malha de ruas, com ruas transversais de 200 m de comprimento e 20 m de largura. Estas ruas seriam margeadas por outra faixa destinada a uso habitacional onde o lote mínimo teria 400 m² , no entanto as edificações só poderiam ocupar um quito dessas área, ou seja só seria ocupado 80 m²; o restante do terreno seriam ocupados por jardins e hortas localizadas ao fundo dos terrenos. As residências deveriam ser unifamiliares.
A proposta de Soria abandona as estruturas tradicionais: quarteirão, praça. Submetendo o desenho urbano à dimensão técnica em que é privilegiado apenas um elemento do processo urbano que é a circulação, em que é determinado a configuração espacial na forma mais racional: a linha reta.
Fonte: portalarquitetonico.com.br
No plano da Cidade Linear, não há setorização de usos, os edifícios administrativos e comerciais, se fundem aos habitacionais na malha urbana \u2013 existe o uso misto do solo.
O Plano Cerdà: A nova Barcelona proposta por Cerdà
Com a revolução industrial do século XIX, o crescimento da indústria têxtil e o crescimento das cidades, devido a migração do campo para as cidade, causou inúmeros problemas, pois com o crescimento da classe operária, que provocou insalubridade nas moradias, acabou culminando em diversos tipos de epidemias; devido as precariedades os conflitos internos eram inevitáveis. A cidade de Barcelona era circundada por antigas muralhas que uma vez a protegeram, mas que agora impediam o crescimento interno para o externo. 
Fonte: Ajuntament de Barcelona (1985). Inicis de la urbanística Municipal de Barcelona.
Fonte: Ajuntament de Barcelona (1985). Inicis de la urbanística Municipal de Barcelona.
A cidade de Barcelona, fez um concurso literário em 1840 para saber a opinião da população sobre as vantagens que a cidade poderia ganhar com a destruição de suas muralhas. O premiado foi \u201cabajo los Muros de Pedro felipe monlau, que foi o primeiro a reivindicar a expansão da cidade para além dos muros. Logo Ildelfonso Cerdá aparece me cena, filho de uma família proprietários liberais, nasceu em San Martí de Centelles, em 23 de dezembro de 1815.
Nas décadas de 1850 e 1860 Cerdá se torna Conselheiro Municipal de Barcelona. Por volta de 1850, Cerdà começa seus estudos sobre a cidade de Barcelona e sua extensão. Em 1854, o governo decide oficialmente derrubar as muralhas, o que abre caminho para realização de um novo plano para a cidade.
A proposta do plano de Cerdà para a cidade de Barcelona, aprovada em 1859, apresenta uma intervenção completamente diferente. Os dois traçados urbanísticos básicos na época, era a quadrícula e o radial (neste caso o segundo subordinado ao primeiro) eram fundidos em um grande retângulo de sessenta por vinte módulos, que estava localizado no espaço livre deixado entre a cidade medieval e os povoados vizinhos, cortados por duas diagonais.
Fonte: https://arquitetandoblog.wordpress.com/2009/05/29/idelfonso-cerda-plano-de-expansao-de-barcelona
Imagem: Eixo viário proposto por Cerda 1859
Fonte: Cerdà, 1967
 O plano consiste em misturar os eixos radiais com as malhas quadriculadas, para explicar esse conceito cerda utiliza a analogia de pequenos rios que desaguam em rios maiores. Cerda chama de intervias os espaços entre os espaços viários, as quadras, portanto são os espaços contidos entre os sistemas viários. Assim reforçando que as quadras e as vias formam uma estrutura única e interdependente.
Cerdá foi um dos primeiros arquitetos e urbanistas a reivindicar melhores condições de vida de forma radical, com isso a primeira condição na criação da nova cidade seria a moradia, considerada como suporte fundamental da qualidade de vida. As casas planejadas por Cerdà tinham como principal característica a privacidade do indivíduo em seu lar, com condições adequadas de vida, a presença de sol, vento, ar e luz natural, deveriam estar presentes nas habitações e o custo, adaptação do empreendimento para a classe operária.
Fonte: https://arquitetandoblog.wordpress.com/2009/05/29/idelfonso-cerda-plano-de-expansao-de-barcelona/
A partir do reconhecimento da quadrícula como o traçado que reúne vantagens na circulação, topológica, construtiva, assim Cerdá chega