PORTFOLIO
34 pág.

PORTFOLIO


Disciplina3 Periodo Porfolio Rh Unopar2 materiais20 seguidores
Pré-visualização6 páginas
\ufffdPAGE \ufffd
Bayeux-PB
2017
SUMÁRIO
31	INTRODUÇÃO	\ufffd
52	DESENVOLVIMENTO	\ufffd
52.1 RECRUTAMENTO E SELEÇÃO	\ufffd
62.1.1	AS GERAÇÕES NO MERCADO DE TRABALHO	\ufffd
92.1.2	DESCRIÇÃO,ANALISE DE CARGOS E PERFIL PROFISSIONAL	\ufffd
102.1.3	RECRUTAMENTO DE TALENTOS	\ufffd
10Recrutamento Interno	\ufffd
11Recrutamento EXTERNO	\ufffd
11Recrutamento MISTO	\ufffd
122.1.4	PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE SELEÇÃO	\ufffd
132.2 LEGISLAÇÃO E PRÁTICAS TRABALHISTAS	\ufffd
132.2.1ASSEDIO MORAL INDIVIDUAL E ORGANIZACIONAL	\ufffd
182.3.1 O CHECK LIST NA AUDITORIA EM RH	\ufffd
203. CONSIDERAÇÕES FINAIS	\ufffd
21REFERÊNCIAS	\ufffd
22ANEXOS	\ufffd
\ufffd\ufffd
INTRODUÇÃO
O presente trabalho foi desenvolvido durante o 3º período do curso de Gestão de Recursos Humanos. E pretendemos discutir o papel estratégico do RH, apresentando as funções da área, de acordo com o artigo Gestão de Pessoas não é com o RH! E abordaremos as seguintes etapas: Recrutamento e Seleção, As gerações no mercado de trabalho, Descrição, analise de cargos e perfil profissional, Recrutamento de talentos, Planejamento e realização de seleção, Legislação e práticas trabalhistas, Assedio moral individual e organizacional e o check list na auditoria em RH.
Atualmente a área de Recursos Humanos deixou de ser um mero departamento de pessoal para se tornar o personagem principal de transformação dentro da organização. Gerir pessoas não é mais um fator de uma visão mecanicista, sistemática, metódica, ou mesmo sinônimo de controle, tarefa e obediência. E sim, discutir e entender o disparate entre as técnicas tidas como obsoletas (tradicionais) com as modernas (gestão de pessoas). 
\u201cA administração de recursos humanos (ARH) funciona em um conjunto de organizações e de pessoas. Administrar pessoas significa lidar com pessoas que participam de organizações. Mais do que isto, significa administrar com as pessoas. Fazer de cada pessoa um verdadeiro administrador de suas funções dentro da organização, em qualquer nível em que esteja situada ou em qualquer atividade que deva executar. Assim, organizações e pessoas constituem a base fundamental na qual funciona a ARH.\u201d (CHIAVENATO, 2006, p.21). 
Segundo o consultor brasileiro José Luiz Bichuetti, autor da obra Gestão de pessoas não é com o RH! Considera que os gestores não sabem como tratar um tema que envolve seus subordinados, ou não têm coragem de fazê-lo, e empurram a responsabilidade lateralmente para seus colegas da área de RH. Para Bichuetti (2015), os responsáveis pela gestão de pessoas numa organização são os gestores e não a área de RH. Ele defende que a área de RH é estratégica e deve ser parceira de negócios dentro da organização. 
A gestão de Recursos Humanos, junto com outras áreas da empresa, deve estar presente na realidade estratégica das organizações, a fim de contribuir para o crescimento e desenvolvimento da organização. A área de Recursos Humanos (ARH) não está limitada a promover ou comunicar um aumento de salário, resolver conflitos, comunicar uma demissão, selecionar pessoas, e identificar necessidades de treinamento.
Segundo Bichuetti, em uma grande quantidade de empresas, o departamento de Recursos Humanos é um mero gestor na área de recrutamento e seleção, rescisão ou benefícios. \u201cMas não deveria ser assim\u201d, condena Bichuetti. \u201cE não estou dizendo que o Recurso Humano tem uma atribuição menos importante do que cuidar das pessoas. Ao contrário: defendo-a como maior que isso, uma parceira de negócios na organização\u201d, diz o especialista.
Para mudar esse paradigma, Bichuetti diz que alguns pontos da gestão devem ser revisados: \u201cOs líderes devem passar a encarar o capital humano como ativo, os executivos devem se preparar mais para gerir o seu pessoal e a área de Recursos Humanos deve ser mais valorizada nas empresas\u201d, defende Bichuetti.
Dentro das organizações, uma das dicas de Bichuetti é que o departamento de RH esclareça sua função aos colaboradores, defenda sua ideia e função mais estratégica dentro da empresa. \u201cAinda vemos muitos departamentos de RH submissos, debilitados, sem estatura, que aceitam qualquer condição, função e expectativa. Há muitos casos de gestores de RH que se tornam figuras meramente operacionais\u201d, relata o consultor.
DESENVOLVIMENTO
O setor de Recursos Humanos vem ganhando espaço e mostrando que nos dias de hoje o grande diferencial no resultado final é a pessoa. As expressões hoje utilizadas como concorrência acirrada, globalização e instabilidade, tornaram-se vivas no mundo dos negócios Entende-se que a empresa deve estar bem preparada e com funcionários capacitados para enfrentar as mudanças.
Cada vez mais, a empresa tem necessidade de se adaptar às mudanças do ambiente externo em pouco tempo, e isso acaba exigindo que o setor de Recursos Humanos trabalhe dobrado, buscando recrutar e selecionar os candidatos, sejam eles como recrutamento interno, externo ou recrutamento misto, e isto se deve ao fato da necessidade das organizações terem que estar sempre revendo suas carências de recurso humano há curto, médio e longo prazo (CHIAVENATO, 2006).
Atrair e manter talentos são o grande desafio da gestão de pessoas. O início deste desafio está em identificar a pessoa certa para o lugar certo nas empresas.
Com o processo de recrutamento e seleção de pessoas eficiente e eficaz, o setor de recursos humanos da empresa passa a poder caminhar com mais segurança na realização dos processos de gestão de pessoas, e isto é fundamental para que a empresa consiga se adaptar as ligeiras mudanças do cenário mundial.
2.1 RECRUTAMENTO E SELEÇÃO
Considera-se recrutamento o meio de encontrar e atrair candidatos para as posições abertas na organização, portanto, é de suma importância que este processo esteja bem elaborado e que possua muitos candidatos, pois deve alimenta o processo de seleção, que deve disponibilizar de muitas e boas opções.
O processo de recrutamento e seleção vem se aperfeiçoando a cada dia, quando uma organização necessita de novas contratações, raramente dava oportunidade de promoção aos funcionários.
O recrutamento é um processo que varia de acordo com cada organização, e isto está diretamente atrelado ao processo de abertura de vaga do setor, sendo assim permitido ao órgão de recrutamento da empresa dar início a este processo, pois ainda nos dias de hoje o setor de RH é visto como staff (apoio)..
Para se chegar a excelência em recrutamento e seleção, é preciso saber quais as reais necessidades e como se deseja supri-la, no que abrange a carência de recursos humanos, e a partir dai tomar a decisão cabível (ARAUJO E GARCIA, 2009).
AS GERAÇÕES NO MERCADO DE TRABALHO
Muito se fala sobre os conflitos entre as gerações X, Y e Z, principalmente no que diz respeito às diferenças encontradas no perfil profissional de cada uma delas. Apesar de possuírem algumas semelhanças, os indivíduos dessas gerações apresentam características, linguagens e comportamentos únicos e expressivos que, quer queira quer não, acabam por influenciar os mecanismos do mercado de trabalho.
O jeito de pensar, o modo de se expressar, a velocidade com que faz e a intensidade com a qual deseja. Estes são apenas alguns pontos que mostram com clareza as diferenças entre as gerações que hoje dividem espaço nas empresas. 
Geração Baby Boomer
A Geração Baby Boomer surgiu logo após o fim da Segunda Guerra Mundial. Hoje, estas pessoas estão com mais de 45 anos e se caracterizam por gostarem de um emprego fixo e estável. No trabalho seus valores estão fortemente embasados no tempo de serviço, e preferem ser reconhecidas pela sua experiência à sua capacidade de inovação. Nos dias de hoje os pertencentes à geração Baby Boomer, em sua maioria, ocupam os cargos de diretoria e gerência nas empresas. Por exercerem funções de chefia, e muitas vezes em nível estratégico, chocam-se diretamente contra as gerações mais jovens no que diz respeito aos seus ideais, o que ocasiona um contraste de comportamento e valores considerável, que já é apreciado com grande cuidado