Caso Concreto Direito do Trabalho II (1 ao 16) Jun 2018
7 pág.

Caso Concreto Direito do Trabalho II (1 ao 16) Jun 2018


DisciplinaDireito do Trabalho II3.759 materiais12.541 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Caso Concreto 1
Ana Lúcia ingressou na empresa Brasil Serviços Ltda. em 15.04.2009 na função de auxiliar de serviços gerais. As férias do período 2009/2010 foram usufruídas de 01.03.2011 a 30.03.2011. Ocorre que o empregador só efetuou o pagamento destas férias quando do seu retorno ao trabalho em 31.03.2011. Além disso, Ana Lúcia recebeu a título de férias o mesmo valor do salário recebido no mês anterior, sem qualquer acréscimo. Ana Lúcia procurou o escritório de advocacia para saber se foi regular a atitude da empresa e se tem direito a algum valor a título de férias. Qual a orientação você daria para Ana Lúcia? Justifique.
Resposta: As férias estão dentro do período concessivo. Pois o empregador tinha até abril de 2011 para conceder.
Porém, não adianta conceder as férias na época correta, também tem que pagar corretamente, porque se usufruiu no dia correto, mas não pagou até 2 dias antes, o empregador vai te r que PAGAR DOBRADO - Vai incidir uma PENALIDADE que é a DOBRA. Ana Lúcia tem direito de pleitear o pagamento das suas férias em DOBRO. As suas férias têm que ser pagas em dobro. Apesar de concedidas no período concessivo as férias não foram pagas de forma correta.
Vai receber em DOBRO pois não recebeu as férias acrescidas do terço c onstitucional, e até 2 dias antes de entrar de férias. (Art. 145, CLT) \u2013 2 dias antes de entrar de férias. Súmula 450 TST \u2013 Pagamento em dobro. (Art.7º, XVII, CF/88) \u2013 Garantia Constitucional (Terço Constitucional) 
Caso Concreto 2
Lúcia trabalha na sede de uma estatal brasileira que fica em Brasília. Seu contrato vigora há 12 anos e, em razão de sua capacidade e experiência, Lúcia foi designada para trabalhar na nova filial do empregador que está sendo instalada na cidade do México, o que foi imediatamente aceito. Em relação à situação retratada e ao FGTS, é preciso recolher o FGTS de Lúcia, assim como para todos os empregados transferidos para o exterior?
Resposta: Lúcia terá direito ao depósito do FGTS enquanto estiver trabalhando no México, que deverá continuar sendo depositado na sua conta vinculada no Brasil.
Caso Concreto 3
Maria, foi contratada pela empresa ABC Ltda, para trabalhar com contrato de experiência de 90 dias, ressalvando que o contrato continha cláusula assecuratória de direito recíproco de rescisão, a empregadora rescindiu o contrato antecipadamente, tendo completado apenas 60 dias de pacto. Diante do caso apresentado pergunta-se:
A) É devido o aviso prévio a Maria?
Resposta: Segundo Art 481 CLT que assegura as partes a se arrependerem antecipadamente, cabendo nesse caso o aviso prévio, então sim é devido o aviso prévio a Maria.
B) Em caso afirmativo, quantos dias de aviso prévio a empresa ABC Ltda deve a Maria?
Resposta: Dois meses, ou seja 60 dias .
Caso Concreto 4
Maria foi contratada em 17/05/2010 pela Indústria Automobilística Vitória S/A. Em 25/03/2016 sofreu acidente de trabalho ficando incapacitada para o trabalho até 01/04/2016, quando obteve alta médica e retornou ao serviço. Em 03/06/2016 foi dispensada sem justa causa. Maria entende ser detentora da estabilidade acidentária, razão pela qual ajuizou ação trabalhista postulando sua reintegração no emprego. Diante do caso apresentado, responda se as seguintes indagações:
A) Quais os requisitos necessários para a concessão da estabilidade acidentária? Justifique indicando o prazo da garantia de emprego.
Resposta: Para a concessão a estabilidade acidentária de 12 meses deverá, o empregado, ter os seguintes requisitos: 
a) Ter ocorrido um acidente de trabalho ou doença a ele equiparado; 
b) Ter o empregado recebido auxílio-doença; e 
c) Ter obtido alta médica.
B) No caso apresentado, Maria terá êxito na ação trabalhista? Justifique
Resposta: Não. Porque Maria Antonieta ficou incapacitada por apenas sete dias não recebendo, assim, o auxílio-doença, que é um dos requisitos para obter a estabilidade acidentária.
Caso Concreto 5
Cristóvão Buarque, advogado, exerce a função de professor de Direito na Universidade Campo Belo desde sua admissão em 01/02/2010. Em 10/05/2015 foi eleito dirigente sindical do Sindicato dos Advogados, com mandato de 3 (três) anos. Ao longo do contrato de trabalho Cristóvão vem descumprido reiteradamente as ordens estabelecidas pela Universidade em seu regulamento interno, o que gerou a aplicação de várias advertências e suspensões, provocando diversos transtornos para o trabalho. Diante do caso relatado, responda justificadamente:
A) A Universidade Campo Belo poderá dispensar Cristóvão Buarque sem justa causa? Justifique.
Resposta: no caso em questao a universidade poderá dispensar sem justa causa, pois cristovão é diretor sindical da categoria dos advogados não dos professores, portanto nao possui estabilidade sindical. súmula 369, inc. III do TST
B) Na hipótese de rompimento do contrato de trabalho por justa causa, em que modalidade seria enquadrada a conduta faltosa? Justifique indicando o fundamento legal.
Resposta: Será enquadrado por falta grave, tendo a necessidade de inquérito judicial, conforme súmula 379 do TST.
Caso Concreto 6
Após ter completado 25 (vinte e cinco) anos de trabalho na empresa Gama Ltda, Pedro Paulo conseguiu junto ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) o deferimento de sua aposentadoria por tempo de contribuição, que somando ao período prestado para outras empresas, completou o tempo de contribuição exigido pela Autarquia Federal para a concessão da aposentadoria voluntária. No entanto, embora Pedro Paulo tenha levantado os valores depositados no FGTS, em razão da aposentadoria, não requereu seu desligamento da empresa, por não conseguir sobreviver com os proventos da aposentadoria concedida pelo INSS, porque seus valores são ínfimos e irrisórios. Assim, permaneceu no emprego trabalhando por mais 5 (cinco) anos, quando foi dispensado imotivadamente. Diante do caso apresentado, responda justificadamente:
A) A aposentadoria espontânea extingue o contrato de trabalho quando o empregado continua trabalhando após a aposentadoria? Justifique indicando a jurisprudência do TST e do STF sobre a matéria.
Resposta: Não, a aposentadoria não extingue o contrato de trabalho, haja visto que nos termos da OJ 361 SDI-1TST, A aposentadoria espontânea não é causa de extinção do con trato de trabalho se o empregado continuar prestando serviço ao empregador após a jubilação. 
B) A indenização compensatória de 40% do FGTS incide sobre todo o contrato de trabalho, ou somente no período posterior à aposentadoria?
Resposta: Sim, de acordo com a OJ 361 SDI-1 TST, o empregado tem direito a multa de 40% do FGTS sobre a totalidade dos depósitos efetuados no curso do pacto laboral, por ocasião da sua dispensa imotivada. 
Caso Concreto 7 
Marcos Vinícius foi contratado pelo Banco Alfa S/A na função de vigilante em 01/10/2015. Em 13/08/2016 Marcos faltou ao serviço injustificadamente, tendo sido advertido por escrito. Marcos Vinícius já havia faltado outras vezes, sem qualquer justificativa tendo sido advertido em todas as ocasiões. No dia 16/01/2017, Marcus Vinícius voltou a faltar sem qualquer justificativa, desta vez foi punido com 3 (três) dias de suspensão. Ao retornar da suspensão o Banco Alfa S/A resolveu dispensar Marcos Vinícius por justa causa. Diante do caso apresentado, responda justificadamente: O Banco Alfa S/A agiu corretamente ao dispensar Marcus Vinícius por justa causa? Justifique.
Resposta: Sim, segundo art 482 e sua alíneas o empregador agiu de forma correta pois as faltas injustificadas por parte do empregado podem podem acarretar sua dispensa por justa causa . 
Caso Concreto 8
Tales, empregado da empresa Bom Garfo, falsificou atestado médico para justificar suas faltas e consequentemente não ter desconto em sua remuneração. Neste caso, Tales cometeu falta grave passível de demissão por justa causa, uma vez que praticou ato de desídia". No caso apresentado, a tipificação pelo empregador (desídia)
Vitória
Vitória fez um comentário
Bom dia, alguem pode me informar sobre o art. no caso concreto 16. Não estou encontrando no vade
0 aprovações
Maicon
Maicon fez um comentário
Carolina, peço desculpas pela demora, são sim. Fiz no semestre passado
0 aprovações
Carolina
Carolina fez um comentário
bom dia! esses casos são já com a reforma trabalhista?
1 aprovações
Carregar mais