Resumo de Psicopato 1   Alterações das Funções Psíquicas   5 Semestre
12 pág.

Resumo de Psicopato 1 Alterações das Funções Psíquicas 5 Semestre

Disciplina:Psdicologia5 materiais7 seguidores
Pré-visualização5 páginas
CONSCIÊNCIA E SUAS ALTERAÇÕES

“Função psíquica central da atividade psíquica como um todo”

O QUE É?
Conhecimento compartilhado consigo mesmo: Conversar comigo o que está acontecendo
Definição neuropsicológica: Estado vigil, ou seja, estar desperto, acordado, lúcido
Definição psicológica: Soma de experiências conscientes de um indivíduo em um momento, como este está em contato com a realidade e com o ambiente, como percebe e conhece seus objetos
Definição ético-filosófica: Capacidade de tomar ciência dos deveres éticos e assumir responsabilidades, direitos e deveres

ALTERAÇÕES NORMAIS
Sono normal: Que ocorre de forma recorrente e cíclica, sendo necessário e normal. Porém, quando este sono normal não está sendo suprido, em casos de insonia, terror noturno, pesadelos, ou seja, quebrando os ciclos normais, isso irá refletir quando ele estiver acordado causando sonolencia, cansaço, dificuldade de concentração
Sonho: Alteração qualitativa da consciência, uma experiência fragmentada da consciência.

ALTERAÇÕES PATOLÓGICAS
Alterações quantitativas: rebaixamento ou elevação do nível de consciência, estado vigil
Graus de rebaixamento da consciência:
Obnubilação da consciência: grau mais leve, rebaixamento de leve a moderado, diminuição do grau de clareza do sensório, lentidão da compreensão, dificuldade de concentração, pensamento ligeiramente confuso;
Sopor: Turvação da consciência, sonolência evidente, incapacidade de ação espontânea, inibição da psicomotricidade, só sente coisas muito intensas;
Coma: Grau mais profundo, impossibilidade de qualquer atividade voluntária, ausência de indício de consciência;
Sindromes psicopatológicas associadas ao rebaixamento do nível de consciência: como envolve outro sintomas é melhor falar de sindromes e não graus. São muito próximos, hoje em dia pode chamar tudo de Delirium
Delirium: rebaixamento do nível de consciência acompanhado de desorientação temporoespacial, ansiedade, agitação ou lentificação psicomotora, ilusões e/ou alucinações visuais;
Estado onírico: turvação da consciência e confusão mental acompanhadas de um estado semelhante a um “sonho vívido”, presença de alucinações visuais intensas, angústia, pavor – deve-se a psicoses tóxicas, síndrome de abstinência e quadro febris tóxico-infecciosos;
Amência: quadros mais ou menos intensos de confusão mental, com excitação psicomotora, incoerência do pensamento, perplexidade e alucinações;
Alterações qualitativas: estreitamento do campo da consciência, ou seja, uma parte está preservada e outra alterada, mesmo que o estado vigil esteja preservado	
Estados crepusculares: estreitamento transitório do campo da consciência com a conservação de uma atividade psicomotora global mais ou menos coordenada, duração varia de poucas hora a algumas semanas, ocorrência de atos de explosão violenta e de descontrole emocional – histeria aguda, epilepsia e intoxicações.
Dissociação da consciência: fragmentação ou divisão do campo da consciência com perda da unidade psíquica, duração de minutos ou horas, pode ser um afastamento do eu e da minha personalidade ou despersonalização, como se não achasse que foi ele que fez algo – histeria e ansiedade extrema.
Transe: dissociação da consciência semelhante a um sonho acordado, presença de atividade motora automática e estereotipada, suspensão parcial dos movimentos voluntários – necessidade de diferenciar o transe religioso do transe histérico.
Estado hipnótico: estado de consciência reduzida e estreitada, pode ser induzido por outra pessoa, aumento da sugestionabilidade.

COMO PERCEBER?
Reflete em todo o psiquismo, por isso deve ser avaliado primeiro
Afeta, normalmente, as outras funções e essas se tornam caóticas
Paciente desperto ou sonolento
Paciente perplexo
Paciente com dificuldade de integrar coerentemente os estímulos ambientais
Paciente mais lento
Caos, confusão, turvação
Pela orientação, principalmente têmporo-espacial, que muitas vezes pode avaliar o nível de consciência

ATENÇÃO E SUAS ALTERAÇÕES

O QUE É?
Direção da minha consciência: quais estímulos direciono ela
Estado de concentração da atividade mental sobre determinado objeto
Natureza: Voluntária(concentração ativa e intencional sobre um objeto, quero prestar atenção) ou Espontânea (suscitada pelo interesse momentâneo, incidental)
Direção: Externa (voltada para o mundo exterior ou para o corpo) ou Interna (voltada para os processos mentais do próprio indivíduo)
Amplitude: Focal (concentração sobre um campo determinado e delimitado da consciência) ou Dispersa (concentração sobre um campo menos delimitado)
Característica: Seletiva (capacidade de seleção de estímulos e objetos específicos), Sustentada (manutenção da atenção seletiva), Tenacidade (capacidade de fixação da atenção sobre determinada área ou objeto), Vigilância: Qualidade que permite a mudança de foco de um objeto para outro

ALTERAÇÕES PATOLÓGICAS (ANORMALIDADES)
Hipoprosexia: perda básica da capacidade de concentração com fadigabilidade aumentada, lembranças mais difíceis e imprecisas, dificuldade no pensar, raciocinar e integrar informações.
Aprosexia: total incapacidade de atenção.
Hiperprosexia: atenção exacerbada, tendência obstinada em manter a atenção sobre certos objetos com infatigabilidade.
Distração: superconcentração da atenção sobre determinados conteúdos ou objetos com a inibição da percepção dos demais estímulos.
Distraibilidade – instabilidade marcante e mobilidade acentuada da atenção voluntária com dificuldade de fixação.

COMO PERCEBER?
Muitas vezes a pessoa se queixa pela falta de memória, mas na verdade pela diminuição de atenção e concentração tem dificuldade para lembrar, raciocinar e integrar as coisas
Paciente mais mais cansado
As vezes presta atenção demais em algumas coisas, mas se desliga em outras coisas
Aparece em muitos quadros maniacos e depressivos
Hiperatividade, impulsividade, impaciência

	ORIENTAÇÃO E SUAS ALTERAÇÕES

O QUE É?
Capacidade de situar-se quanto a si mesmo e ao ambiente
Orientação autopsíquica: do indivíduo em relação a si mesmo (quem eu sou? Quando nasci? Entender a diferença de si e do outro)
Orientação alopsíquica: em relação ao mundo, ao ambiente (temporal e espacial)
Orientação temporal: consciência do momento cronológico (hora, dia, mês, ano)
Orientação espacial: consciência do local em que se encontra (bairro, cidade, estado, país, distâncias)

ALTERAÇÕES PATOLÓGICAS
Desorientação torporosa ou confusa: (Alteração da consciência) desorientação por turvação da consciência produzindo alterações da atenção, da concentração e da capacidade de integração dos estímulos ambientais; dificuldade na percepção da cronologia dos fatos.
Desorientação amnéstica: (Alteração da memória) incapacidade de fixação na memória de informações ambientais básicas; perda da noção do fluir do tempo e do deslocamento no espaço – síndrome de Korsakoff.
Desorientação demencial: (Alteração da memória/consciência) ocorre pela perda da memória de fixação, por um déficit do reconhecimento ambiental e pela desorganização global das funções cognitivas – quadros demenciais diversos.
Desorientação apática ou abúlica: (Alteração do humor) deve-se a uma marcante alteração do humor e da volição – depressões graves.
Desorientação delirante: (Alteração do juizo) vivência de idéias delirantes onde há a convicção de “habitar” o lugar dos delírios.
Desorientação oligofrênica: incapacidade ou dificuldade em compreender o ambiente e de reconhecer e interpretar as normas sociais que padronizam a orientação do indivíduo no mundo – déficits intelectuais graves.
Desorientação histérica: (Alteração da consciência) geralmente é acompanhada de alterações da identidade pessoal e de alterações da consciência – histeria grave.
Desorientação por desagregação: atividade mental gravemente desorganizada impedindo a orientação adequada em relação ao ambiente e a si próprio – psicoses crônicas.
Desorientação quanto à própria