A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
273 pág.
Apostila direito previdenciario[1]

Pré-visualização | Página 49 de 50

R$ 1025, 81. 
 
Questão 4 
Guilherme foi segurado da Previdência Social até outubro de 2013 e recebia, a 
título de auxílio-doença, R$ 678,00. Em dezembro de 2013, envolveu-se com 
 
 DIREITO PREVIDENCIÁRIO 222211116666 
drogas e foi recolhido à prisão em regime fechado, fugindo em maio de 2014. 
Ele convivia em união estável com Vanessa e, na data do recolhimento à prisão, 
já tinha dois filhos em comum, menores de 21 anos. Na época da prisão, 
Vanessa estava brigada com Guilherme, morava na casa da mãe e estava de 
namorico com João, seu colega de trabalho. Nessa situação: 
a) Vanessa, por ter filhos com Guilherme, está legitimada a receber auxílio-
reclusão. 
b) Nenhum dependente poderá receber o auxílio-reclusão em razão da 
fuga. 
c) O auxílio-reclusão será devido a Vanessa e aos filhos da data do 
recolhimento à prisão até a data da fuga. 
d) O auxílio-reclusão seria devido somente a Vanessa, se estivesse 
convivendo com Guilherme à época da prisão. 
e) O auxílio-reclusão será devido aos filhos de Guilherme, desde o 
recolhimento à prisão até que completem 21 anos. 
 
Questão 5 
Sobre o auxílio-reclusão, marque a alternativa correta. 
a) A condição essencial para o recebimento do auxílio-reclusão é que o 
recluso não perceba remuneração da empresa nem esteja aposentado ou 
recebendo abono de permanência em serviço, podendo, tão somente, 
estar gozando o auxílio-doença. 
b) A carência do auxílio-reclusão é de 12 meses. 
c) A renda mensal inicial do auxílio-reclusão é de 90 % (noventa por cento) 
do valor do salário-de-benefício. 
d) Em relação ao tipo de prisão, o requisito para a concessão do auxílio-
reclusão está no fato de o segurado estar preso, independente de ser a 
prisão arbitrária, cautelar, provisória, definitiva ou domiciliar. 
e) O direito ao auxílio-reclusão independe da condição de baixa renda do 
segurado e de seus dependentes. 
 
 
 
 DIREITO PREVIDENCIÁRIO 222211117777 
Chaves de resposta 
Aula 6 
Exercícios de fixação 
Questão 1 - C 
Justificativa: À época do óbito, Ruy poderia estar aposentado por idade, já que 
contava com 67 anos de idade e com mais de 15 anos de contribuição 
previdenciária, visto que possuía vínculo empregatício com as Lojas 
Americanas, cumprindo os requisitos de carência (Artigo 142, da Lei 8.213) e 
idade. A perda da qualidade de Ruy por não ter pago as contribuições na 
qualidade de contribuinte individual não afeta o direito adquirido de ter 
aposentadoria por idade, pois preenchidos os requisitos nos termos do Artigo 
102 da Lei 8.213 
Disponível em: 
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8213cons.htm 
 
Questão 2 - B 
Justificativa: Súmula 37 da TNU: “A pensão por morte, devida ao filho até 21 
anos de idade, não se prorroga pela pendência do curso universitário”. 
 
Questão 3 - D 
Justificativa: Artigo 201, IV, da Constituição Federal.“Artigo 201. A previdência 
social será organizada sob a forma de regime geral, de caráter contributivo e de 
filiação obrigatória, observados critérios que preservem o equilíbrio financeiro e 
atuarial, e atenderá, nos termos da lei, a: IV - salário-família e auxílio-reclusão 
para os dependentes dos segurados de baixa renda.” 
 
Questão 4 - B 
Justificativa: Artigo 117, § 2º, do Decreto 3049, de 1999: “No caso de fuga, o 
benefício será suspenso e, se houver recaptura do segurado, será restabelecido 
a contar da data em que este ocorrer, desde que esteja ainda mantida a 
qualidade de segurado.” 
 
 DIREITO PREVIDENCIÁRIO 222211118888 
“Deve-se observar que, não havendo a suspensão do benefício no caso de 
evasão, a família poderia ficar percebendo indefinidamente o benefício, 
supondo-se aí que o foragido jamais retornaria ao lar, nem proveria à 
subsistência dos seus. Assim sendo, em que pese eventual injustiça com a 
família do fugitivo não amparada após a fuga, andou bem, a nosso ver, o 
legislador nesse caso” (In:Prática Processual Previdenciária, p. 400). 
 
Questão 5 - D 
Justificativa: A razão do auxílio-reclusão é garantir à família do preso a sua 
subsistência, em função do princípio da solidariedade social. Ainda que o 
Decreto 3.048 faça menção à prisão privativa de liberdade em regime aberto ou 
regime semiaberto, o fato é que a prisão, seja definitiva ou provisória, dá 
ensejo ao recebimento de auxílio-reclusão pelos dependentes de segurado de 
baixa renda. Para Marcelo Leonardo Tavares, o auxílio-reclusão é incompatível 
com a prisão processual civil. Destaca o autor que: “como esta modalidade de 
prisão somente deve ser utilizada se a pessoa, podendo, não cumpre a 
obrigação alimentar ou de depositário, ficaria sem sentido, em relação ao 
caráter coercitivo, manter o pagamento de benefício para os dependentes, o 
que, em alguns casos, poderia servir de incentivo ao próprio descumprimento 
da obrigação”. (In: Direito.) 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 DIREITO PREVIDENCIÁRIO 222211119999 
Aula 7: Custeio da Seguridade 
Social 
Introdução 
Hoje nós vamos tratar do custeio da seguridade social. 
 
Vamos estudar as contribuições previdenciárias, por meio das quais são 
custeados os benefícios e serviços previdenciários. 
 
Objetivo: 
1. Conhecer as contribuições previdenciárias. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 DIREITO PREVIDENCIÁRIO 222222220000 
Conteúdo 
Sistemas de custeio 
Separam-se os sistemas em relação ao custeio, entre outras classificações, de 
acordo com a fonte de arrecadação da receita necessária ao desempenho 
da política de proteção social. Dessa forma, temos os sistemas contributivos e o 
não contributivo. 
 
O sistema contributivo adota em seu regulamento que a arrecadação dos 
recursos financeiros para a ação na esfera do seguro social não se dá por meio 
de aportes diferenciados dos tributos em geral, de modo que as pessoas 
especificadas na legislação própria ficam obrigadas a contribuir para o 
regime (contribuintes identificáveis). 
 
Tal sistema se embasa nas contribuições sociais. 
 
No sistema não contributivo, a arrecadação provem não de um tributo 
específico, mas sim da destinação de parcela da arrecadação tributária geral, 
de modo que os contribuintes do regime não são identificáveis, já que 
qualquer pessoa que tenha pago tributo ao Estado estará indiretamente 
contribuindo para o custeio. 
 
 
Atenção 
 Entre os sistemas baseados nas contribuições sociais, 
encontramos nova divisão, no que tange à forma como os 
recursos obtidos são utilizados. O modelo de financiamento da 
seguridade social previsto na Constituição Federal se baseia no 
sistema contributivo, em que pese ter o poder público 
participação no orçamento da seguridade. 
 
O orçamento da seguridade social tem receita própria, que não 
se confunde com a receita tributária federal; a receita da 
 
 DIREITO PREVIDENCIÁRIO 222222221111 
seguridade é destinada exclusivamente para prestações nas 
áreas de saúde, previdência e assistência social. O orçamento 
da seguridade social é autônomo, não se confundindo 
com o orçamento do tesouro nacional. 
 
Regra importante 
Outra regra importante é a que veda a utilização dos recursos provenientes das 
contribuições sociais de que trata o Artigo 195, I, a, e II, para a realização de 
despesas distintas do pagamento de benefícios do RGPS (Regime Geral de 
Previdência Social) tratados no Artigo 201. Em razão disso, o Artigo 18 da Lei 
nº 8.212 não foi recepcionado: 
 
Artigo 18. Os recursos da Seguridade Social referidos nas alíneas a, b, c e d do 
parágrafo único do artigo 11 desta Lei poderão contribuir, a partir do exercício