A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Digestório Ruminantes, Ovelha

Pré-visualização | Página 1 de 2

SISTEMA DIGESTÓRIO DE RUMINANTES OVINOS 
DEININGER, R. R.; DOMINGUES, B. H. R.; FEIJÓ, M. J. B. M.; FIGUEIREDO, T. F.; MUDO, B. S.; SILVA, G. T. SILVA, . F. X.; MASSARI, C. H. A. L. 
INTRODUÇÃO E METODO 
Ruminantes: Compreendem os Ovinos, Bovinos, Caprinos, Bubalinos, Cervídeos, Girafalinos, entre ou-
tros. Os ruminantes são herbívoros, se alimentam de plantas forrageiras e pastagens, são poligástricos pois 
seu estômago é composto por quatro câmaras- Rúmen (pança), Retículo (barrete), Omaso (folhoso) e Abo-
maso (coagulador). 
Método utilizado no simulador: Corte e costura nos órgãos internos, modelagem na boca e crochê no acaba-
mento final externo. 
A ovelha do simulador foi feita na proporção de 1/4 do tamanho real. Seguem as medidas in vivo: Compri-
mento - 70,54 centímetros; Altura - 68,01 centímetros; Largura - 19,95 centímetros; 
Foi abordado a anatomia de cada órgão individualmente, e de que forma eles trabalham em conjunto. Os ór-
gãos foram costurados com as texturas dos tecidos voltadas para fora, a fim de representar como são as 
texturas internas dos órgãos desses animais. 
RESULTADOS 
Elaborou-se um objeto de pelúcia que possibilita o estudo das estruturas anatômicas representando o sistema di-
gestório de ruminantes. A ovelha do simulador foi medida com uma fita métrica comum, e os resultados obtidos 
foram: 
Comprimento - 40 centímetros 
Altura - 30 centímetros 
Largura - 20 centímetros 
 
CONSIDERAÇÕES FINAIS 
O presente trabalho teve como objetivo representar através de um simulador o sistema digestório dos ruminan-
tes, como um meio para ajudar a aprendizagem dos alunos de Medicina Veterinária á compreender melhor o 
funcionamento desse sistema, tendo em vista explorar a forma, a mucosa e as funções dos órgãos acima descri-
tos. O simulador não substitui os cadáveres, e sim agrega como uma ferramenta para auxiliar nos estudos de 
anatomia sistêmica. 
REFERÊNCIAS 
DYCE, K. M.; SACK, W. O.; WENSING, C. J. G.; Tratado de Anatomia Veterinária, Editora: Elsevier; 4ª edição; Rio de Janeiro. 2010. 
GOUVEIA, A. M. G. Sistema Digestivo dos Ruminantes. Disponível em: <http://www.gestaonocampo.com.br/biblioteca/sistema-digestivo-dos-ruminantes/> Acesso em: 20/09/2017 PI-
NHEIRO, R. S. B. 
GOUVEIA, A. M. G. Sistema Digestivo. Disponível em: <http://www.caprileite.com.br/conteudo/22-ll-sistema-digestivo>. Acesso em: 20/09/2017. 
JORGE, A. M. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-35982010000200030> Acesso em: 20/09/2017. 
LNORMAND.INTERIORES & Associados. A cor verde. Disponível em: <https://www.lnormandinteriores.com/single-post/2017/05/17/A-Cor-Verde> Acesso em: 20/09/2017. 
KONIG, H.E.; LIEBICH, H.G.; Anatomia dos Animais domésticos, Editora: ARTMED; 6ª edição; Porto Alegre. 2016. 
KOZLOSKI, G. V.; Bioquímica dos Ruminantes , Editora: UFSM: 3ª edição; Rio Grande do Sul. 2011. 
FONTE: imagem própria (2017) 
Estômagos 
O rúmen e o retículo trabalham juntos para garantir 
que os alimentos invulneráveis ao trabalho das en-
zimas digestivas, seja reduzido através da fermen-
tação microbiana. Essa fermentação é realizada 
por microrganismos que habitam o interior rumenal, 
como bactérias, fungos e protozoários, que em tro-
ca de "abrigo" fazem a digestão da celulose, pois 
produzem a enzima celulase, que os ruminantes 
não sintetizam. Suas estrutura e função são tão inti-
mamente relacionados, que podem ser chamados 
de compartimento ruminorreticular. 
3 - Omaso 
O omaso encontra-se do lado direito do retículo-
rúmen, ocupa 8% do volume total do estômago em 
grandes ruminantes e 4% em pequenos ruminan-
tes. É encarregado pela absorção de água, de mi-
nerais e reduz partículas alimentares. O material 
semi-líquido do retículo entra no omaso pelo orifí-
cio retículo-omasal; contrações omasais compri-
mem e trituram o alimento. Em ovinos e caprinos o 
omaso é relativamente menor, e possui forma de 
feijão. Seu interior é coberto por lâminas, possui 
epitélio escamoso estratificado queratinizado. 
4 - Abomaso 
No Abomaso os alimentos são sujeitos a ação enzi-
mática e hidrolítica do suco gástrico, onde ocorre a 
digestão. Está localizado à direita do rúmen e re-
pousa sobre o abdômen, logo atrás do retículo. Um 
amplo orifício permite a passagem do alimento pro-
cedente do omaso. O abomaso de ovinos e capri-
nos é relativamente grande. É revestido por uma 
mucosa glandular, seu epitélio é colunar simples. 
1 - Rumen 
O rúmen, é o maior dos compartimentos, compor-
tando 80% do volume total do estômago, em gran-
des ruminantes, e 75% em pequenos ruminantes, 
abrange quase todo o lado esquerdo da cavidade 
abdominal. A mucosa do rúmen é coberta por papi-
las, dando-lhe a aparência de uma toalha felpuda. 
Vista esquerda / Vista direita, estômago do ruminante 
FONTE: DYCE, K. M.; SACK, W. O.; WENSING, C. J. G.; Tratado de Anatomia 
Veterinária, Editora: Elsevier; 4ª edição; Rio de Janeiro. 2010 
 
2 - Retículo 
O retículo é o menor dos pré-estômagos. Não se-
creta nenhuma enzima; retrata um movimento 
constante em sintonia com o rúmen, coopera pa-
ra processo de ruminação responsável pela con-
tração que leva a regurgitação. A mucosa reticu-
lar apresenta forma semelhante ao favo de abe-
lha formado por cristas e também possui papilas. 
FONTE: Anatomia Animal Descritiva (2013) 
FONTE: DYCE, K. M.; SACK, W. O.; WENSING, C. J. G.; Tratado de Anato-
mia Veterinária, Editora: Elsevier; 4ª edição; Rio de Janeiro. 2010 
Abomaso Omaso 
Intestinos 
 
O piloro, controlado por um esfíncter, permite a passagem dos alimentos para o 
intestino delgado, que possui três porções: duodeno, jejuno e íleo. Apresenta vi-
losidade com microvilosidades ampliando a superfície de absorção. 
O intestino grosso é mais curto, e a porção terminal se enrola formando um 
“caracol”, denominado cólon, que por sua vez é subdividido em cólon ascenden-
te, cólon transverso e cólon descendente.No intestino grosso ocorre a absorção 
de fluídos e eletrólitos, e formação das fezes pelos músculos da parede do có-
lon. Por fim, o cólon descendente se transforma em reto, onde as fezes se 
acumulam e são eliminadas através do ânus. 
Duodeno 
Ceco 
Pâncreas 
Reto 
Vesícula Biliar 
Fígado 
Jejuno 
Íleo 
Cólon 
Retículo 
Rúmen 
Omaso 
Abo-
maso 
Mesentério 
FONTE: imagem própria (2017) 
Fígado 
 
É a maior glândula do corpo, e possui funções 
essenciais para a vida, como a produção de bile, 
que é responsável por emulsificar as gorduras 
antes de sua absorção, e contribui para o meta-
bolismo de gorduras, carboidratos e proteínas, 
liberando substâncias na corrente sanguínea. 
FONTE: imagem própria (2017) 
Vista Visceral, Vista Diafragmática - Fígado do ruminante 
FONTE: AnatoSistêmica (2016) 
Pâncreas 
 
O Pâncreas combina duas funções, exócrina 
e endócrina. 
Sua função exócrina produz o suco pancreáti-
co que contém enzimas que degradam as 
proteínas, os carboidratos e as gorduras, já a 
sua função endócrina compreendem as ilho-
tas pancreáticas, que são células espalhadas 
entre os ácinos exócrinos e fontes de insulina, 
glucagon e gastrina. 
FONTE: Anato 2 Vet (2013) 
Boca 
Triturar, reduzir em pequenas partículas e digerir os alimen-
tos. A digestão tem seu início na boca (lábios, bochecha, 
língua, dentes e glândulas salivares), que é responsável pe-
la redução mecânica dos alimentos, em seguida o alimento 
segue para a faringe, que é a conexão com o esôfago 
(orofaringe), o esôfago leva os alimentos da boca até o rú-
men, no qual se comunica por um orifício chamado cárdia. 
Os bovinos produzem em média 100 L de saliva por dia, 
que auxiliam no

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.