1 Administracao Cientifica
17 pág.

1 Administracao Cientifica


DisciplinaAdministração Cientifica38 materiais286 seguidores
Pré-visualização1 página
*
Administração Científica
Teoria Geral da Administração
Profª MSc. Simoni Da Ros Dalfior
*
Administração Científica
Tentativa de aplicação dos métodos científicos aos problemas da Administração, a fim de alcançar maior eficiência, eliminando o desperdício e elevando os níveis de produtividade.
Ênfase nas tarefas, isto é, nas atividades cotidianas do operário.
*
Administração Científica
Primeiro Período de Taylor 
Preocupação com as técnicas de racionalização do trabalho operário por meio do Estudo de Tempos e Movimentos.
Segundo Período de Taylor 
As fábricas da época apresentavam três problemas
Vadiagem sistemática dos operários.
Desconhecimento pela gerência das rotinas de trabalho e do tempo gasto para sua realização.
Falta de uniformidade das técnicas e métodos de trabalho.
*
Administração Científica
Segundo Período de Taylor 
Enfatizou como princípios básicos da gerência:
Planejamento \u2013 aplicar os métodos científicos no desenvolvimento do trabalho, em vez da improvisação.
Preparo - selecionar os trabalhadores de acordo com suas aptidões, prepará-los e treiná-los; preparar máquinas e equipamentos e materiais.
Controle - verificar se o que foi planejado está sendo executado.
Execução \u2013 assegurar a distribuição das atribuições e responsabilidades.
*
Fundamentos da Administração Científica
A Administração como ciência 
A organização e a administração devem ser estudadas e analisadas segundos os princípios científicos.
Objetivo principal dos sistemas de administração
Assegurar o máximo de prosperidade ao empregador e, ao mesmo tempo, o máximo de prosperidade ao empregado da organização.
*
Fundamentos da Administração Científica
Identidade de interesses de empregadores e empregados
Deve haver identidade de interesses entre patrões e empregados.
A influência da produção na prosperidade de empregadores e empregados
Quanto maior a produção proporcionada pelo empregado, maior o ganho em termos financeiros e maior retorno para o empregador com o mínimo de custo.
*
Organização Racional do Trabalho (ORT)
Aprendizado por meio da observação.
Separação das atividades de planejamento e de execução: à gerência cabe \u201cpensar\u201d e aos operários cabe \u201cagir\u201d.
*
Organização Racional do Trabalho (ORT)
Aspectos da ORT:
Análise do trabalho e estudo de tempos e movimentos
Decomposição da atividade, eliminação de movimentos inúteis e fusão de movimentos para economizar tempo e esforço. Determinação do tempo médio que um operário leva para executar uma tarefa.
Padronização do método e do tempo.
Estudo da fadiga humana
Eliminar os movimentos desnecessários para diminuir a fadiga do operário e a queda da produção. 
*
Organização Racional do Trabalho (ORT)
Divisão do trabalho e especialização do operário
A divisão do trabalho proporcionou a especialização do operário pela execução rotineira da tarefa. Quanto mais especializado, maior será sua eficiência.
Desenho de cargos e tarefas
Compreende a definição dos seu conteúdo em termos de tarefas/atividades, métodos de execução e relacionamento co outros cargos.
Incentivos salariais e prêmios de produção
Relacionou a remuneração com a quantidade produzida pelo trabalhador.
*
Organização Racional do Trabalho (ORT)
Condições de trabalho
Oferecer condições de trabalho para alcançar eficiência.
Padronização
Selecionar os métodos mais condizentes para o desenvolvimento da tarefa, eliminando desperdícios e incrementando o nível de eficiência.
Supervisão funcional
Demonstra que cada supervisor deve cuidar de determinada área ou especialidade.
*
Seguidores de Taylor
Frank e Lillian Gilbreth
Técnicas para evitar o desperdício de tempo e movimento.
Redesenho do ambiente para minimizar a fadiga.
Aumentar a produtividade.
Henry Gantt
Gráfico para acompanhamento de produção.
Hugo Munsterberg
Psicologia industrial; utilização de testes de seleção.
*
Seguidores de Taylor
Henry Ford
Idealizou a linha de montagem por meio da racionalização da produção, o que permitiu a produção em série. O produto é padronizado quanto ao material, mão-de-obra, maquinário, desenho e ao menor custo possível.
Aspectos do sistema de produção em massa:
O processo produtivo deve ser planejado, ordenado e contínuo.
O trabalhador deve receber o trabalho que deve ser feito.
Os fluxos de operações devem ser avaliados de forma contínua para evitar desperdícios e melhorar os níveis de eficiência.
*
Seguidores de Taylor
Princípios básicos de Ford:
Princípio da Intensificação: diminuir o tempo de duração da produção para a rápida colocação do produto no mercado.
Princípio da Economicidade: reduzir ao mínimo o volume do estoques.
Integração vertical: reduzir a quantidade de etapas na fabricação do produto para reduzir o tempo de produção.
Integração horizontal: centros de distribuição para facilitar a distribuição do produto menor tempo.
Princípio da Produtividade: aumentar a produtividade por meio da especialização do trabalhador.
*
Considerações
Recompensas salariais
O homem era influenciado e incentivado a produzir mais devido às recompensas salariais, materiais e econômicas. Ele trabalha não por gosto, mas por recompensas que pode obter com o trabalho.
Homem econômico (homo economicus).
Enfoque mecanicista do homem
O homem era a peça de uma máquina, não sendo considerada sua condição de ser humano.
*
Considerações
Abordagem fechada
Limitou-se a estudar os aspectos internos da empresa, principalmente os ligados ao \u201cchão de fábrica\u201d.
Superespecialização do operário
Com a fragmentação das tarefas o operário torna-se um especialista, desenvolvendo um trabalho repetitivo, monótono e desarticulado do processo como um todo.
Exploração dos operários
Legitima a exploração dos operários em prol dos interesses patronais.
*
Toyotismo, Flexibilização, Pós-Fordismo e Neofordismo
Algumas características:
Auto-ativação (dotar as máquinas de dispositivo que as possibilite parar quando ocorrerem problemas na produção).
Just in time (o trabalhador deve ir buscas as peças utilizadas e não ficar esperando por elas).
Lote econômico (produzir as quantidades vendidas).
Estoque mínimo.
*
Toyotismo, Flexibilização, Pós-Fordismo e Neofordismo
Flexibilização dos trabalhadores e qualificação profissional.
Centros de controle de qualidade.
Sindicalismo de empresa.
Trabalho em equipe.
Horizontalização da produção.
Flexibilização da utilização da mão-de-obra.