ORGANIZAÇÃO LINEAR
7 pág.

ORGANIZAÇÃO LINEAR


DisciplinaAdministração Organizacional27 materiais609 seguidores
Pré-visualização2 páginas
ORGANIZAÇÃO LINEAR
	Segundo Chiavenato (2006), a Organização Linear é a estrutura mais simples e antiga, baseada na autoridade linear. A autoridade linear é uma decorrência do princípio da unidade de comando: significa que cada superior tem autoridade única e absoluta sobre seus subordinados e não a reparte com ninguém.
As principais características da organização linear:	 
A) Autoridade linear ou única: decorrente da aplicação do princípio da unidade de comando, pelo qual o superior tem autoridade única e exclusiva sobre os seus subordinados.
B) Linhas formais de comunicação: as comunicações entre as pessoas ou unidades são feitas unicamente por meio das linhas existentes no organograma, denominadas canais de comunicação. 
C) Centralização das decisões: como o terminal da comunicação liga a posição subordinada ao seu superior e na sequência acima, a autoridade linear que comanda toda a empresa centraliza-se no topo do organograma.
D) Formato piramidal: em decorrência da centralização da autoridade no topo da organização, da cadeia escalar e da unidade de comando, a organização linear apresenta uma formatação tipicamente piramidal. 
Dentre as vantagens da estrutura em linha é possível destacar:
	\u2022	estrutura simples e de fácil e clara compreensão;
	\u2022	estabilidade;
	\u2022	definição clara dos deveres e responsabilidades;
	\u2022	facilidade de implantação;
	\u2022	ideal para pequenas empresas; e 
	\u2022	ideal para situações de permanência e estabilidade.
Dentre as desvantagens da estrutura em linha é possível destacar:
	\u2022	estabilidade e constância das relações formais;
	\u2022	exagera a função de chefia e de comando;
	\u2022	a unidade de comando torna o chefe um generalista;
	\u2022	congestionamento das linhas de comunicação;
	\u2022	autoridade linear baseada no comando único e direto;
	\u2022	não favorece o espírito de equipe, de cooperação; 
	\u2022	comunicações indiretas.
ESTRUTURA EM LINHA: CONCLUSÃO
	Pode-se concluir que esse tipo de estrutura é recomendado para empresas simples. Nela, suas vantagens são importantes e suas desvantagens pequenas. Não há interrupções em organizações pequenas, por causa dos conhecimentos pessoais e da comunicação informal. Não havendo complexidade, não há exigência de pessoas excepcionais para posições de chefia. 
	ORGANIZAÇÃO FUNCIONAL	
	Este tipo de estrutura é fundamentado na técnica da supervisão funcional, tendo sido planejada para implantar as ideias de Taylor e tem larga aplicação na base da organização, em que prevalece a especialização. Na estrutura funcional, a autoridade passa pelos níveis de gerenciamento para ser compartilhada entre as funções técnicas e administrativas, as quais se baseiam num conjunto de tarefas comum a todas as funções. Um indivíduo pode prestar contas a vários superiores, cada qual exercendo sua autoridade especializada na tarefa.
O tipo de estrutura funcional deriva do sistema de maximizar a eficiência numa fábrica. Esse sistema se caracteriza por:
	\u2022	separar funções de preparação das de execução; 
	\u2022	receber um mesmo trabalhador ordens de mais de um encarregado.
As principais características da estrutura funcional:
	\u2022 autoridade funcional ou dividida;
	\u2022 linhas diretas de comunicação;
	\u2022 descentralização das decisões; e
	\u2022 ênfase na especialização.
A estrutura funcional apresenta como vantagens:
	\u2022	promoção da especialização e o aperfeiçoamento;
	\u2022	maior facilidade de adaptação das capacidades e aptidões à função;
	\u2022	promoção da cooperação e o trabalho em equipe;
	\u2022	permite a melhor supervisão técnica possível;
	\u2022 desenvolve as comunicações diretas, sem intermediação.
As desvantagens da estrutura funcional:
	\u2022	difícil aplicação, requerendo maior habilidade gerencial;
	\u2022	requer maior e mais difícil coordenação;
	\u2022	subordinação múltipla;
	\u2022	tendência a concorrência entre os especialistas;
	\u2022	tendência à tensão e conflitos dentro da organização; e
	\u2022 ocorre perda da visão global.
ESTRUTURA FUNCIONAL: CONCLUSÃO
 	Esse tipo de estrutura tem sua aplicação restrita à:
	\u2022 empresa que, por ser pequena, tem equipe de especialistas bem entrosada; e
	\u2022 quando é necessário delegar competência e autoridade funcional a órgão especializado a fim de implantar determinado sistema.
Segundo Robbins (2001), ainda hoje, a maioria dos gerentes não encara a especialização do trabalho nem como obsoleta nem como fonte inesgotável de aumento da produtividade. Ao contrário, reconhecem as economias que ela propicia em certos tipos de trabalhos e os problemas que cria quando levada longe demais. O McDonald\u2019s, por exemplo, utiliza uma alta especialização do trabalho para produzir e vender com eficiência hambúrgueres e batatas fritas. O pessoal médico, na maioria das organizações de assistência à saúde, é altamente especializado.
ORGANIZAÇÃO LINHA-STAFF
	A estrutura linha e assessoria segue as características básicas da estrutura linear, distinguindo-se desta pela existência de órgão de staff junto aos gerentes de linha. Esses órgãos de staff têm a função de assessoramento e de aconselhamento em matéria especializada ao executivo ao qual estão ligados, não tendo nenhuma autoridade ou responsabilidade na execução. Com esse recurso, não mais necessitará a organização recrutar chefes excepcionais, cada vez mais raros nas complexas sociedades atuais.
CRITÉRIOS DE DISTINÇÃO ENTRE LINHA E STAFF
	- Relacionado aos objetivos: todas as atividades relacionadas ao objetivo principal da organização, ou atividades fins, serão de linha; enquanto que as demais serão de staffs ou atividades-meio;
	- Órgãos executores ou operacionais pertencem a linha; 
	- Órgão de apoio ou consultores pertencem a staff.
As características da estrutura linha e assessoria:
	\u2022	fusão da estrutura linear com a estrutura funcional predominando as bases da linear;
	\u2022	coexistência entre as linhas formais de comunicação com as linhas diretas de comunicação;
	\u2022	conserva o princípio da hierarquia;
	\u2022 	institui obrigatoriamente a consulta de ordem técnica;
	\u2022 	apresenta dificuldades no relacionamento entre diretores e assessores; 
	\u2022 	ocorre separação entre órgãos operacionais (executivos) e órgãos de apoio (assessores).
As principais funções do staff estão relacionadas com:
a) Serviços: isto é, atividades especializadas, como contabilidade, compras, pessoal, pesquisa e desenvolvimento, processamento de dados, propaganda, etc, realizadas e executadas pelo staff;
b) Consultoria e assessoria: como assistência jurídica, métodos e processos, consultoria trabalhista, que são fornecidas pelo staff como orientação e recomendações;
c) Monitorização: monitorizar significa acompanhar e avaliar uma determinada atividade ou processo sem nela intervir ou influenciar. O staff geralmente se incumbe de levantamento de dados, elaboração de relatórios e pesquisas, acompanhamento de processos, etc.
d) Planejamento e controle: quase sempre as atividades de planejamento e controle estão delegadas aos órgãos de staff. Assim, o planejamento e controle financeiro ou orçamentário, o planejamento e controle da produção, o planejamento e controle de manutenção de máquinas e equipamentos, o controle de qualidade, etc, são atividades desenvolvidas pelo staff.
 
As vantagens dessa estrutura são:
	\u2022 facilitar a participação de especialistas em qualquer ponto de linha hierárquica;
	\u2022 possibilitar melhor controle da quantidade e da qualidade;
	\u2022 favorecer a execução do trabalho das unidades de linha;
	\u2022 utilizar em maior grau a divisão do trabalho;
	\u2022 conserva o princípio da unidade de comando, assegurando uma assessoria especializada e inovadora; e
	\u2022 reduz a necessidade dos chefes terem pleno conhecimento sobre todos os assuntos.
DESVANTAGENS:
 	Contudo, a estrutura linha-staff apresenta algumas restrições e coloca certos problemas. Um deles é a possibilidade de conflitos entre os órgãos de linha e de staff. Como o assessor de staff não tem autoridade linear sobre os executores, e como o gerente de linha não tem tempo nem preparo profissional para se especializar, os conflitos entre linha e