Orienta+º+Áes T+®cnicas Centro Pop
116 pág.

Orienta+º+Áes T+®cnicas Centro Pop


DisciplinaDireitos Humanos14.001 materiais48.202 seguidores
Pré-visualização26 páginas
Secretaria Nacional de Renda e Cidadania e Secretaria Nacional de Assistência Social
 Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome \u2013 MDS
Orientações Técnicas: Centro de Referência Especializado para 
População em Situação de Rua \u2013 Centro Pop
SUAS e População em Situação de Rua
Volume 3
Brasília, 2011
Gráfica e Editora Brasil LTDA
05 - Caderno Centro Pop.indd 1 29/11/2011 14:20:01
Créditos
C\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd
Departamento de Proteção Social Especial
e\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd 
Redação
Juliana Maria Fernandes Pereira
Kelvia de Assunção Ferreira Barros
Maria de Jesus Bonfim de Carvalho
Rosemary Ferreira de Souza Pereira
Colaboração técnica 
Ana Luisa Coelho Moreira
Carlos Alberto Ricardo Júnior
supervisão
Margarete Cutrim Vieira
supervisão Final
Telma Maranho Gomes
a\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd
Armênia Cutrim
Clarissa Rangel
Hamilton Sergio de Paiva
Luanna Shirley de Jesus Sousa
Zora Yonara Torres Costa
C\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd
Secretaria Nacional de Assistência Social - SNAS
Departamento de Proteção Social Básica
Departamento de Proteção Social Especial
Departamento de Gestão do Sistema Único de Assistência Social
Departamento da Rede Socioassistencial Privada do SUAS
Departamento de Benefícios Assistenciais
Secretaria Nacional de Renda e Cidadania - SENARC
Departamento do Cadastro Único 
Secretaria de Avaliação e Gestão de Informação - SAGI
Departamento de Avaliação
Fórum Nacional de Secretários de Estado de Assistência Social - FONSEAS
Colegiado Nacional de Gestores Municipais da Assistência Social - CONGEMAS
Conselho Nacional de Assistência Social - CNAS
D\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd / P\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd G\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd
Assessoria de Comunicação do MDS 
Rafael Lampert Zart
F\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd
Alderon Costa
Fonte: Pesquisa Nacional sobre a População em situação de Rua
a\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd
Margarete Cutrim Vieira
Diretora do Departamento de Proteção Social Especial (entre 09/ 2009 - 07/2011)
Maria Luiza Rizzotti Amaral
Secretária Nacional de Assistência Social (entre 05/2010 \u2013 01/2011)
Comitê Intersetorial de Acompanhamento e Monitoramento da Política Nacional Para a População em Situação de Rua \u2013 CIAMP-RUA, que 
enviou ao MDS sugestões para os conteúdos deste material
Estados, DF e Municípios que enviaram ao MDS sugestões para os conteúdos deste material
05 - Caderno Centro Pop.indd 2 29/11/2011 14:20:05
Apresentação
O documento \u201corientações técnicas: Centro de Referência especializado para Popu-
lação em situação de Rua e serviço especializado para Pessoas em situação de Rua\u201d 
tem como finalidade orientar, em todo o território nacional, a gestão do Centro POP e 
a oferta qualificada do Serviço.
Sua formulação resulta de um processo de amadurecimento do Estado brasileiro no 
que diz respeito às políticas públicas para população em situação de rua. Este processo 
foi particularmente observado na última década e teve na aprovação da Política Nacio-
nal para População em Situação de Rua, em 2009, um marco histórico. Nesse contexto, 
há que se destacar o compromisso assumido pelo Governo Federal e o papel dos mo-
vimentos sociais e da sociedade civil organizada, para que os direitos das pessoas em 
situação de rua entrassem, definitivamente, na agenda pública brasileira.
A Política Nacional para População em Situação de Rua, ao elencar seus objetivos pre-
viu a implantação de centros de referência especializados para o atendimento a esse 
segmento no âmbito da política de assistência social, lançando bases para que, em 
2009, a Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais previsse a implantação des-
ta unidade no SUAS, o que passou a ser apoiado pelo MDS a partir de 2010.
Uma importante ação também desenvolvida pelo MDS foi a inclusão desse público no 
Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. O cadastramento dessa 
população atrelado à sua vinculação aos serviços socioassistenciais. Foi impulsionado, 
ainda, com o lançamento do Plano Brasil sem Miséria, que tem dentre suas prioridades 
a atenção às pessoas em situação de rua.
A luta pela afirmação dos direitos da população em situação de rua no Brasil ganhou 
institucionalidade com os avanços também no campo legislativo. Com a aprovação da 
alteração na LOAS1 e da Lei do SUAS2, a atenção às pessoas em situação de rua no cam-
1Lei nº 11.258/2005 que alterou o art. 23 da Lei nº 8742/93, incluindo na LOAS a previsão expressa de programas para 
população em situação de rua na política de Assistência Social. 
2Lei nº 12.435, de 06 de julho de 2011. 
05 - Caderno Centro Pop.indd 3 29/11/2011 14:20:06
po da assistência social passou a se firmar sobre bases mais sólidas, que lhe assegura-
ram definitivamente o reconhecimento como sujeitos de direitos.
Primando pelo debate democrático, pela transparência e pela intersetorialidade na 
atenção à população em situação de rua foi instituído, em 2009, o Comitê Intersetorial 
de Acompanhamento e Monitoramento da Política Nacional para População em Situa-
ção de Rua (CIAMP-Rua), que congrega representações do poder público, da sociedade 
civil organizada e de movimentos sociais desse segmento.
A trajetória nos últimos anos retirou definitivamente a população em situação de rua 
da invisibilidade, reconhecendo que se trata de um compromisso de Estado garantir a 
estes brasileiros seus direitos. Os desafios ainda são muitos e requerem o engajamento 
das diversas políticas, em um esforço coletivo envolvendo poder público e a sociedade 
civil organizada, com a participação fundamental dos representantes desse segmento.
A publicação deste material é mais um passo nesse processo. Sua elaboração consi-
derou debates realizados com representações diversas, incluindo gestores estaduais, 
municipais, do Distrito Federal, especialistas, profissionais do SUAS, representantes da 
sociedade civil organizada, de movimentos sociais e do CIAMP- Rua. Por fim, espera-
se que esta publicação atinja seu objetivo último: qualificar a atenção a população em 
situação de rua no SUAS. 
Denise Ratmann aRRuDa Colin
Secretária Nacional de Assistência Social
05 - Caderno Centro Pop.indd 4 29/11/2011 14:20:06
Lista de Siglas
BPC Benefício de Prestação Continuada 
CentRo PoP
Centro de Referência Especializado para População em 
Situação de Rua
CiamP Rua
Comitê Intersetorial de Acompanhamento e Monitora-
mento da Política Nacional para a População em Situação 
de Rua
Cnas Conselho Nacional de Assistência Social
ConGemas
Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistên-
cia Social
CReas Centro de Referência Especializado de Assistência Social
DF Distrito Federal 
Gti Grupo de Trabalho Interministerial
iPea Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
loas Lei Orgânica da Assistência Social
liBRas Língua Brasileira de Sinais
mnmmR Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua
mnPR Movimento Nacional da População de Rua
noB/suas
Norma Operacional Básica do Sistema Único de Assistên-
cia Social
noB/RH/suas
Norma Operacional Básica de Recursos Humanos do Sis-
tema Único de Assistência Social
PaeFi
Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famí-
lias e Indivíduos
Pnas Política Nacional de Assistência Social
PnDH 3 Programa Nacional de Direitos Humanos 3
PnPR Política Nacional para a População em Situação de Rua
Pse Proteção Social Especial
saGi Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação
senaRC Secretaria Nacional de Renda de Cidadania
snas Secretaria Nacional de Assistência Social
suas Sistema Único de Assistência Social
sus Sistema Único de Saúde
uniCeF Fundo das Nações Unidas para a Infância
05 - Caderno Centro Pop.indd 5 29/11/2011 14:20:06
Lista de Figuras e Quadros
FIGURA 1 - Intersetorialidade da Política Na-
cional para a População em Situação de Rua
20
FIGURA 2 - Modelo de Placa do Centro de 
Referência Especializado para