Direito empresarial 1 - Aula 05 Direito Societario

Direito empresarial 1 - Aula 05 Direito Societario

Disciplina:<strong>empresarial</strong>3 materiais
Pré-visualização3 páginas
DIREITO EMPRESARIAL I
AULA 05

Sociedades Personificadas e

Desconsideração da Personalidade Jurídica

SOCIEDADE

É UMA

PESSOA

JURÍDICA

PESSOA

NATURAL

PESSOA

JURÍDICA

O QUE É SOCIEDADE ?

 É uma pessoa jurídica que poderá praticar todo e qualquer
ato ou negócio jurídico, desde que não haja proibição

expressa.

Sociedade é um contrato celebrado entre pessoas físicas

e/ou jurídicas, ou somente entre pessoas físicas

(art.1.039), por meio do qual esta se obrigam

reciprocamente a contribuir, com bens ou serviços, para o

exercício de atividade econômica e a partilhar, entre si, os

resultados. (Ricardo Negrão)

Art. 985 CC - A sociedade adquire personalidade jurídica

com a inscrição, no registro próprio e na forma da lei, dos

seus atos constitutivos.

SOCIEDADE É UMA PESSOA JURÍDICA
 DIR.PÚBLICO

DIR. PRIVADO

SEM ATIV. ORGANIZADA

SOC. SIMPLES

COM ATIV. ORGANIZADA

SOC. EMPRESÁRIA

SEM FIM LUCRATIVO

COM FIM LUCRATIVO

INT.PÚBLICO

INT. SÓCIOS

DIREITO EMPRESARIAL

Art. 40. As pessoas jurídicas são de direito público, interno

ou externo, e de direito privado

Art. 41. São pessoas jurídicas de direito público interno:
I - a União;
II - os Estados, o Distrito Federal e os Territórios;
III - os Municípios;
IV - as autarquias, inclusive as associações públicas;
V - as demais entidades de caráter público criadas por lei.

DIREITO EMPRESARIAL

Art. 42. São pessoas jurídicas de direito público

externo os Estados estrangeiros e todas as pessoas

que forem regidas pelo direito internacional público.

EX.: Santa Sé, ONU, OEA, OIT...

A pessoa jurídica estrangeira é constituída conforme a

lei do local de sua constituição e, qualquer que seja o

seu objeto, não pode, sem autorização do poder

executivo, funcionar no país, ainda que por

estabelecimento subordinados (art. 1.134 CC)

DIREITO EMPRESARIAL

Art. 43 do Código Civil - As pessoas

jurídicas de direito público interno são

civilmente responsáveis por atos dos seus

agentes que nessa qualidade causem danos

a terceiros, ressalvado direito regressivo

contra os causadores do dano, se houver,

por parte destes, culpa ou dolo

DIREITO EMPRESARIAL

Art. 44. São pessoas jurídicas de direito privado:

I - as associações;

II - as sociedades;

III - as fundações.

IV - as organizações religiosas; (Incluído pela Lei

nº 10.825, de 22.12.2003)

V - os partidos políticos. (Incluído pela Lei nº

10.825, de 22.12.2003)

VI - as empresas individuais de responsabilidade

limitada. (Incluído pela Lei nº 12.441, de 2011)

DIREITO EMPRESARIAL

CONCEITOS: SOCIEDADE EMPRESÁRIA

- “é uma pessoa jurídica do direito privado que atende
aos interesses e seus membros atuando com objetivo

de lucro e que exerça atividade economicamente

organizada.”

- “Consiste num conjunto de pessoas ou de bens, dotado
de personalidade jurídica própria e constituído na forma

da lei, para a consecução de fins comuns.”

- “São pessoas jurídicas de direito privado constituídas
por pessoas que, reciprocamente, se obrigam a

contribuir com bens para o exercício de atividade

econômica organizada.”

DIREITO EMPRESARIAL

Os sócios da sociedade empresária são

empreendedores ou investidores, de acordo com a

colaboração dada à sociedade.

• Os empreendedores, além de capital, costumam
devotar também trabalho à pessoa jurídica, na

condição de seus administradores, ou as controlam;

• Os investidores limitam-se a entrar somente com o
capital.

DIREITO EMPRESARIAL

SOCIEDADE E A NOMENCLATURA

EMPRESA

FIRMA E COMPANHIA

ASSOCIAÇÃO

SOCIEDADE

PESSOA
JURÍDICA

SEM FIM
LUCRATIVO

ATIVIDADE

NOME
EMPRESARIAL

DIREITO EMPRESARIAL

PERSONALIZAÇÃO DA SOCIEDADE

EMPRESÁRIA

• A sociedade empresária tem personalidade
jurídica distinta dos seus sócios; são pessoas

inconfundíveis, independentes entre si.

• A pessoa jurídica não se confunde com as
pessoas que a compõem.

Art. 985 Cód. Civil “ A sociedade adquire
personalidade jurídica com a inscrição, no

registro próprio e na forma da lei, dos seus

atos constitutivos (arts. 45 e 1.150).”

Art.45. Começa a existência legal das pessoas jurídicas

de direito privado com a inscrição do ato constitutivo no
respectivo registro, precedida, quando necessário, de
autorização ou aprovação do Poder Executivo, averbando
- se no registro todas as alterações por que passar o ato
constitutivo.

ÓRGÃO REGISTRAL

Art. 1.150 Cód. Civil “O empresário e a
sociedade empresária vinculam-se ao

Registro Público de Empresas Mercantis a

cargo das Juntas Comerciais, e a sociedade

simples ao Registro Civil das Pessoas

Jurídicas, o qual deverá obedecer às normas

fixadas para aquele registro (...)”

ÓRGÃO REGISTRAL

SOCIEDADES: EFEITOS DA PERSONALIDADE

JURÍDICA

EFEITOS

DOMICÍLIO

NACIONALIDADE
TITULARIDADE

NEGOCIAL

AUTONOMIA

PATRIMONIAL

LEGITIMIDADE

PROCESSUAL

DIREITO EMPRESARIAL

 TITULARIDADE NEGOCIAL

• Quando a sociedade empresária realiza
negócios jurídicos, embora o faça pelas mãos de
um representante legal, é ela, pessoa jurídica,
como sujeito de direito autônomo, personalizado,
que assume um dos pólos da relação negocial.

• O eventual sócio que a representou não é parte
do negócio jurídico, mas sim a sociedade.

TITULARIDADE PROCESSUAL

• A pessoa jurídica pode demandar e ser demandada em
juízo; tem capacidade para ser parte processual.

• A ação referente a negócio da sociedade deve ser
endereçada contra a pessoa jurídica e não aos seus
sócios ou representantes legais.

• Quem outorga mandato judicial, recebe citação, recorre,
é a sociedade, pois ela tem autonomia própria

RESPONSABILIDADE PATRIMONIAL

• A sociedade empresária terá patrimônio próprio,
inconfundível e incomunicável com o patrimônio
individual de cada um dos sócios.

• A sociedade responderá com seu patrimônio pelas
obrigações que assumir.

• Os sócios em regra não responderão pelas obrigações
da sociedade, somente em hipóteses excepcionais,
poderá ser responsabilizado.

Princípio da autonomia patrimonial

Quando a sociedade faz o arquivamento dos seus atos

constitutivos no órgão competente, nasce a pessoa jurídica,

que passa a ter existência própria distinta da pessoa de

seus sócios.

Essa independência diz respeito sobretudo às questões

patrimoniais, ou seja, os bens, direitos e obrigações da

sociedade empresária não se confundem com os de seus

acionistas.

A Sociedade assume direitos e obrigações, e por eles

responde sem o comprometimento ou vinculação do

patrimônio dos sócios.

DIREITO EMPRESARIAL

DESCONSIDERAÇÃO

PERSONALIDADE

JURÍDICA

SÓCIO “B”

SÓCIO “A”

DESCONSIDERAÇÃO

CREDOR “X”

DIREITO EMPRESARIAL

NOÇÕES DA DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE

JURÍDICA

No início do XIX, em 1809, as Cortes norte-americanas já

admitiam a responsabilidade pessoal dos sócios, a fim de

evitar manobras fraudulentas, ainda que por ato praticado

em nome da pessoa jurídica.

No Brasil a desconsideração da personalidade jurídica

passou a ser utilizada após artigo escrito por Rubens

Requião, no final dos anos 60, publicado na Revista dos

Tribunais 410/2, sob o título “Abuso de Direito e Fraude
Através da Personalidade Jurídica”

DIREITO EMPRESARIAL

DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE JURÍDICA -

TEORIA