A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
30 pág.
simulado historiografia

Pré-visualização | Página 7 de 12

na medida em que criticava o excesso de teorização da vertente tradicional da historiografia.
	
	A renovação da historiografia brasileira se deu principalmente em espaços como o IHGB, visto que as universidades de história ainda eram profundamente tradicionalistas.
	
	Essa renovação, simbolizou um retorno da narrativa e também a propagação dos estudos de micro-história, especialmente em função da entrada no Brasil das obras de Carlo Ginzburg.
	 
	A entrada no Brasil da chamada "História quantitativa", muito forte tanto nos Annales quanto entre os marxistas, constituiu uma opção à historiografia positivista tradicional.
	 
	Tanto a Escola dos Annales quanto o marxismo fazem parte dessa renovação. No caso brasileiro, essas duas correntes foram logo entendidas como opostas, trazendo uma espécie de divisão no campo historiográfico.
	
	 1a Questão (Ref.: 201308289582)
	
	A idéia de revolução burguesa está ligada ao desenvolvimento do marxismo no Brasil. Essa noção está presente na produção intelectual do campo teórico do marxismo, alcançando seu auge sobre o desenvolvimento capitalista brasileiro, na obra do sociólogo Florestan Fernandes. O sociólogo paulista situou a interpretação marxista da história brasileira a um plano certamente elevado de conceitualização, sobretudo com o clássico "A Revolução Burguesa no Brasil". Sobre a referida obra é correto afirmar que:
		
	
	A burguesia brasileira é dotada de um espírito modernizador, mas o restringe à esfera econômica. Foram as classes industriais e não a oligarquia tradicional agrária e a elite dos negócios comerciais e financeiros que decidiram o que deveria ser a dominação burguesa na prática.
	 
	O desenvolvimento do capitalismo, no Brasil, ocorre em um momento de transição do poder das oligarquias agrárias para a burguesia. Uma característica singular do país é a presença de um confronto de estrutura entre a antiga e a nova ordem, não havendo união entre os dois grupos.
	 
	Segundo Florestán Fernandes, a revolução burguesa acelera-se no século XX, com a industrialização, a Revolução de 1930 e vários episódios de golpe de Estado e de exclusão dos movimentos populares.
	
	Florestan Ferandes defende a ideia da luta de classes entre as elites brasileiras e os negros brasileiros.
	
	A revolução contou com a participação da população brasileira, abrindo espaço para o acesso ao poder político e incentivando as conquistas democráticas. Tanto o liberalismo político quanto o econômico foram praticados.
		 Gabarito Comentado.
	
	
	 2a Questão (Ref.: 201308505230)
	
	O quantitivismo foi uma das várias correntes que produziram inovações na historiografia, inclusive a brasileira, no século XX. Assinale a opção que melhor o define.
		
	
	O quantitativismo foi uma corrente historiográfica que se caracterizou pela utilização de metodologias igualitárias para obter o mapeamento seriado dos mais variados campos do estudo histórico, entretanto sempre de forma a constituir uma abordagem amplificadora que era aplicada a toda uma vasta área de estudos sócio-históricos.
	
	O quantitativismo foi uma corrente historiográfica que se caracterizou pela utilização de metodologias relativas para obter o mapeamento seriado dos mais variados campos do estudo histórico, entretanto sempre de forma a constituir uma abordagem redutora que era aplicada a toda uma vasta área de estudos sócio-históricos.
	 
	O quantitativismo foi uma corrente historiográfica que se caracterizou pela utilização de metodologias quantitativas para obter o mapeamento seriado dos mais variados campos do estudo histórico, entretanto sempre de forma a constituir uma abordagem quantificadora que era aplicada a toda uma vasta área de estudos sócio-históricos.
	
	O quantitativismo foi uma corrente historiográfica que se caracterizou pela utilização de metodologias associativas para obter o mapeamento seriado dos mais variados campos do estudo histórico, entretanto sempre de forma a constituir uma abordagem limitadora que era aplicada a toda uma vasta área de estudos sócio-históricos.
	
	O quantitativismo foi uma corrente historiográfica que se caracterizou pela utilização de metodologias explicativas para obter o mapeamento seriado dos mais variados campos do estudo histórico, entretanto sempre de forma a constituir uma abordagem multiplicadora que era aplicada a toda uma vasta área de estudos sócio-históricos.
		
	
	
	 3a Questão (Ref.: 201308502114)
	
	Ao longo do século XX, especialmente nos anos 1950 e 1960, percebemos um grande diálogo entre a história e a economia. Isso pode ser explicado, em parte, pela importância que os assuntos econômicos ganhavam para uma Europa que precisava se reconstruir após o impacto da Segunda Guerra. Em sintonia com o crescimento da história econômica, desenvolveram-se estudos pautados em análises seriais. Nesse contexto historiográfico,
 I. A história serial era entendida como uma possibilidade "mais científica"
PORQUE
II. Permitia formar séries documentais e criar gráficos que ajudavam o historiador a construir um conhecimento mais seguro e acompanhar aquilo que se repetia ao longo do tempo.
		
	 
	As afirmativas I e II são verdadeiras e a segunda NÃO justifica a primeira.
	
	A afirmativa I é falsa e a II é verdadeira.
	 
	As afirmativas I e II são verdadeiras e a segunda justifica a primeira.
	
	A afirmativa I é verdadeira e a II é falsa.
	
	Ambas as afirmativas são falsas.
		 Gabarito Comentado.
	
	
	 4a Questão (Ref.: 201308815206)
	
	Dentre as características abaixo, apenas uma delas não pode ser relacionada à historiografia marxista, assinale-a:
		
	
	destaque para a história economia e social.
	
	aproximação com outras ciências sociais como a sociologia.
	
	análise da relação entre a infraestrutura e a superestrutura.
	 
	defesa de uma historiografia politicamente neutra.
	
	crítica à história narrativa positivista.
		
	
	
	 5a Questão (Ref.: 201308505233)
	
	Quais temas a historiografia marxista mais se dedicou a estudar?
		
	
	A história dos movimentos sociais, a história da moda e a história do corpo.
	 
	A história do movimento operário, a história das revoltas sociais e os discursos pedagógicos e religiosos.
	
	A história do movimento operário, a história dos partidos políticos e a história das relações de gênero.
	
	A história das mentalidades, a história cultural e a história das religiões.
	
	A história do urbanismo, a história cubana e a história dos Estados Unidos.
		
	
	
	 6a Questão (Ref.: 201308505236)
	
	Como o materialismo histórico influenciou a historiografia ocidental?
		
	
	Ao enfatizar a importância das condições básicas, econômicas e sustentáveis da vida.
	 
	Ao enfatizar a importância das condições materiais, econômicas e produtivas da A feitiçaria nos tempos coloniais a partir dos processos da Inquisição, a história das mulheres, da infância, das festas, do cotidiano no período colonial, novas temáticas como as relações entre a história e literatura, entre a cultura e o cotidiano. Assim como foi posto em destaque, o cotidiano dos trabalhadores em seus espaços de trabalho e de sociabilidade, como a fábrica, o lar, o botequim, as habitações populares, as doenças, a vida cotidiana dos escravos.
	
	Ao enfatizar a importância das condições imateriais, econômicas e improdutivas da vida.
	
	Ao enfatizar a importância das condições climáticas, econômicas e reprodutivas da vida.
	
	Ao enfatizar a importância das condições internas, econômicas e distributivas da vida
		
	 1a Questão (Ref.: 201308289515)
	
	Sobre a questão da identidade na historiografia brasileira podemos afirmar que:
		
	
	Florestan Fernandes e a escola antropológica paulista

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.