A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
30 pág.
simulado historiografia

Pré-visualização | Página 8 de 12

foi a primeira a discutir de fato a questão da identidade do povo brasileiro.
	 
	O IHGB é a primeira tentativa de afirmativa de criar uma identidade brasileira através da história, mas não pode ser considerado um movimento historiográfico.
	 
	Casa Grande e Senzala, apesar de não escrito por um historiador foi o grande marco da construção de uma proposta clara para o Povo Brasileiro
	
	Nunca foi uma questão preponderante.
	
	É Caio Prado Jr. que traz a questão a tona com a discussão sobre a formação do Povo Brasileiro.
		
	
	
	 2a Questão (Ref.: 201308484982)
	
	A nova história cultural chegou ao Brasil especialmente a partir da década de 80 e favoreceu aos historiadores brasileiros a ampliação de seus temas, fontes e objetos de pesquisa. NÃO é exemplo dessa ampliação do campo temático:
		
	
	Os estudos sobre as dimensões do cotidiano.
	
	Os estudos sobre as mulheres.
	
	Os estudos culturais.
	 
	Os estudos sobre a sexualidade.
	 
	Os estudos sobre as estruturas econômicas.
		
	
	
	 3a Questão (Ref.: 201308289528)
	
	Sobre a historiografia brasileira e representações do Brasil, é correto dizer que:
		
	 
	a partir das décadas de 1970 e 1980, realiza-se, na historiografia, uma importante revolução metodológica no trabalho, com as fontes elegendo novos temas de pesquisa e como interlocutores as classes pobres e os excluídos, se utilizando processos crimes e cíveis, inventários, testamentos, entre outros documentos.
	
	influenciada principalmente pelas análises marxistas da História Social Inglesa e da Micro- História italiana, a historiografia contemporânea brasileira desconheceu a importância da contribuição da historiografia francesa dos Annales e da História Cultural de matriz norteamericana.
	
	influenciada profundamente pela história materialista marxista, em sua crítica à história oficial e tradicional positivista, a historiografia brasileira, ao longo das décadas de 1980 e 1990, privilegiou as análises estruturais econômicas sem se preocupar com o sujeito.
	
	na década de 1990, a historiografia brasileira foi profundamente marcada por dois eixos de discussão: a história econômica e as análises em torno da categoria de modo de produção; e a história política com sua narrativa e fontes históricas tradicionais, não havendo estudos sobre os excluídos.
	
	na década de 1920, a historiografia brasileira foi profundamente marcada por dois eixos de discussão: a história econômica e as análises em torno da categoria de modo de produção; e a história política com sua narrativa e fontes históricas tradicionais, não havendo estudos sobre os excluídos.
		
	
	
	 4a Questão (Ref.: 201308502124)
	
	Marque a alternativa que expressa de forma correta a maneira como os atuais estudos historiográficos entendem o que é cultura:
		
	
	A noção de cultura encontra-se profundamente articulada aos sistemas filosóficos desenvolvidos pelos grandes pensadores.
	
	Os estudos atuais trabalham a categoria cultura a partir de duas dimensões opostas: a de cultura popular e cultura erudita.
	 
	O conceito de cultura é entendido no sentido antropológico, como significados partilhados e construídos pelos homens para explicar o mundo.
	 
	O conceito de cultura esta diretamente associado à produção cultural e artística, como o cinema, a fotografia, a pintura etc.
	
	Para os estudos atuais, cultura é uma esfera separada das relações sociais e um reflexo das estruturas econômicas e materiais.
		
	
	
	 5a Questão (Ref.: 201308505239)
	
	Assinale a opção que melhor define as abordagens pós-estruturalistas.
		
	 
	São os resultados da crise da tradição europeia e do colapso da pretensão espacial das análises estruturalistas. Temos então a re-habilitação heurística dos sujeitos.
	 
	São os resultados da crise da tradição racionalista e do colapso da pretensão macro das análises estruturalistas. Temos então a re-habilitação heurística dos sujeitos.
	
	São os resultados da crise da tradição colonial e do colapso da pretensão ilusória das análises estruturalistas. Temos então a re-habilitação heurística dos sujeitos.
	
	São os resultados da crise da tradição anglo-saxônica e do colapso da pretensão exagerada das análises estruturalistas. Temos então a re-habilitação heurística dos sujeitos.
	
	São os resultados da crise da tradição imperialista e do colapso da pretensão micro das análises estruturalistas. Temos então a re-habilitação heurística dos sujeitos.
		 Gabarito Comentado.
	
	
	 6a Questão (Ref.: 201308505237)
	
	As influências da New History inglesa, do estruturalismo e da Nova História francesa permitiram o surgimento de novos objetos de interesse para os historiadores brasileiros, entre eles podemos citar:
		
	 
	A feitiçaria nos tempos coloniais a partir dos processos da Inquisição, a história das mulheres, da infância, das festas, do cotidiano no período colonial, novas temáticas como as relações entre a história e literatura, entre a cultura e o cotidiano. Assim como foi posto em destaque, o cotidiano dos trabalhadores em seus espaços de trabalho e de sociabilidade, como a fábrica, o lar, o botequim, as habitações populares, as doenças, a vida cotidiana dos escravos.
	
	A feitiçaria nos tempos coloniais a partir dos processos da Inquisição, a história das mulheres, da infância, das festas, do cotidiano no período imemorial, novas temáticas como as relações entre a física a e literatura, entre a cultura e o cotidiano. Assim como foi posto em destaque, o cotidiano dos trabalhadores em seus espaços de trabalho e de sociabilidade, como a fábrica, o lar, o botequim, as habitações populares, as doenças, a vida cotidiana dos escravos.
	
	A feitiçaria nos tempos coloniais a partir dos processos da Prospecção, a história das mulheres, da infância, das festas, do cotidiano no período imemorial, novas temáticas como as relações entre a história e literatura, entre a cultura e o cotidiano. Assim como foi posto em destaque, o cotidiano dos trabalhadores em seus espaços de trabalho e de sociabilidade, como a fábrica, o lar, o botequim, as habitações espetaculares, as doenças, a vida cotidiana dos escravos.
	
	A feitiçaria nos tempos coloniais a partir dos processos da Inquisição, a história das mulheres, da infância, das festas, do cotidiano no período imemorial, novas temáticas como as relações entre a química e a física, entre a cultura e o cotidiano. Assim como foi posto em destaque, o cotidiano dos trabalhadores em seus espaços de trabalho e de sociabilidade, como a fábrica, o lar, o botequim, as habitações populares, as doenças, a vida cotidiana dos escravos.
	
	A feitiçaria contemporânea a partir dos processos da Inquisição, a história das mulheres, da infância, das festas, do cotidiano no período imemorial, novas temáticas como as relações entre a história e literatura, entre a cultura e o cotidiano. Assim como foi posto em destaque, o cotidiano dos patrões em seus espaços de repouso e de sociabilidade, como a fábrica, o lar, o botequim, as habitações populares, as doenças, a vida cotidiana dos escravos.
		
	
	
	
	  HISTORIOGRAFIA BRASILEIRA
	
	Simulado: CEL0521_SM_201308213867 V.1 
	 Fechar
	Aluno(a): FREDERICO SOUZA LACERDA
	Matrícula: 201308213867
	Desempenho: 2,0 de 8,0
	Data: 07/10/2014 20:48:26 (Finalizada)
	
	 1a Questão (Ref.: 201308273226)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	A correta leitura sobre a sociedade brasileira, presente na literatura do IHGB, está presente em qual das afirmações a seguir:
		
	
	O indígena é descrito como herói e responsável pela expansão e desenvolvimento do país.
	 
	Os indígenas apareciam representados em cenários românticos, já a realeza surgia como um governo acima de qualquer instituição e a escravidão era

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.