A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
16 pág.
exercicio de historiografia

Pré-visualização | Página 1 de 6

1a Questão (Ref.: 201306140944)
	
	Muitos autores que viveram ainda no período colonial escreveram sobre a história do Brasil e de algumas de suas regiões. Qual das alternativas abaixo NÃO apresenta um autor deste período?
		
	 
	Fernão Cardim
	
	Frei Vicente Salvador
	
	Sebastião da Rocha Pita
	
	Pe André João Antonil
	 
	Caio Prado Jr.
		
	
	
	 2a Questão (Ref.: 201306140946)
	
	Um dos primeiros documentos históricos brasileiros, ainda que não tivesse este fim, é:
		
	
	Crônicas tupinambás de Pe. Antônio Sardinha
	
	O tratado de Tordesilhas.
	 
	Carta de Pero Vaz de Caminha
	
	Poema Navio Negreiro de Castro Alves
	
	Cartas de José de Anchieta
		
	
	
	 3a Questão (Ref.: 201306140942)
	
	Sobre os discursos históricos brasileiros até 1838, podemos afirmar que eram:
		
	
	Eram não-oficiais, produzidos em guetos de São Paulo e Maranhã, por autores desconhecidos.
	 
	Uma série de relatos deixados por cronistas, viajantes e missionários.
	
	Uma única crônica deixada por José de Anchieta.
	
	Uma série de relatos dos historiadores ingleses que nos contam a memória do Brasil.
	 
	Eram oficiais, feitos pela coroa portuguesa e publicados no Brasil.
		
	
	
	 4a Questão (Ref.: 201306140947)
	
	No século XVII, o poeta Gregório de Mattos Guerra, inaugurou outra forma de avaliar a sociedade brasileira, podendo ser considerado cronista da política da Bahia. Gregório analisou:
		
	
	Aspectos da política portuguesa
	 
	Aspectos da sociedade brasileira
	
	A Economia aurífera brasileira
	
	O autor era um poeta, não pode ser considerado em relatos históricos
	
	A Igreja Católica e defendeu a vinda do Tribunal da Inquisição
		
	
	
	 
5a Questão (Ref.: 201306140949)
	
	Sem dúvida o maior historiador que produziu durante o período colonial brasileiro foi Antonil, um jesuíta italiano. Ele viveu em Salvador, na Capitania da Bahia, de 1681 até a sua morte, em 1716. Antonil foi um observador com arguto senso histórico, atento em especial ao fenômeno econômico. Descreveu com notável embasamento histórico a realidade econômica da Colônia, identificando com destaque a:
		
	
	As guerras indígenas, sendo nosso primeiro cronista de guerra
	 
	Produção de açúcar e demais atividades econômicas
	
	É um poeta, não pode ser considerado na História
	
	A sexualidade indígena
	
	As práticas funerárias estabelecidas nas colônias
		
	
	
	 6a Questão (Ref.: 201306244240)
	
	Embora só possamos falar de Historiografia Brasileira após a independência do Brasil, no período colonial alguns cronistas e viajantes, nascidos na América ou Europeus, documentaram a vida na colônia e chegaram a escrever sobre a história da América portuguesa. Assinale a alternativa que indica corretamente um desses autores:
		
	
	Januário da Cunha Barbosa
	 
	André João Antonil
	
	Francisco Adolfo de Varnhagen
	
	Raimundo José da Cunha Matos
	
	Rodrigo de Souza da Silva Pontes
		
	
	1a Questão (Ref.: 201306064952)
	
	Sobre a historiografia nacional brasileira do século XIX é INCORRETO afirmar que:
		
	
	Teve como alguns de seus principais representantes Vanhargen e Friedrich Von Martius.
	
	Sofreu influência da necessidade de construção da nacionalidade brasileira.
	 
	Está relacionada às intencionalidades políticas ligadas ao Império.
	 
	Utilizava como fontes históricas todos os tipos de documentação produzidos pela sociedade colonial, incluindo fontes orais e imagéticas.
	
	Sofria grande influência do cientificismo europeu característico desse período.
		
	
	
	 2a Questão (Ref.: 201306064304)
	
	Quanto a independência do Brasil. O pensamento historiográfico de Varnhagen tem o compromisso de estar em consonância com:
		
	 
	O pensamento republicano brasileiro
	 
	a ótica do colonizador
	
	O pensamento indigianista
	
	A ótica multicultural
	
	O pensamento laico
		
	
	
	
	
	Sobre o pensamento historiográfico de Varnhagen, apesar de bem documentado em suas fontes, podemos afirmar que:
		
	
	Defendia a supremacia da cultura indígena e africana
	 
	não coisifica o negro
	
	Não defendia os interesses da coroa portuguesa
	 
	Considera o índio como vagabundo, violento e bárbaro
	
	Atesta a igualdade entre as culturas que constituíram o Brasil
		
	
	
	 4a Questão (Ref.: 201306064237)
	
	O naturalista nascido na Baviera, Karl von Martius, escreveu o livro Como se deve escrever a História do Brasil. Qual o objetivo da obra?
		
	
	Descaracterizar a importância da extensão territorial do país;
	 
	Foi inserida em uma preocupação com uma História que tomasse a idéia de um passado nacional, comum a todos os "brasileiros";
	 
	Teve o objetivo de subjulgar os valores indígenas;
	
	Foi escrita no intuito de enaltecer os negros na sociedade brasileira;
	
	Foi inserida na tradição historiográfica dos Annales.
		
	
	
	 5a Questão (Ref.: 201306048566)
	
	Leia as afirmativas abaixo:
I- A obra de Varnhagen "HIstória Geral do Brasill" faz um elogio a colonização portuguesa;
II- Varnhagen escrevia uma história que atendia aos anseios da elite brasileira, pois não retratava conflitos e contradições acerca da História do Brasil;
III- O autor caracteriza uma historiografia tradicional e objetiva, baseada em fatos e datas;
IV- Varnhagem quis produzir uma verdade histórica sobre o Brasil e, assim como Ranke, tratar os eventos tal como eles ocorreram.
Marque a alternativa abaixo que identifica quais afirmativas estão corretas.
		
	
	Apenas I, III e IV estão corretas.
	
	Apenas I, II e III estão corretas.
	 
	As alternativas I, II, III e IV estão corretas.
	
	Apenas a I e III estão corretas.
	 
	Apenas a I e II estão corretas.
		 Gabarito Comentado.
	
	
	 
6a Questão (Ref.: 201306105431)
	
	Leia atentamente o fragmento abaixo:
"Assim, é no bojo do processo de consolidação do Estado Nacional que se viabiliza um projeto de pensar a história brasileira de forma sistematizada. A criação, em 1838, do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB) vem apontar em direção à materialização deste empreendimento, que mantém profundas relações com a proposta ideológica em curso." (GUIMARÃES, Manoel Luiz Salgado. Nação e civilização nos trópicos. Revista Estudos Históricos. Rio de Janeiro. N. 1, 1998. pp.5-27. p. 6)
De acordo com as considerações de Manoel Salgado, a historiografia brasileira nasce com uma dupla dimensão:
		
	 
	Intelectual e Política, já que o IHGB foi financiado pela Monarquia e tinha como missão escrever uma história oficial.
	
	Intelectual e Jurídica, já que o IHGB também tinha o poder de criar leis e era completamente independente das interferências da Monarquia.
	
	Intelectual e Jurídica, já que os historiadores também eram os principais juristas da Monarquia.
	
	Política e Jurídica, já que o IHGB não tinha qualquer dimensão intelectual, sendo os seus membros interessados tão somente na legislação imperial.
	
	Puramente intelectual, já que a história é, por definição, uma neutra e imparcial.
		
	1a Questão (Ref.: 201306272558)
	
	Em Capítulos de História Colonial, Capistrano de Abreu defendeu a seguinte tese: "em suma, dominavam forças dissolventes, centrífugas no organismo social; apenas se percebiam as diferenças; não havia consciência de unidade, mas de multiplicidade. Só muito devagar foi cedendo esta dispersão geral pelo meados do século XVII". (ABREU, Capistrano de. Capítulos de História Colonial. Belo Horizonte: Itatiaia,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.