Demanda Bioquímica de Oxigênio
4 pág.

Demanda Bioquímica de Oxigênio


Disciplina<strong>locações</strong>1 materiais1 seguidores
Pré-visualização1 página
SANEAMENTO AMBIENTAL EXPERIMENTAL 
TH 758 
DHS \u2013 PPGERHA - UFPR 
 
 
AULA PRÁTICA 2 - Determinação da demanda biológica de oxigênio 
(DBO) - Método Winkler (azida sódica) e Oxitop 
 
 
1. Princípio do método \u2013 Método de Winkler 
A determinação da DBO consiste em medidas da concentração de oxigênio dissolvido nas amostras, 
diluídas ou não, antes e após o período de incubação de 5 dias a 20 ºC. Durante esse período ocorrerá 
redução da concentração de OD na água, consumido por microrganismos aeróbios nas reações 
bioquímicas de decomposição de compostos orgânicos biodegradáveis. 
 
1.1 Equipamentos, vidrarias e materiais 
\uf0b7 Garrafão para água de diluição (compatível com o volume necessário no ensaio) 
\uf0b7 Incubadora termo-regulável (20±1ºC) 
\uf0b7 Frascos de DBO de 300ml 
\uf0b7 Pipetas volumétricas/micropipetas 
\uf0b7 Béckeres 
\uf0b7 Erlenmeyer 
\uf0b7 Bureta de 50ml 
 
 
1.2 Reagentes 
\uf0b7 Solução tampão de fosfato 
\uf0b7 Solução de sulfato de magnésio 
\uf0b7 Solução de cloreto de cálcio 
\uf0b7 Solução de cloreto férrico 
\uf0b7 Água de diluição 
 
1.3 Preservação da amostra 
Após a coleta, a amostra deverá ser mantida refrigerada, com validade de até 24 horas para o início da 
análise (incubação) 
 
 
2. Procedimento experimental \u2013 Método Winkler 
 
1. Regular o pH das amostras para 6,8 a 7,2 quando estiverem a temperatura ambiente. Utilize para o 
ajuste soluções levemente ácidas ou básicas como HCl 0,01 mol.L-1 ou NaOH 0,01 mol.L-1; Obs. caso 
haja a necessidade de correção do pH, as amostras deverão ser incubadas com adição de semente. 
2. Adicionar ao frasco de DBO identificado, a amostra ou amostra mais a alíquota da diluição. O 
Standard recomenda pelo menos 5 diluições. As diluições devem ser decididas com base na concentração 
de DQO ou conhecimento anterior do conteúdo orgânico. 
3. Anotar o nº e volume do frasco e a porcentagem da amostra adicionada em uma ficha de controle 
padrão; 
4. No caso de diluição da amostra, completar o volume do frasco com água de diluição evitando a 
formação de bolhas e turbulências; 
5. Preparar, considerando a necessidade de diluição, amostra em réplica de modo que possibilite a 
medição do ODinicial e ODfinal; 
5. Medir o ODinicial em um dos frascos. 
6. Levar as amostras de DBO5 para a incubação (20±1ºC); (segundo frasco de cada amostra) 
7. Após 5 dias determinar a concentração de ODfinal da amostra por meio do método modificado pela 
azida sódica (ver POP-01); 
 
2.1 Cálculo da DBO \u2013 Método Winkler sem semente 
 
( / ) I F
OD OD
DBO mg L
P
\uf02d
\uf03d5
 
em que : 
ODI = concentração de OD inicial (mg.L
-1
) 
ODF = concentração de OD final (mg.L
-1
) 
P = fração volumétrica da amostra utilizada (ml) 
 
2.3 Descarte dos resíduos 
Depois de finalizada a etapa de titulação o resíduo gerado nas leituras de DBO, pode ser descartado 
diretamente na pia sem necessidade de um pré-tratamento. 
 
 
 
3. Princípio do Método respirométrico/manométrico - OXITOP 
 
Baseia-se numa amostra em uma garrafa âmbar sob quantidade suficiente de microrganismos e nutrientes a 
temperatura controlada de 20\uf0b11ºC e que por meio de agitação faz com que o O2 presente na câmara de ar se 
dissolva no líquido. Os microorganismos respiram este oxigênio dissolvido na amostra durante o processo de 
degradação da matéria orgânica, exalando CO2, que é absorvido pelos grânulos de NaOH p.a contido em um 
reservatório de borracha, produzindo uma diferença de pressão na garrafa, que é medida pelo sensor Oxitop, cujo 
sistema realiza este leitura digital e conversão dos valores para mg O2.L
-1
. 
 
3.1 Equipamentos, vidrarias e materiais 
\uf0b7 Garrafas de DBO Oxitop 
\uf0b7 Bandeja de agitação magnética 
\uf0b7 Agitador magnético 
\uf0b7 Incubadora termo-regulável (20±1ºC) 
\uf0b7 Pipetas volumétricas 
\uf0b7 Frascos volumétricos padrão 
 
 
3.2 Reagentes 
\uf0b7 NAOH (pa) em pérolas 
\uf0b7 Solução tampão de fosfato 
\uf0b7 Solução de sulfato de magnésio 
\uf0b7 Solução de cloreto de cálcio 
\uf0b7 Solução de cloreto férrico 
\uf0b7 Solução de cloreto de amônio 
 
3.3 Preservação da amostra 
Após a coleta, a amostra deverá ser mantida refrigerada, com validade de até 24 horas para o início da 
análise (incubação) 
 
 
4. Procedimento analítico: Método respirométrico/manométrico - OXITOP 
 
 
1. Com o valor da DQO da amostra ou a faixa de DBO esperada e de acordo com estes valores observar na 
Tabela 1, o volume da amostra e solução nutriente a ser transferido para a garrafa de Oxitop; 
 
Tabela 1. Especificação dos valores de amostra e volume de solução nutriente utilizados na quantificação de DBO, 
a partir do procedimento OXITOP segundo as faixas de DBO. 
DBO ESPERADA 
(mg.L
-1
) 
VOLUME DE AMOSTRA 
(ml) 
VOLUME DE SOLUÇÃO 
NUTRIENTE (ml) 
0 \u2013 40 432 1,7 
0 \u2013 80 365 1,5 
0 \u2013 200 250 1,0 
0 \u2013 400 164 0,6 
0 \u2013 800 97 0,4 
0 \u2013 2000 43,5 0,2 
 
 
2. Transferir o volume de amostra no frasco de DBO Oxitop; 
3. Pipetar o volume da solução nutriente, que é composta por: 
a. 6ml da solução de tampão fosfato; 
b. 2ml da solução de sulfato de magnésio; 
c. 2ml da solução de cloreto férrico; 
d. 2ml da solução de cloreto de cálcio; 
e. 2ml da solução de cloreto de amônio. 
4. Colocar a barra magnética dentro da garrafa; 
5. Adicionar de 2 a 4 pastilhas de NaOH (p.a) no reservatório de borracha; 
6. Colocar o reservatório com cuidado na boca da garrafa; 
7. Fechar a garrafa com o sensor e colocar sobre o sistema de agitação; 
8. Ligar o sistema de agitação e verificar os agitadores; 
9. Pressionar simultaneamente as teclas M e S até que apareça no visor do sensor \u201c00\u201d; 
 
4.1 Cálculo da DBO \u2013 Método Oxitop 
 
A concentração final da DBO5 será dada após o término da análise no leitor do sensor do Oxitop. 
 
4.2 Descarte do resíduo gerado \u2013 Método Oxitop 
 
Depois de finalizada as leituras no equipamento OXITOP, o resíduo (amostra e mistura de solução 
nutriente) pode ser descartado diretamente na pia sem necessidade de um pré-tratamento. 
 
5. Referências 
 
STANDARD METHODS, methods 4500 - O C & 5210 B (Apha, 1998)