A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
104 pág.
Agrotóxicos em leite humano de mães residentes em Lucas do rio verde   MT

Pré-visualização | Página 1 de 26

Universidade Federal de Mato Grosso 
Instituto de Saúde Coletiva 
 
 
 
 
 
 
Agrotóxicos em leite humano de mães residentes em 
Lucas do Rio Verde – MT 
 
 
 
 
Danielly Cristina de Andrade Palma 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Cuiabá 
2011 
Dissertação apresentada ao Programa 
de Pós-Graduação em Saúde Coletiva 
para a obtenção do título de Mestre em 
Saúde Coletiva. 
 
Área de concentração: Saúde Coletiva 
 
Orientador: Prof. Dr. Wanderlei 
Antonio Pignati 
 
Co-orientadora: Profa. Dra. Carolina 
Lourencetti 
Agrotóxicos em leite humano de mães residentes em 
Lucas do Rio Verde – MT 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Danielly Cristina de Andrade Palma 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Cuiabá 
2011 
Dissertação apresentada ao Programa 
de Pós-Graduação em Saúde Coletiva 
para a obtenção do título de Mestre em 
Saúde Coletiva. 
 
Área de concentração: Saúde Coletiva 
 
Orientador: Prof. Dr. Wanderlei 
Antonio Pignati 
 
Co-orientadora: Profa. Dra. Carolina 
Lourencetti 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Dados Internacionais de Catalogação na Fonte 
 
P171a Palma, Danielly Cristina de Andrade. 
 Agrotóxicos em leite humano de mães residentes em Lucas do Rio 
Verde - MT / Danielly Cristina de Andrade Palma. – 2011. 
 103 f. : il. (algumas color.) ; 30 cm. 
 
 Orientador: Wanderlei Antonio Pignati. 
 Co-orientadora: Carolina Lourencetti. 
 Dissertação (mestrado) – Universidade Federal de Mato Grosso, 
Instituto de Saúde Coletiva, Programa de Pós-Graduação em Saúde 
Coletiva, Cuiabá, 2011. 
 Inclui bibliografia. 
 
 1. Agrotóxicos. 2. Leite humano – Contaminação por agrotóxicos. 
3. Agrotóxicos – Lucas do Rio Verde – Mato Grosso. 4. Agronegócio. 
I. Título. 
CDU 612.664:632.95.024(817.2) 
 
Ficha Catalográfica elaborada pelo Bibliotecário Jordan Antonio de Souza - CRB1/2099 
Permitida a reprodução parcial ou total desde que citada a fonte 
 
 
 
 
 
 
 
 
4 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
"O que para uns é 
alimento, para outros 
será um veneno violento." 
 (Lucrécio) 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Aos meus pais, Shirlei e 
José (in memoriam), por 
serem à base de tudo em 
minha vida. 
Agradecimentos
 
A Deus, Senhor de todas as coisas e da minha vida, que tornou tudo possível. 
 
À minha mãe Shirlei, pelo exemplo de vida, de garra, de coragem, de determinação e 
perseverança. Por acreditar em meus sonhos e não medir forças para torná-los 
realidade. 
 
À minha irmã Grazy e meu cunhado Fabrício, por todas as palavras de 
encorajamento e carinho. Por acreditarem que mais esse sonho era possível e por 
fazerem parte do meu dia-a-dia. 
 
Aos meus “anjos” sem asas Ana Silvia, Bélin, Débora, Isabela, Juliana e Paula. Por 
estarem ao meu lado nos momentos mais difíceis. Pelos momentos de extrema 
alegria. Pela torcida. Pela amizade verdadeira. Obrigada sempre. 
 
Ao Anderson, por compartilhar comigo desse sonho. Obrigada pelo apoio, paciência, 
amor e carinho. 
 
À tia Irani e a minha avó Iracema, pelo amor incondicional de vocês. Pelo apoio 
constante, pelas palavras de força, de ânimo que sempre me ajudaram e muitas vezes 
me levantaram em minhas caminhadas. 
 
Ao professor Wanderlei Antonio Pignati pela orientação ao longo do curso. 
 
À professora Carolina Lourencetti (Carol), por toda ajuda durante essa jornada, mas 
principalmente pela sua amizade. Deixo aqui toda a minha admiração pela 
profissional e pessoa que você é. 
 
À professora Eliana Freire Gaspar de Carvalho Dores, por ceder o Laboratório de 
Análise de Resíduos de Biocidas (LARB) e por toda ajuda. 
 
Ao professor Alício Alves Pinto, pelas idas a campo, sua presença fez toda a 
diferença. Pela amizade e pelas conversas sempre animadas. 
 
À professora Marta Gislene Pignatti, pelas conversas e esclarecimentos. 
 
Ao professor Ageo Mário Candido da Silva, pela ajuda nas análises estatísticas, pela 
paciência e pelas palavras de encorajamento na reta final. 
 
Ao professor Paulo Roberto Bezerra de Mello, pelas trocas de ideias no início do 
projeto. 
 
Aos professores Josino Costa Moreira e Frederico Peres, por todo apoio durante a 
realização deste projeto. 
À professora Edna Lopes Hardoim, minha eterna “orientadora”, pela amizade em 
todos os momentos e aos sábios conselhos. 
 
À Marli Eliane Uecker, por toda ajuda desde o início do trabalho e pela amizade. 
 
À Ana Cristina Simões Rosa, pela ajuda na validação do método e todas as demais 
no decorrer do trabalho. 
 
À Thais Hernandes, pela ajuda na validação do método. 
 
À turma do mestrado em Saúde Coletiva 2009, pela convivência que foi gratificante. 
 
Aos colegas do LARB, pelos momentos divididos e divertidos. 
 
Ao Sandro, pela ajuda na revisão. Valeu. 
 
À Jurema e ao Hailton, por serem sempre prestativos. 
 
A todas as mães que aceitaram participar dessa pesquisa, sem a colaboração de vocês 
a realização deste projeto não seria possível. 
 
À Secretaria Municipal de Saúde de Lucas do Rio Verde, na pessoa do secretário, 
Pascoal de Oliveira Junior, por ter cedido dados e por ter autorizado a realização do 
projeto nas dependências dos PSF. 
 
À Barbara Marconi Thiago Ferreira, Fernanda Dotto, Jorge Vanini e Fábio Montanha 
por toda a atenção e ajuda. Sem a colaboração de vocês a realização desse projeto 
não seria possível. Muito obrigada. 
 
Às enfermeiras Vivian Favaro (PSF I), Franciele Carlo (PSF II), Cintia Primon (PSF 
III) Cristiane Souza (PSF V), Taís Garcia (PSF VI), Karime Souto (PSF VII), 
Daniela Lins Viana (PSF VIII), Heloísa Sartori (PSF X), Maria Aldina Meurer (PSF 
Rural) e a equipe do PSF IV por terem aderido e colaborado com o projeto. 
 
Às agentes comunitárias de saúde, por terem ajudado nas coletas residenciais. 
 
À Thais e a senhora Leo do PSF rural da comunidade São Cristovão, por toda a 
atenção e ajuda nas coletas residenciais nas fazendas. 
 
Ao senhor Nilfo e a senhora Idália, pelo empréstimo do alojamento do Sindicato dos 
Trabalhadores Rurais. 
 
Ao Banco de Leite do Hospital Universitário Julio Muller, na pessoa do seu diretor, 
Roberto Diniz Vinagre, pelas amostras cedidas e pela realização do crematócrito em 
suas dependências. 
 
À Universidade Federal de Mato Grosso, por possibilitar a realização desse trabalho. 
 
Ao CNPq, pelo financiamento, através da bolsa de estudos concedida durante estes 
dois anos e o financiamento do projeto “Avaliação do risco à saúde humana 
decorrente do uso de agrotóxicos na agricultura e pecuária na região Centro-Oeste” 
(CNPq n. 555193/2006-3), que foram, com certeza, imprescindíveis para a 
concretização deste trabalho. 
 
A todos que de alguma forma colaboraram na realização desse projeto. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Resumo 
 
 
Os agrotóxicos são poluidores e podem causar agravos à saúde humana. Devido ao 
crescimento do agronegócio no Estado de Mato Grosso e no município de Lucas do 
Rio Verde-MT, calcula-se que a população do município está exposta a 136,35 litros 
de agrotóxicos habitante/ano, trinta e sete vezes maior que a média nacional. Parte 
desses produtos utilizados na lavoura atinge a “peste” alvo, parte dissipa-se no 
ambiente podendo acumular-se no organismo humano ocasionando malformações, 
abortos, interferentes endócrinos e alguns tipos de câncer e podem ser detectados no 
leite humano. Considerando esses aspectos, este trabalho teve como objetivo 
determinar resíduos de agrotóxicos em leite de mães residentes em Lucas do Rio 
Verde – MT. Dez substâncias (α-endossulfam,