A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
37 pág.
Aula   Transtornos alimentares Bulimia e Anorexia

Pré-visualização | Página 1 de 1

Patologia e Dietoterapia nos 
Distúrbios Alimentares
Associação Educativa do Brasil – SOEBRAS
Faculdade de Saúde Ibituruna – FASI
Patologia e Dietoterapia II
Distúrbios Alimentares
Laura Caroline F. M. Capuchinho
Distúrbios Alimentares
• São alterações/desvios do comportamento
alimentar, que provocam doença ou
incapacidade.
Anorexia Nervosa
• É caracterizada por uma perda de peso auto-
imposta, disfunção endócrina e atitudes
psicopatogênicas em relação à alimentação epsicopatogênicas em relação à alimentação e
ao peso.
• A anorexia nervosa caracteriza-se por perda
de peso intensa à custa de dietas rígidas auto-
impostas em busca desenfreada da magreza;
Anorexia Nervosa
impostas em busca desenfreada da magreza;
• Distorção da imagem corporal.
Biológica
Psicológica
Social
T.A.
Anorexia Nervosa
• Ocorre, tipicamente, em mulheres;
Influência da “cultura do 
corpo”/magrezacorpo”/magreza
Comportamentos anoréticos
Anorexia Nervosa
• Refeições de baixa caloria;
• Apresentam medo intenso de engordar;
Anorexia Nervosa
• O início é marcado por uma restrição dietética
progressiva com a eliminação de alimentos
considerados que engordam;considerados que engordam;
Carboidratos
Anorexia Nervosa
• Insatisfação corporal obesas
A.N
Dieta
ComidaImagem Corporal
Peso 
Corporal
Isolamento social
Anorexia Nervosa
• A prática de exercícios físicos é freqüente;
• O comportamento anormal em relação à• O comportamento anormal em relação à
comida e à atividade física torna-se
compulsivo e cada vez mais freqüente.
Anorexia Nervosa
• Do ponto de vista intelectual/psicológico
ocorrem:
– Dificuldades de concentração;– Dificuldades de concentração;
– Baixo rendimento escolar;
– Distúrbios de auto-imagem;
– Depressão;
– Suicídios.
Aspectos Clínicos – Anorexia 
Nervosa
• Pele seca e fina;
• Perda de gordura corporal Desnutrição;
• Intolerância ao frio;
• Bradicardia ( FC);
• Queda de cabelo.
Bulimia Nervosa
• É uma desordem igualmente grave,
caracterizada pelo comer compulsivo (grandes
quantidades em pequeno espaço de tempo),quantidades em pequeno espaço de tempo),
seguida por vômitos induzidos.
• Apresenta algumas características peculiares
e, na maioria das vezes, não corresponde a
um comportamento que visa atender a uma
Bulimia Nervosa
um comportamento que visa atender a uma
fome exagerada
Estados emocionais e situações estressantes da vida cotidiana
• Essa desordem ocorre predominantemente
em mulheres jovens adultas;
Bulimia Nervosa
• Pico de idade entre 18 e 19 anos;
Bulimia Nervosa
• Os alimentos ingeridos são altamente
calóricos
Bulimia Nervosa
• O ato de comer/vomitar associa-se com a perda de
controle sobre a alimentação;
• Indução do vômito utiliza algum objeto;
• Não necessita estimulação mecânica.
• Remédios
Bulimia Nervosa
Manual de 
Diagnóstico e 
Estatística de 
Transtornos Mentais
BN Purgativo BN Não Purgativo
Bulimia Nervosa
Métodos + invasivos
Vômito, laxantes, 
diuréticos
Menos invasivo
Jejuns e exercício 
físico
Bulimia Nervosa
• Tendência suicida + comportamentos
compulsivos (alcoolismo, abuso de drogas,
mania de fazer compras) BN;mania de fazer compras) BN;
• Como os episódios ocorrem em sigilo e muitas
vezes não há magreza excessiva  não
detectada.
• Muitas vezes não demonstram nenhuma
alteração orgânica;
Aspectos Clínicos – Bulimia 
Nervosa
• Pode ocorrer um aumento não doloroso das
glândulas salivares;
• Podem ocorrer perda:
– Esmalte dentário,
– Unhas fracas, quebradiças e sem brilho
Aspectos Clínicos – Bulimia 
Nervosa
– Unhas fracas, quebradiças e sem brilho
(conseqüentes dos vômitos),
– Presença de calosidade nas costas das mãos pela
ação dos dentes na região (no ato de induzir
vômitos).
• Irritação na garganta;
• Inflamação do esôfago;
Aspectos Clínicos – Bulimia 
Nervosa
• Lábios rachados e lesados;
• Rompimentos de vasos sanguíneos da face.
Tratamento
• Antes de iniciar o tratamento, deve-se decidir
se há necessidade de hospitalização para
ambos os casos;ambos os casos;
• Família.
Tratamento - Anorexia
• Os objetivos do tratamento são, dentre
outros:
– Restaurar o peso saudável;
– Tratar as complicações físicas;
– Aumentar a motivação do paciente em cooperar
para a obtenção de padrões alimentares e a
participar do tratamento.
• Dieta por via oral 1ª opção;
Tratamento - Anorexia
• Taxa de ganho de peso:
– 1 a 1,5 kg/semana- hospital;
– 200 a 500 g/semana- ambulatório.
• É importante que as refeições sejam
fracionadas e com volume reduzido;
Tratamento - Anorexia
• Dietas líquida e concentradas  pastosa 
consistência normal.
• Suplementos protéicos, vitamínicos e
minerais;
Tratamento - Anorexia
• Ingestão calórica:
– 30 a 40kcal/kg/dia;
– 70 a 100kcal/kg/dia;
– 40 a 60kcal/kg/dia.
• Recusa de alimentação via oral  nutrição
enteral (nutrientes direto no TGI via sonda);
Tratamento - Anorexia
• Esclarecer para o paciente quanto ao risco da
desnutrição.
• Objetivo:
– Reduzir os episódios de comer compulsivamente e
os vômitos induzidos;
Tratamento - Bulimia
– Aconselhamento nutricional para minimizar a
restrição alimentar, corrigindo deficiências
nutricionais, aumentando a variedade de
alimentos ingeridos.
• Dieta por via oral;
Tratamento - Bulimia
• Evitar alimentos anteriormente “proibidos”
pelo pacientemelhor adesão ao TN;
• Atentar-se para deficiência nutricionais.
• Aconselhamento Nutricional
Tratamento - Bulimia
Padrões errôneos na 
alimentação provocam 
desnutrição
• É comum ocorrer retenção de fluidos quando
o paciente reduz o consumo de diuréticos
e/ou laxantes e a prática de vômitos;
desnutrição
• Também deve ser discutido qual é o peso ideal
para o paciente, com base na sua composição
física e histórico de peso;
Tratamento - Bulimia
física e histórico de peso;
• Raramente precisam da NE e quase nunca
precisam ser hospitalizados.