A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
109 pág.
Cirurgia PlásticaPeriodontal

Pré-visualização | Página 21 de 42

o enxerto 
e reposicionado coronalmente, inclusive sobre as possíveis retra-
ções gengivais dos dentes adjacentes.
187Revista PerioNews 2011;5(2):183-9
 Periodontia
bem como um aumento na faixa de mucosa queratinizada, 
estatisticamente signifi cantes nos três grupos experimentais 
do início ao fi m dos seis meses de acompanhamento pós-
operatório (Tabela 1). No entanto, não foram encontradas di-
ferenças com valor estatístico entre os grupos (Tabelas 1 e 2). 
Estes resultados demonstram a efi cácia dos tratamentos com 
a fi nalidade de recobrimento radicular, sem a superioridade de 
uma técnica em relação à outra.
Os índices de PBS e NCI não sofreram alterações signifi ca-
tivas dentro de cada um dos grupos no período de avaliação. 
No entanto, tanto os valores iniciais quanto os obtidos após 
seis meses foram compatíveis com aqueles referidos em qua-
dros de saúde periodontal.
DISCUSSÃO
Quando o assunto envolve regeneração ou reparação te-
cidual, a descoberta de materiais que atuem como substitutos 
de tecidos autógenos pode assumir um caráter revolucioná-
rio no tratamento de áreas extensas, com reduzida morbida-
de, em um grande número de pacientes. Na Odontologia e, 
mais especifi camente, nas cirurgias periodontais mucogengi-
vais, a matriz dérmica acelular tem sido investigada como um 
possível substituto do enxerto de tecido conjuntivo há pelo 
menos uma década. Resultados interessantes foram obtidos 
nesta comparação. Em 22 pacientes com retrações gengivais 
bilaterais tratados com tecido conjuntivo ou com MDA, auto-
Parâmetro Retração gengival Faixa de mucosa queratinizada
Avaliação 
Inicial Seis meses Signifi cância Inicial Seis meses Signifi cância
(mm) (mm) Valor de p (mm) (mm) Valor de p
Pericárdio bovino acelular 3,40 ± 0,30 0,72 ± 0,51 p < 0,001 # 1,70 ± 0,42 3,00 ± 0,51 p < 0,001 #
Matriz dérmica acelular 3,46 ± 0,42 0,98 ± 0,48 p < 0,001 # 1,92 ± 0,54 3,20 ± 0,82 p < 0,001 #
Tecido conjuntivo 3,15 ± 0,38 0,64 ± 0,46 p < 0,001 # 1,97 ± 0,73 3,30 ± 0,72 p < 0,001 #
Signifi cância NS NS NS NS 
Parâmetro Nível clínico de inserção relativo Profundidade de bolsa a sondagem
Avaliação 
Inicial Seis meses Signifi cância Inicial Seis meses Signifi cância
(mm) (mm) Valor de p (mm) (mm) Valor de p
Pericárdio bovino acelular 10,10 ± 0,42 9,10 ± 0,31 NS 1,38 ± 0,46 1,52 ± 0,50 NS
Matriz dérmica acelular 11,66 ± 0,51 10,62 ± 0,52 NS 1,62 ± 0,44 1,82 ± 0,45 NS
Tecido conjuntivo 11,08 ± 0,47 9,98 ± 0,34 NS 1,30 ± 0,37 1,58 ± 0,32 NS
Signifi cância NS NS NS NS 
TABELA 1 – AVALIAÇÃO INICIAL E FINAL DOS DIFERENTES PARÂMETROS AVALIADOS
# Diferença estatisticamente signifi cante.
 Parâmetro (aumento ou redução em mm )
Grupo RG MQ NCIR PBS
Pericárdio bovino acelular 2,68 ± 0,46 1,30 ± 0,49 1,00 ± 0,40 0,14 ± 0,40
Matriz dérmica acelular 2,48 ± 0,50 1,28 ± 0,89 1,04 ± 0,51 0,20 ± 0,32
Tecido conjuntivo 2,51 ± 0,45 1,33 ± 0,83 1,10 ± 0,38 0,28 ± 0,39
Diferença NS NS NS NS 
TABELA 2 – AUMENTO OU REDUÇÃO DE CADA PARÂMETRO AO LONGO DO PERÍODO DE AVALIAÇÃO
RG: retração gengival, MQ: faixa de mucosa queratinizada, NCIR: nível clínico de inserção relativo, PBS: profundidade de bolsa a sondagem.
188 Revista PerioNews 2011;5(2):183-9
de Barros RRM  Macedo GO  Novaes Jr. AB
TABELA 3 – PORCENTAGENS DE RECOBRIMENTO RADICULAR (RR) 
OBTIDAS APÓS O PERÍODO DE AVALIAÇÃO DE SEIS MESES NOS TRÊS 
GRUPOS DE ESTUDO
Grupo % RR
Pericárdio bovino acelular 78,82%
Matriz dérmica acelular 71,67%
Tecido conjuntivo 79,68%
res7 obtiveram resultados clínicos satisfatórios, sem diferen-
ças estatisticamente signifi cantes entre os grupos com 65,9% 
de recobrimento radicular para o grupo tratado com MDA e 
74,1% para o grupo tratado com enxerto de tecido conjuntivo 
subepitelial (ECS). Resultados semelhantes foram obtidos por 
autores6 que em outro estudo que tratou um número maior 
de retrações (30 no total) com o mesmo período de acom-
panhamento de seis meses. Neste, obteve-se uma média de 
redução de retração de 1,83 ± 0,83 mm no grupo do enxerto 
autógeno e 2,10 ± 1,0 mm para o grupo do enxerto alógeno, 
sem diferenças estatisticamente signifi cantes entre eles. Assim 
como este, outros trabalhos certifi caram a efi cácia da utiliza-
ção da MDA no recobrimento radicular3-8, o que impulsiona e 
suporta a busca por outros biomateriais capazes de substituir 
o tecido autógeno.
De forma inovadora, o presente estudo avaliou o tra-
tamento de retrações gengivais com enxerto de pericárdio 
bovino acelular (PBA), obtendo resultados de recobrimento 
radicular promissores e estatisticamente semelhantes àque-
les obtidos com o enxerto de MDA e com o enxerto autóge-
no de tecido conjuntivo. De fato, todos os grupos avaliados 
se mostraram capazes para diminuir de forma signifi cativa o 
tamanho das retrações gengivais e, ainda, de aumentar a fai-
xa de mucosa queratinizada da região tratada também com 
relevância estatística. Pode-se afi rmar que a melhora nestes 
dois parâmetros representa no tratamento destes defeitos 
periodontais o principal indicativo de sucesso. Paralelamente, 
foram avaliados os índices de profundidade de sondagem e 
nível clínico de inserção. Os valores iniciais para a profundidade 
de sondagem revelaram que as áreas selecionadas para trata-
mento encontravam-se dentro dos limites aceitáveis de saúde 
periodontal com valores inferiores a 3 mm. Após seis meses, 
estes valores não sofreram modifi cações signifi cativas. Em re-
lação ao nível clínico de inserção, foram observadas melhoras 
numéricas nos três grupos experimentais, no entanto, sem re-
levância estatística. As porcentagens de 78,82% para o enxerto 
de PBA, de 71,67% para o enxerto de MDA e de 79,68% para o 
ECS (Tabela 3) condizem com aqueles observados na literatura 
científi ca, no que diz respeito a um período pós-operatório de 
seis meses, até mesmo superando os índices de recobrimento 
radicular demonstrados6-7 (66,5% para MDA e 64,9% para ECS; 
65,9% para MDA e 74,1% para ECS), por estu-
dos citados anteriormente.
É bem verdade, no entanto, que este es-
tudo representa uma análise preliminar com 
apenas seis indivíduos na amostra. Os critérios 
de inclusão para a pesquisa são rigorosos e 
a exigência de encontrar, em cada indivíduo 
selecionado, pelo menos três retrações gen-
givais similares no tamanho (largura e altura) 
e na classifi cação de Miller, em diferentes qua-
drantes, para receber os três diferentes tipos 
de tratamento difi culta ainda mais a seleção e, 
portanto, a composição da amostra. Por ou-
tro lado, ainda sobre a igualdade de resultados 
dos diferentes tratamentos, as observações 
feitas durante o acompanhamento pós-operatório mostraram 
que o enxerto de PBA apresentou um padrão cicatricial seme-
lhante entre os indivíduos (avaliação intragrupo) e também 
semelhante em relação aos demais grupos (avaliação entre 
grupos), produzindo uma coloração e textura gengivais homo-
gêneas em relação aos tecidos vizinhos, sem sinais evidentes 
de infl amação ou infecção na área enxertada.
Os altos índices de recobrimento radicular, no entanto, 
podem estar relacionados com a técnica cirúrgica selecionada. 
Existe um consenso, quando se lida com enxertos gengivais, 
sobre a importância da nutrição ou irrigação dos mesmos para 
Os critérios de inclusão para a pesquisa são rigorosos e a 
exigência de encontrar, em cada indivíduo selecionado, pelo 
menos três retrações gengivais similares no tamanho (largura 
e altura) e na classifi cação de Miller, em diferentes quadrantes, 
para receber os três diferentes tipos de tratamento difi culta ainda 
mais a seleção e, portanto, a composição da amostra.
189Revista PerioNews