A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
109 pág.
Cirurgia PlásticaPeriodontal

Pré-visualização | Página 22 de 42

2011;5(2):183-9
 Periodontia
o sucesso de resultados. No caso dos enxertos utilizados neste 
estudo, é importante ressaltar que os mesmos são estrutu-
ralmente diferentes, o que implica em processos cicatriciais 
também diferentes, indicando a importância pela escolha ade-
quada da técnica cirúrgica ou do desenho de retalho. Enquan-
to o enxerto de conjuntivo tem sua incorporação baseada na 
anastomose dos vasos sanguíneos do próprio enxerto autó-
geno com aqueles disponíveis na área receptora11-13, o enxerto 
alógeno2 e o enxerto heterógeno não dispõem de vasos san-
guíneos e nem mesmo de células próprias, dependendo total-
mente da migração dos mesmos por parte da área receptora.
Com base na técnica proposta10, a qual abordou exata-
mente esta questão da qualidade de irrigação sanguínea para 
utilização do enxerto de matriz dérmica acelular no tratamen-
to de retrações gengivais localizadas, observou-se que o sim-
ples deslocamento das incisões relaxantes de forma a englo-
bar os dentes adjacentes em um retalho estendido é capaz 
de favorecer o recobrimento radicular, muito provavelmente 
por ampliar o suprimento sanguíneo e, consequentemente, 
aumentar a fonte de células e nutrientes. A comparação entre 
a técnica rotineiramente utilizada, com as incisões relaxantes 
posicionadas a partir dos ângulos proximais do dente a ser tra-
tado, e a técnica modifi cada permitiu que autores10 concluís-
sem que a segunda foi mais adequada por alcançar resultados 
de recobrimento radicular estatisticamente superior (63% x 
79%). Portanto, tal técnica de retalho estendido foi seleciona-
da para comparar o enxerto de pericárdio bovino acelular com 
a MDA e com o ECS. Particularmente, nos grupos tratados com 
pericárdio bovino acelular e com a MDA, esta técnica permite 
o tracionamento coronal do retalho de forma passiva sobre 
o enxerto, o que no caso destes que são matrizes acelulares 
representa uma manobra efi caz em evitar a exposição dos en-
xertos, ainda que parcial, o que os tornaria mais suscetíveis aos 
processos necróticos.
CONCLUSÃO
Os altos índices de recobrimento radicular obtidos com a 
utilização do enxerto de pericárdio bovino acelular, o indicam 
como um possível substituto do enxerto de tecido conjuntivo 
subepitelial, qualidade também atribuída ao enxerto de matriz 
dérmica acelular, o qual tem tido sua comercialização limitada 
no Brasil.
Endereço para correspondência:
Raquel Rezende Martins de Barros
Av. do Café, s/n
14040-904 – Ribeirão Preto – SP
Tel.: (16) 9773-6226
rachbarros@hotmail.com
REFERÊNCIAS
1. Langer B, Langer L. Subepithelial connective tissue graft technique for root 
coverage. J Periodontol 1985;56:715-20.
2. Scarano A, Barros RRM, Iezzi G, Piattelli A, Novaes Jr. AB. Acellular dermal 
matrix graft for gingival augmentation: a preliminary clinical, histologic, and 
ultrastructural evaluation. J Periodontol 2009;80:253-59.
3. Paolantonio M, Dolci M, Esposito P, D’Archivio D, Lisanti L, Di Luccio A et al. 
Subpedicle acellular dermal matrix graft and autogenous connective tissue graft 
in the treatment of gingival recessions: a comparative 1-year clinical study. J 
Periodontol 2002;73:1299-307.
4. Tal H, Moses O, Zohar R, Meir H, Nemcovsky C. Root coverage of advanced gingival 
recession: a comparative study between acellular dermal matrix allograft and 
subepithelial connective tissue grafts. J Periodontol 2002;73:1405-11.
5. Gapski R, Parks CA, Wang HL. Acellular dermal matrix for mucogingival surgery: a 
meta-analysis. J Periodontol 2005;76:1814-22.
6. Novaes Jr. AB, Grisi DC, Molina GO, Souza SL, Taba Jr. M, Grisi MF. Comparative 
6-month clinical study of a subepithelial connective tissue graft and acellular 
dermal matrix graft for the treatment of gingival recession. J Periodontol 
2001;72:1477-84.
7. Aichelmann-Reidy ME, Yukna RA, Evans GH, Nasr HF, Mayer ET. Clinical evaluation 
of acellular allograft dermis for the treatment of human gingival recession. J 
Periodontol 2001;72:998-1005.
8. Rahmani ME, Lades MA. Comparative clinical evaluation of acellular dermal matrix 
allograft and connective tissue graft for the treatment of gingival recession. J 
Contemp Dent Pract 2006;7:63-70.
9. Costa JNL, Pomerantzeff PMA, Braile DM, Ramirez VA, Groissis G, Stolf NAG. 
Comparação entre o pericárdio bovino decelularizado e o pericárdio bovino 
convencional utilizado na confecção de bioprótese valvares cardíacas. Rev Bras 
Cir Cardiovasc 2005;20:14-22.
10. Barros RRM, Novaes AB, Grisi MF, Souza SL, Taba M J, Palioto DB. A 6-month 
comparative clinical study of a conventional and a new surgical approach for root 
coverage with acellular dermal matrix. J Periodontol 2004;75:1350-56.
11. Guiha R, el Khodeiry S, Mota L, Caffesse R. Histological evaluation of healing 
and revascularization of the subepithelial connective tissue graft. J Periodontol 
2001;72:470-8.
12. Janson WA, Ruben MP, Kramer GM, Bloom AA, Turner H. Development of the blood 
supply to split-thickness free gingival autografts. J Periodontol 1969;40:707-16.
13. Oliver RC, Loe H, Karring T. Microscopic evaluation of the healing and 
revascularization of free gingival grafts. J Periodontal Res 1968;3:84-95.
17Revista PerioNews 2011;5(1):17-22
 Periodontia
RESUMO
A gengiva tem um papel importante na estética do sorriso. O sorriso gen-
gival, o qual apresenta exposição gengival em excesso, pode ter como 
fatores etiológicos: excesso maxilar vertical (esquelético), lábio superior 
curto ou hiperativo, posição dentária relacionada com a extrusão, coroa 
clínica curta, ou erupção passiva alterada. Esta última ocorre quando não 
há uma correta migração apical da margem gengival e parte da coroa 
anatômica do dente permanece coberta por gengiva. O presente trabalho 
teve como objetivo discutir classifi cação, métodos de diagnóstico e plano 
de tratamento do sorriso gengival causado por erupção passiva alterada, 
ilustrada por meio de um caso clínico.
Unitermos - Erupção dentária; Estética dentária; Sorriso; Gengiva; Au-
mento de coroa clínica; Coroa dentária.
ABSTRACT
The gingiva plays a fundamental role in the esthetics of smile. The gummy 
smile, which presents excessive gingival exposure, may have as etiologic 
factors the vertical maxillary excess (skeletal), short or hyperactive upper lip, 
extruded tooth positioning, short clinical crown, or delayed passive eruption. 
The latter occurs when there is no correct apical migration of the gingival 
margin and part of the anatomical crown of the tooth remains covered by 
gingiva. The present study aims at discussing the classifi cation, methods 
for diagnosis and treatment plan for the gummy smile caused by delayed 
passive eruption, illustrated by means of a case report.
Key Words - Tooth eruption; Esthetics dental; Smiling; Gingiva; Tooth 
crown.
Erupção passiva 
alterada: diagnóstico, 
classifi cação e plano de 
tratamento
*Mestre em Periodontia e doutora em Reabilitação Oral – Faculdade de 
Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo (FOB/USP) – Bauru/SP.
*Professora doutora do Depto. de Prótese – FOB/USP e Hospital de Reabi-
litação de Anomalias Craniofaciais da Universidade de São Paulo – HRAC/
USP – Bauru/SP.
Relato de caso clínico
Marly Kimie Sonohara Gonzales*
Ana Lúcia Pompéia Fraga de Almeida**
Delayed passive eruption: diagnosis, 
classifi cation and treatment plan
Recebido em set/2010
Aprovado em out/2010
18 Revista PerioNews 2011;5(1):17-22
Gonzales MKS  de Almeida ALPF
INTRODUÇÃO
As três estruturas que compõem um sorriso (dente, con-
torno gengival e lábio) devem ter uma relação harmônica para 
uma estética aceitável1-2. O sorriso pode ser: baixo, médio e 
alto. O sorriso é alto quando ocorre excessiva exposição de 
gengiva, conhecido como sorriso gengival3-4.