Estudo Dirigido de Ácidos Nucleicos Respondido
3 pág.

Estudo Dirigido de Ácidos Nucleicos Respondido


DisciplinaGenética Médica237 materiais3.678 seguidores
Pré-visualização1 página
Estudo dirigido 6 \u2013 Ácidos Nucléicos [Respondido]
1. Sobre a descoberta da transformação:
- Descreva o experimento de Frederick Griffith (1928) 
R: O experimento de Griffith se resume nas seguintes ações: o pesquisador usou em seu experimento a bactéria S. pneumoniae, que causa pneumonia em humanos e é letal em camundongos. Ele separou dois tipos de bactéria, um tipo altamente virulento e letal, chamada de cultura S e uma não tão virulenta que não era letal, chamada de cultura R. O que Grifith fez foi pegar as bactérias virulentas, ou S, e mata-las por aquecimento e injetar nos camundongos, ao fazer isso, foi observado que os camundongos não morriam. Na segunda etapa, ele injetou a cultura R nos camundongos, e confirmou-se que não era letal, devido a sua baixa virulência. No entanto, o pesquisador realizou uma injeção onde haviam misturado as culturas S e R, e o camundongo morreu. Conclui-se então, que houve o fenômeno da transformação, ou seja, as bactérias mesmo atenuadas da cultura S, que são as mais virulentas, transformaram as da cultura R em bactérias virulentas (cultura S).
- Descreva o experimento realizado pelos pesquisadores Oswald Avery, Colin MacLeod, Maclyn MacCarty (1944)
R: O experimento realizado pelos pesquisadores nada mais foi que a continuidade da pesquisa de Griffith. Eles tentaram descobrir o fator causador da transformação das bactérias não virulentas em bactérias virulentas através de um método onde eram destruídos todos os compostos químicos, um por um, para que assim pudessem descobrir o causador dessa transformação. Primeiramente os pesquisadores achavam que a causadora das transformações eram as capsulas de polissacarídeos que envolviam as bactérias mais virulentas (cultura S), pois esta capsula entava presente nas S e ausentes na R. Todavia, após a retirada da capsula, o processo de transformação continuou ocorrendo da mesma forma. Os pesquisadores foram removendo composto por composto, até perceberem que a transformação parava quando se usava uma enzinca, chamada DNase, que realiza a quebra do DNA da bactéria. Portanto, concluiu-se que o causador das transformações era o DNA da bactéria.
- Descreva o experimentto de Hershey-Chase (1952)
R: O experimento foi realizado a ponto de tentar deixar claro que realmente era o DNA o material genético. Foi usado um vírus chamado de Fago T2, que infecta bactérias. Como sabe-se no DNA há a presença de fósforo (ausente nas proteínas), já nas proteínas há a presença do enxofre (ausente no DNA). Para saber se realmente era o DNA ou as proteínas o material genético, os pesquisadores usaram radioisótopos para marcar o DNA e as proteínas. Portanto, foram injetados os marcadores nos Fagos T2 e colocaram eles para infectar as bactérias. Após os testes, verificou-se que havia nas bactérias o radioisótopo de fosforo (P³²) enquando nos fagos T2 ghost, ou vazios, haviam as marcações de enxofre, concluindo que realmente era o DNA que atuava como material genético.
2. Descreva sobre as regras de Chargaff da composição de bases da molécula de DNA.
R: As regras de Chargaff são as seguintes: (1) A quantidade de nucleotídeos pirimídicos (T+C) é sempre igual a quantidade de nucleotídeos purínicos (A+G). (2) A quantidade de T sempre é igual a quantidade de A, assim como a quantidade de C sempre é igual a quantidade de G. No entando, a quantidade de A+T não é igual a quantidade de C+G.
3. Conceitue nucleotídeos com base em sua constituição molecular (estrutural).
R: Existem quatro nucleotídeos importantes, que são: Adenina, Guanina, Timina e Citosina, que são os nucleotídeos que compõem o DNA. Dentre eles, podemos separa-los em púricos e pirimídicos. A diferença entre eles é que os pirimídicos possuem apenas 1 anel benzeno, enquando os púricos possuem 2 aneis. Cada nucleotídeo é composto por: grupo fosfato, um açúcar (desoxirribose), base nitrogenada, e o anel ou os anéis.
4. Cite exemplos de nucleotídeos.
R: Temos os desoxirribonucleotideos (Adenina e guanina) e os ribonucleotideos (timina, citosina e uracila)
5. O que diferencia um nucleosídeo de um nucleotídeo?
R: A diferença entre eles é basicamente que o nucleotídeo é o nucleosideo com um grupo fosfato ligado covalentemente a ele, em resumo, o nucleotídeo apresenta o grupo fosfato enquanto o nucleosideo não.
6. Quais são as bases nitrogenadas encontradas nos ácidos nucléicos?
R: No DNA temos Adeninda, Timina, Citosina e Guanina. No RNA temos Adenina, Uracila, Citosina e Guanina
7. Qual a relação entre a nomenclatura dos nucleotídeos e sua composição molecular?
R: Os nucleotídeos são nomes genéricos que incluem tanto os prefixos \u201cribo\u201d quanto os \u201cdesoxirribo\u201d. Os ribonucleotideos são simplesmente designados como nucleotídeos e os desoxirribonucleotideos como desoxinucleotideos. Ambas as formas são aceitáveis, mas os nomes mais curtos são mais usados.
8. Faça um comentário sobre as funções desempenhadas por nucleotídeos nos organismos vivos.
R: As funções desempenhadas pelos nucleotídeos são: ter o papel de moeda energética para o organismo na forma de ATP/ADP e a de atuar na composição do material genético (DNA e RNA)
9. Trace um paralelo entre as características estruturais do DNA e do RNA.
R: Os ácidos ribonucleicos e desoxirribonucleicos são polímeros moleculares de nucleotídeos com algumas conformidades. No caso do DNA temos como bases pirimídicas a citosina e a timina, e como bases púricas a adenina e a guanina. Já no caso do RNA temos comos bases pirimídicas uracila e citosina, e como bases púricas a adenina e a guanina. No que se diz respeito ao DNA, pode-se observar que em sua estrutura existe uma dupla fita, enquando que no RNA essa fita é simples.
10. Qual base nitrogenada é encontrada no RNA, mas não no DNA?
R: A base nitrogenada encontrada no RNA que não está presente no DNA é uma base pirimídica chama Uracila.
11. Qual a diferença estrutural da pentose (ribose) presente do DNA quando comparada com a pentose encontrada no RNA.
R: O DNA apresenta um açúcar chamado de ribose, enquando no RNA o açúcar presente é a desoxirribose. A diferença entre elas é que enquando a ribose apresenta um grupo hidroxila ligado ao carbono de numero 2, a desoxirribose não possui esse grupo ligado a ela.
12. Fale sobre os pontos estruturais de importância na formação da dupla hélice da molécula de DNA e tipos de conformações descritos para a molécula.
R: A dupla hélice é uma estrutura tridimensional composta por filamentos paralelos de nucleotídeos que estão ligados entre si através de ligações de hidrogênio (antigamente conhecidas como pontos de hidrogênio). O arcabouço de cada filamento é composto de unidades alternadas de fosfato e desoxirribose que são conectadas por ligações fosfodiester (essa ligação conecta o átomo de carbono numero 5\u2019 de uma desoxirribose a um carbono 3\u2019 de uma desoxorribose adjacente). Quando se fala nas conformações do DNA, existem 3 tipos, o A-DNA, o B-DNA e o Z-DNA. Nas duas primeiras formas, o giro da dupla-helice acontece para a direita, enquando que no Z o giro acontece para a esquerda.
13. Para pensar:
Diante do que foi exposto, você percebe que apenas 4 bases nitrogenadas (A, T, G e C) são responsáveis por toda a informação genética e consequentemente por toda a variabilidade existente entre os organismos, desde os mais simples até os mais complexos? Comente a sua resposta.
R: As 4 bases nitrogenadas citadas acima são as bases que estão presentes na composição e na estrutura do DNA, molécula essencial a vida que é a portadora de toda a informação genética do individuo. Será a partir do DNA que, através de uma serie de processos que envolvem essa molécula, o individuo expressara suas características e se desenvolverá. Portanto, as 4 bases nitrogenadas são de suma importância para a existência e variabilidade do organismo.