18 Anatomia Macroscópica do Diencéfalo
4 pág.

18 Anatomia Macroscópica do Diencéfalo


DisciplinaNeuroanatomia Funcional355 materiais8.510 seguidores
Pré-visualização1 página
Anatomia Macroscópica do Diencéfalo
Estruturas do diencéfalo, localização e relação com o III ventrícuo
Aderência intertalâmica- trave de substancia cinzenta que atravessa a cavidade ventricular (III ventrículo) une os dois tálamos
As paredes laterais do III ventrículo são formadas pelo tálamo e hipotálamo
O assoalho do terceiro ventrículo é formado pelo quiasma óptico, infundíbulo, túber cinério e os corpos mamilares- todos estruturas do hipotálamo
O epitálamo forma a parede posterior do III ventrículo. De cada lado do epitálamo, na parte mais alta da área lateral do ventrículo saem as estrias medulares do tálamo.
Nas estrias talâmicas que vai se inserir a tela corióide, que forma o teto do III ventrículo.
Da tela coróide vão se invaginar na, luz ventricular, os plexos corioides do III ventrículo.
A parede anterior do terceiro ventrículo é formada pela lâmina terminal, que vai unir os dois hemisférios cerebrais. A lãmina terminal fica entre o quiasma óptico e a comissura anterior 
Tálamo
Formado por duas massas volumosas e ovóides de substância cinzenta, unidas entre si pela aderência intertalâmica.
Localizado na parte laterodorsal do diencéfalo
Na sua extremidade mais anterior, possui uma eminência chamada de tubérculo anterior
A extremidade posterior do tálamo é consideravelmente maior que a anterior e nela está presente uma eminência chamada pulvinar do tálamo
O pulvinar se projeta para duas estruturas: o corpo geniculado lateral e o corpo geniculado medial
A face medial do tálamo forma a maior parte das paredes laterais do III ventrículo e a face superior do tálamo, porção mais lateral, vai fazer parte do assoalho dos ventrículos laterais
A face lateral do tálamo vai ser separada do telencéfalo pela cápsula interna
O tálamo está mais relacionado com sensibilidade
Hipotálamo
Está localizado abaixo do tálamo
Possui estruturas que formam o assoalho e parte das paredes do terceiro ventrículo abaixo do sulco hipotalâmico. 
As estruturas do hipotálamo são:
O quiasma óptico- recebe fibras do nervo óptico que se cruzam em parte nesse local e continuam formando os tratos ópticos que vão se dirigir para os corpos geniculados laterais.
Infundíbulo- tem forma de funil e se liga ao túber cinério. Liga o hipotálamo à neurohipófise
Corpos Mamilares
Epitálamo
Limita posteriormente o III ventrículo, acima do sulco hipotalâmico
Seu elemento mais evidente é a glândula pineal, que está sobre o teto do mesencéfalo.
A base da glândula pineal vai se prender anteriormente a dois feixes de fibras transversais:
Comissura Posterior- situa-se no ponto que o aqueduto cerebral se liga ao III ventrículo. É considerada o limite ente mesencéfalo e diencéfalo
Comissura das Habênulas
Subtálamo 
Pequena região de transição entre o tegmento do mesencéfalo e o diencéfalo
A única parte do diencéfalo que não se relaciona com o III ventrículo
Está localizado inferior ao tálamo e lateral ao hipotálamo
Lateralmente ao subtálamo está a cápsula interna
Algumas estruturas do mesencéfalo vão adentrar no subtálamo e por isso ele é considerado uma região de transição
O núcleo rubro, a região reticular e a substância negra são estruturas que estão no mesencéfalo mas chegam também ao subtálamo, formando a chamada zona incerta do subtálamo
O subtálamo possui ligações recíprocas com o globo pálido e faz parte do circuito dos núcleos da base.
O subtálamo é tonicamente inibido pelo globo pálido lateral e estimula o globo pálido medial.
Uma lesão do subtálamo leva a movimentos involuntários como hemibalismo e movimentos coreicos