A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
35 pág.
RADIAÇÃO IONIZANTE E NÃO IONIZANTE

Pré-visualização | Página 1 de 2

RADIAÇÃO IONIZANTE E NÃO – IONIZANTE
 
RADIAÇÃO NÃO IONIZANTE
A radiação é considerada não ionizante quanto não possui energia suficiente para ionizar, ou seja, não possuem energia suficiente para arrancar elétrons dos átomos do meio por onde está se deslocando, mas, mesmo assim tem o poder de quebrar moléculas e ligações químicas.
Radiação não ionizante mais famosa atualmente é o SOL
2
3
Ultravioleta (UV); Visível (V); Laser; Infravermelha (IV);
Microondas; Radiofrequências.
NR15 ATIVIDADES E OPERAÇÕES INSALUBRES 
4
Anexo VII: Radiações não ionizantes:
1. Para os efeitos desta norma, são radiações não ionizantes as micro-ondas, ultravioletas e laser.
2. As operações ou atividades que exponham os trabalhadores às radiações não ionizantes, sem a proteção adequada, serão consideradas insalubres, em decorrência de laudo de inspeção realizada no local de trabalho.
3. As atividades ou operações que exponham os trabalhadores às radiações da luz negra (ultravioleta na faixa - 400- 320 nanômetros) não serão consideradas insalubres.
RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA
O sol emite radiação UV, que pode ser dividida em UVA, UVB e UVC. A atmosfera terrestre bloqueia a passagem da radiação UVC, esse tipo de radiação não chega á superfície terrestre. Já as radiações UVA e UVB conseguem chegar à superfície terrestre.
5
L
PROBLEMAS DECORRENTES DA EXPOSIÇÃO A RADIAÇÃO SOLAR 
7
Queimaduras Solares : A lesão atinge apenas a camada superficial da pele (a epiderme), apresentando vermelhidão local, ardência, inchaço e calor local. Efeito de uma exposição prolongada ao Sol.
Insalubridade : A exposição solar poderia provocar o pagamento de insalubridade não pela radiação não ionizante, mas, sim pelo calor conforme determina a NR 15. 
Protetor solar com proteção contra os raios UVA e UVB. 
Exposição em horário de intensidade. 
Use chapéu para proteção contra os raios solares; 
Camisa de manga longa deve ser usada para evitar que os braços se queimem. 
MEDIDAS PREVENTIVAS
8
MEDIÇÕES ULTRAVIOLETAS
Célula fotoelétrica;
Célula fotocondutiva;
 Célula fotovoltaica;
 Detetor fotoquímico.
9
LIMITES DE SEGURANÇA SEGUNDO ACGIH (1978)
Radiações ultravioletas:
 Para a região do espectro ultravioleta próximo (320 a 400 nm), a irradiação total incidente sobre os olhos ou pele desprotegidos não deve exceder 1 mW/cm2 .
Para a região do espectro da ultravioleta actínico (200-315 nm): 
10
RADIAÇÃO INFRAVERMELHA
11
•Agitação térmica das partículas que constituem os corpos;
Normalmente está presente em fontes locais de emissão de calor;
Temperaturas acima de 5000°C emitem essa radiação.
RADIAÇÃO INFRAVERMELHA
12
Ambientes típicos:
 Operação de fornos metalúrgicos e siderúrgicos; 
 Fabricação e transformação do vidro;
Forja e operações com metais quentes;
Secagem e cozedura de tintas, vernizes e recobrimentos protetores;
Desidratação de material têxtil, papel, couro, alimentos;
Solda elétrica.
PROBLEMAS DECORRENTES
13
Principal efeito térmico que pode causar:
 Queimaduras na pele;
 Cataratas;
 Lesões à retina.
Tipo de radiação eletromagnética de média frequência;
Interage, geralmente, com moléculas polares e íons presentes no meio onde esta radiação passa;
Não causa mudanças na estrutura molecular;					
Utilizadas para instalações de radar, rádio transmissão e processos industriais, como em fornos e secagem de materiais.
MICROONDAS
14
MICROONDAS
Esterilização;
Vulcanização;
Radiodifusão FM;
Ressonância magnética.
Microondas usado para auxiliar a cominuição do minério.
15
PROBLEMAS DECORRENTES
Depende da frequência e potência dos geradores; 
Efeito térmico, quanto menor a frequência, maior o risco para órgãos internos;
Por outro lado, quanto maior a potência e tempo de exposição, maiores são os ricos: experimento com ratos exposto a um comprimento de onda 12 cm e densidade de potência 100 mW/cm2, morreram em 15 minutos;
O efeitos dos campos elétricos e magnéticos podem causar riscos ao longo prazo, por exemplo alterações do sistema nervoso central, do cárdio-vascular e endócrino entre outros. 
16
LIMITES DE SEGURANÇA SEGUNDO ACGIH (1978)
Microondas:
Para exposição a fontes de onda contínua (O.C.) o nível de densidade de potência não deverá exceder 10 mW/cm2 para exposições contínuas, e a duração total da exposição será limitada a 8 horas diárias. 
 Para fontes pulsáteis repetitivas de microondas, a intensidade média do campo ou a intensidade de potência é calculada multiplicando-se o valor do pulso pico pelo ciclo de funcionamento.
Não é permitida a exposição a O.C. ou campos pulsáteis repetitivos com uma densidade média de potência superior a 25 mW/cm2 , ou intensidade equivalente de campo livre superior a 300 V/m ou 0,75 A/m. 
17
18
ESTUDO DE CASO
Artigo:	 	 	
Identificação das condições ambientais de segurança e proposta de melhoria em trabalho de extração e beneficiamento de calcário em Caçapava do Sul
Autor:
Paulo Anversa
Local de estudo:
Caçapava do Sul (RS)
Data de publicação
2005 
Caracterização qualitativa da radiação não ionizante na mineração
A radiação não ionizante ocorre principalmente nas atividades de solda e corte, como também decorrente na exposição ao sol na lavra a céu aberto.
Propostas de melhorias
Para os funcionários de solda e funcionários do setor:
Biombo metálico no local onde é emitida 
a radiação;
EPIs específicos para soldadores e auxiliares.
19
PROPOSTAS DE MELHORIA
Efeitos da radiação UV produzida pela solda:
Efeitos específicos na pele e olhos;
Na pele o efeito é semelhante ao efeito da exposição sol;
Nos olhos o efeito é uma conjuntivite comumente chamada de “golpe de arco”;
Os efeitos da radiação UV são sentidos a longo prazo, o que pode ocasionar numa superexposição do trabalhador.
Os EPIs que devem ser utilizados:
Máscara de solda elétrica com filtro específico;
Avental de raspa de couro;
Mangas de raspa de couro;
Perneiras de raspa de couro;
Jaqueta de couro;
Ainda deve ser feito um programa específico para a segurança da atividade seguindo e atendendo os passos propostos pela NR-6 da Portaria 3214/78.
20
DOCUMENTO DE RISCOS AMBIENTAIS
21
CONSIDERAÇÕE SOBRE O ESTUDO
Demonstrar a forma qualitativa de analisar os riscos de radiações não ionizantes;
Como também mostrar propostas de melhoria;
Fornecer os documentos utilizados para o levantamento dos riscos.
22
Radiação ionizante
23
•“São ondas eletromagnéticas ou partículas que se propagam com alta velocidade e portando energia, eventualmente carga elétrica e magnética, e que, ao interagirem podem produzir variados efeitos sobre a matéria (CNEN, 2009)”.
•As radiações são consideradas ionizantes quando possuem a capacidade de ionizar, ou seja, é um processo ao qual se produzem íons, espécies químicas que são eletricamente carregadas. Sendo a Radiação Ionizante um Risco Físico.
24
•O uso de Radiação Ionizante é comum em hospitais, consultórios odontológicos, e até mesmo em fábricas de alimentos. Sendo o seu malefício, a absorção da radiação no organismo humano.
Efeitos da Radiação Ionizante no Organismo:
•Em pequenas doses a radiação não interfere no organismo humano, em grandes doses pode até matar.
•Ela afeta as células, e pode causar queda de cabelo, e também causar mutações genéticas em óvulos e espermatozoides, causar danos à gestações e também ao aparelho reprodutor e masculino e feminino.
25
•Radiodermite, uma lesão na pele que normalmente se apresenta logo após alguns dias da exposição á excessiva radiação Ionizante. Podendo levar a necrose do local.
26
Radiação alpha 
Tem o maior comprimento de onda em relação às outras;
Apresenta grande poder de ionização nos materiais, por isso, pode provocar sérios danos aos tecidos dos organismos vivos;
Baixo poder de penetração na matéria.
 É muito ionizante, porém pouco penetrante
Rdiação Beta
É uma partícula negativa que possui comprimento de onda intermediário;
A partícula

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.