Semiologia - 1º Bimestre
16 pág.

Semiologia - 1º Bimestre


DisciplinaSemiologia Médica7.364 materiais106.524 seguidores
Pré-visualização7 páginas
da motricidade involuntária e da sensibilidade - hipogeusia ou ageusia, hiperestesia, hipoestesia, anestesia, paralisias, hiperalgesia e parestesia; distúrbios da olfação - hiposmia ou anosmia; distúrbios da audição - hiper ou hipoacusia ou acusia; distúrbios da visão - amaurose, diplopia, ambliopia, hemianopsia; equilíbrio - tontura, vertigem, síncope, lipotímia;estado de consciência - ausência, amnésia, confusão, torpor, agitação psicomotora, sonolência e coma; motricidade involuntária - coréicos, atetósicos, tremores, mioclonias, tiques, espasmos, convulsões clônicas e tônicas, cãibras; distúrbios esfincterianos - bexiga neurogênica, incontinência fecal; distúrbios do sono - insônia, sonilóquio, sonanbulismo, etc.; distúrbios das funções cerebrais superiores \u2013 disfonia, disartria, dislalia, disritmolalia, dislexia, disgrafia, afasia, distúrbios das gnosias, distúrbios das praxias;
Exame Psíquico: consciência, atenção, orientação \u2013 autopsiquíca, tempo e espaço; pensamento, memória, inteligência, sensopercepção, vontade, psicomotricidade, afetividade;
5. ANTECEDENTES MÓRBIDOS PESSOAIS (AMP) 
Estado habitual de saúde; 
Doenças de infância - amigdalites, doenças reumáticas, etc. e/ou da idade adulta e suas complicações (médicas, obstétricas, cirúrgicas, psiquiátricas \u2013 ver adiante);
Infecções, infestações, doenças degenerativas e outras, clinicamente importantes; 
Alergias \u2013 asma, eczemas, urticária, medicamentosas e alimentares, etc.; 
Imunizações \u2013 varíola, hepatite B, tétano, febre amarela, poliomielite, difteria, tuberculose; 
Intervenções cirúrgicas \u2013 tipo, época, transfusões, complicações e resultados;
Traumatismos \u2013 fraturas, TCE, outros; época e conseqüências;
Medicamentos \u2013 corticoesteróides, anticoagulantes, insulina, sulfa, diuréticos, digitálicos, antibióticos, anticoncepcionais, psicotrópicos, hipotensores, hipnóicos, etc.; duração do tratamento, motivo e complicações; 
Doenças venéreas \u2013 gonorréia, sífilis, cancro, condiloma, linfogranuloma, herpes, etc.; 
Problemas obstétricos \u2013 abortos, prematuros, etc.; 
Doenças psíquicas \u2013 aparecimento, evolução e tratamentos. 
6. HISTÓRIA FISIOLÓGICA 
Condições de nascimento e desenvolvimento - parto eutócico, distócico, fórceps, outros acidentes; início da marcha, fala e dentição; aproveitamento escolar; 
Aparecimento da puberdade; 
Menstruação, menarca - freqüência e regularidade do ciclo menstrual; quantidade do fluxo e alterações; 
Época do climatério; 
Atividade sexual - n.º de parceiros, n.º de relações/tempo, frigidez, impotência; 
Gestações - n.º, evolução, complicações; 
Partos - n.º, normais e distócicos; 
Aborto - n.º e tipo \u2013 ovular, embrionário, fetal, espontâneos, provocado, acidentes e complicações. 
7. ANTECEDENTES MÓRBIDOS FAMILIARES (AMF) 
Relatar sobre pais, irmãos, cônjuges, filhos ou outros parentes, ou vizinhos, que tenham problema de importância. 
Estado habitual de saúde, causas de morte, idade ao falecer, doenças hereditárias, familiares e infecto-contagiosas. 
8. HISTÓRIA SOCIAL E HÁBITOS DE VIDA
Situação sócio-econômica \u2013 alta, média alta, média baixa, baixa, pobreza absoluta; 
Estrutura familiar \u2013 equilibrada, brigas freqüentes, desestruturada; 
Grau de sociabilidade - divertimentos e atividades sociais; 
Condições de habitação (moradia) - água encanada, energia elétrica, esgoto sanitário e coleta de lixo; 
Dieta habitual (hábitos de alimentação) - alimentação quantitativa e qualitativamente equilibrada; déficit calórico global; insuficiente consumo protéico; alimentação a base de carboidratos/ com alto teor lipídico/ exclusivamente vegetariana/ láctea exclusiva; etc; 
Hábitos de higiene; 
Sono - n.º de horas por dia; 
Tipo de trabalho - ocupação atual; 
Tabagista - n.º de cigarros por dia; início e quando parou; 
Promiscuidade sexual, homossexualidade e uso de preservativos; 
Etilismo - n.º de doses, tipo de bebida, início e quando parou; 
Uso de drogas tóxicas. 
Edema/ inchaço/ inchume	
INTRODUÇÃO: Edema é o aumento do volume de líquido intersticial, que prvém do sangue, cuja composição varia de acordo com a causa. Pode ser: localizado: quando restrito a uma determinada região do corpo (processos inflamatórios, alérgicos, traumáticos, início do edema na congestão venosa sistêmica, compressões venosas e linfáticas), ou generalizado: quando houver distúrbio no metabolismo hidrossalino (retenção de sódio e água), como ocorre na insuficiência cardíaca, hepatopatia crônica e em algumas doenças renais ou nutricionais.
[Retenção líquida abundante faz com que apareça um estado de edema generalizado, ocorrendo congestão visceral e derrames cavitários, e é denomina anasarca.]
CAUSAS: Insuficiência cardíaca; Erisipela (infecção do tecido localizado abaixo da pele, principalmente das pernas); Insuficiência venosa crônica (varizes ou veias dilatadas), trombose venosa profunda aguda (coágulos nas veias profundas das pernas) e linfedema (doença do sistema linfático); Doenças dos rins; Hipoproteinemia (desnutrição e perda de proteínas pelos rins como ocorre na síndrome nefrótica); Cirrose hepática; Hipotireoidismo; Medicamentos; Alergias.
ASPECTOS FISIOPATOLÓGICOS: a patogênese dos edemas pode ser compreendida a partir do conhecimento dos fatores que regulam o transporte dos líquidos na microcirculação. A diferença das pressões hidrostática e coloidosmótica movimenta líquidos entre os vasos e o interstício. O edema se forma pelos seguintes mecanismos: (1) aumento da pressão hidrostática intravascular, (2) redução da pressão oncótica do plasma, (3) aumento da permeabilidade capilar, (4) aumento da pressão oncótica intersticial, (5) obstrução da drenagem linfática.
APRESENTAÇÃO DO EDEMA:
Edema Generalizado: caracteriza-se pelo aumento de líquido intersticial em muitos (ou todos) os órgãos. 
Redução da pressão oncótica \u2013 desnutrição, lesões gastrintestinais com perda de proteínas, doenças do fígado ou rins podendo levar a hipoproteinemia.
Insuficiência cardíaca \u2013 na ICE, há aumento da pressão capilar pulmonar e congestão passiva, podendo surgir edema pulmonar. Na ICD aparece edema nos membros inferiores, na região sacral e nas cavidades pleural, pericárdica ou peritoneal (ascite).
Edema renal \u2013 ocorre diminuição da excreção de sódio e água, além de perda de albumina na urina (proteinúria). 
outras causas: cirrose hepática
Edema Localizado: provocado por um fator que atua localmente, podendo às vezes ser a manifestação inicial de um edema generalizado.
CARACTERÍSTICAS CLÍNICA: Antes de ser notado, o edema é precedido por um ganho de peso de 3 até 5 Kg. 
O edema cardíaco costuma iniciar nos tornozelos, aparecendo no final da tarde (edema maleolar vespertino). Com a evolução do quadro, torna-se ascendente em direção às pernas, coxas e região genital. Em pacientes acamados pode ser mais pronunciado na região sacral. Costuma ser bilateral (inchar as duas pernas). Pode ainda ocorrer ascite. 
A erisipela é uma infecção bacteriana do tecido localizado imediatamente abaixo da pele (tecido subcutâneo), principalmente das penas e em pacientes com varizes crônicas. O edema da erisipela costuma ser unilateral, sendo acompanhado por calor, vermelhidão local, febre e outros sintomas de uma infecção como mal estar e dores no corpo.
A insuficiência venosa costuma causar edema mais intenso em uma perna (predomínio unilateral), acumulando o líquido ao longo do dia, e melhorando com a elevação das pernas. É comum a presença de: varizes, varicosidades e outros sinais de insuficiência venosa como úlceras varicosas e o escurecimento da pele das pernas. A trombose venosa profunda aguda [formação de um coágulo de sangue nas veias profundas das pernas] costuma acometer mais uma perna e ser acompanhada por calor e vermelhidão local. Pode haver um endurecimento das panturrilhas.
O linfedema costuma causar edema, muitas vezes bilateral, cuja característica principal é ser endurecido, tendo pouca ou nenhuma melhora com a elevação dos membros inferiores . Antecedentes de erisipela de repetição são comuns.