Semiologia - 3º Bimestre
22 pág.

Semiologia - 3º Bimestre


DisciplinaSemiologia Médica7.362 materiais106.478 seguidores
Pré-visualização8 páginas
no olho que não abriu;
Anisocoria;
Estrabismo;
Movimento Extrínseco dos olhos:
R. Oculocefálico: é o reflexo que observa a independência dos olhos com a cabeça; quando ausente tem-se o chamado \u201cOlhos de boneca\u201d, no qual os olhos acompanham o movimento da cabeça. Tem como via eferente o VIII par craniano (vestibulococlear) relacionado com o equilíbrio
Estimulação/Prova calórica do labirinto: quando se estimula, com água gelada, o labirinto do paciente, os olhos desviam para o lado estimulado.
[LESÃO COMPLETA DO III PAR À ESQUERDA: (1) ESTRABISMO À ESQUERDA; (2) PTOSE PALPEBRAL À ESQUERDA E (3) ANISOCORIA COM MIDRÍASE À ESQUERDA].
Anatomia:
Percussão Abdominal
Introdução: Quatro tipos de sons podem ser obtidos pela percussão do abdômen: timpânico, hipertimpânico, submaciço e maciço.
Timpanismo: é o som dado pela presença de conteúdo gasoso no interior do tubo digestivo, é o som que predomina no abdômen normal em praticamente toda a sua extensão. 
Hipertimpanismo: é um timpanismo de timbre mais sonoro, é observado quando o conteúdo aéreo do tubo gastroentérico apresenta-se aumentado, como no meteorismo, na obstrução intestinal, no pneumoperitônio, no volvo e no megacólon chagásico.
Submaciço: obtido pela presença de órgãos maciços na região, ou quando há uma menor quantidade de gases.
Maciço: obtido ao percutir uma área sólida; é o típico som obtido ao percutir a área hepática no hipocôndrio direito.
CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES:
Espaço de Traube: é uma região do tórax que corresponde à bolha gástrica. É um local de timpanismo que pode ser substituído por submacicez ou macicez quando há alguma alteração que invade esse espaço, como por exemplo, esplenomegalia, tumor peritoneal, tumor pancreático, hepatomegalia, cardiomegalia, tumor de pulmão, entre outras; que podem deslocar o estômago; diz-se então que o espaço de Traube está ocupado;
Desaparecimento da Macicez Hepática: pode ser devido à interposição de alças intestinais, meteorismo, tórax enfisematoso e ao pneumoperitônio.
Sinal de Jobert: é um sinal no abdome agudo, quando há desaparecimento da macicez hepática indicando perfuração de víscera oca em peritônio livre, em geral, uma úlcera péptica. Mesmo com o paciente sentado ainda há timpanismo na região.
Chilaidite: é a interposição de alça intestinal entre fígado e parede, conferindo um timpanismo para a região, quando o paciente é colocado em posição sentada, as alças descem e a macicez aparece.
Situs Inversus: inversão da posição do fígado com o estômago, o que confere ao hipocôndrio direito um timpanismo, mas do lado oposto está maciço.
Identificação de tamanho, forma, local e massas: 
Hepatimetria: confirmação da existência hepática e fazendo a percussão nas linhas axilar média, hemiclavicular, e mediana delimita-se o tamanho e a forma do fígado.
Diagnóstico Diferencial para Abdomes Volumosos:
 
 
ALTERAÇÕES DA PERCUSSÃO EM CASOS DE ASCITE:
Introdução: a ascite é o derrame de líquido livre na cavidade abdominal. O abdômen pode se mostrar mais ou menos flácido ou, então tenso, caracterizando a chamada ascite hipertensa. A causa mais frequente é cirrose hepática. 
Sinais:
Piparote: é a sensação de onda na parede abdominal. É feito posicionando a face palmar de uma das mãos em um dos flancos e com a outra mão dispara o dedo em direção ao flanco do lado oposto. O abalo produzido pelo piparote produz pequenas ondas de choque no líquido ascítico, perceptíveis pela palma da mão no flanco. O examinador perceberá duas ondas batendo na palma da mão, uma produzida pela parede, e outra pelo líquido. Em casos de paredes muito flácidas pode-se pressionar a parede abdominal a fim de abolir a onda que é transmitida pela parede, sobrando, apenas, a onda do líquido. Em casos de tumores líquidos, como cisto de ovário, o piparote pode dar positivo. Para ser exato deve-se possuir uma grande quantidade de líquido ascítico.
 Macicez Móvel: como o líquido livre se acumula nas porções mais declives (flanco e hipogástrio), quando o paciente se coloca em um dos decúbitos laterais, para aquele lado a massa líquida se dirigirá. E é confirmado fazendo a percussão da região de decúbito. Por exemplo, se o paciente está em decúbito lateral esquerdo, fazendo a percussão do flanco esquerdo tem-se um nível de macicez, quando virado para o decúbito direito, o nível de macicez se dirige para esse lado, e o lado esquerdo fica timpânico ou submaciço (dependendo da quantidade de líquido presente). Essa técnica também prevê aproximadamente a quantidade de líquido na cavidade.
Decúbito Dorsal: M \u2013 T \u2013 M 	Decúbito Lateral: M \u2013 M \u2013 M 	 Sentado: MH \u2013 T \u2013 T 
 M \u2013 T \u2013 M T \u2013 T \u2013 T T \u2013 M \u2013 T 
 M \u2013 M \u2013 M M \u2013 M \u2013 M M \u2013 M \u2013 M 
Sinal da Poça: é usado principalmente em pequenas ascites, na qual a macicez móvel pode estar confusa. Pede-se ao paciente que deite em decúbito ventral e que se apoie sobre as pernas e braços, sendo assim, a macicez será observada na região umbilical.
[os líquidos ascíticos procuram as regiões mais declives do abdômen, ao contrário dos cistos, pseudocistos ou tumores que são contidos no órgão de origem, não havendo alteração de sua posição].
Ausculta Abdominal
Introdução: é a parte do exame físico do abdome que se descreve os sinais acústicos, percebidos por intermédio do estetoscópio, ouvindo-se os quatro quadrantes e especialmente sua área central. Os ruídos audíveis, dependentes do trato gastrintestinal, são conhecidos como ruídos hidroaéreos. 
Finalidades:
Peristaltismo: os ruídos hidroaéreos são audíveis em condições normais, em localização variável e em momentos imprevisíveis, produzidos pela movimentação normal do conteúdo gastrintestinal. Podem estar aumentados nas diarreias, na presença de sangue na luz das alças, entre outras; ou reduzidas/abolidas (silêncio abdominal), no íleo paralítico, na hipopotassemia, nas peritonites, entre outras; existe ainda a chamada peristalse de luta, na qual se percebe um aumento seguido de redução dos ruídos, e é devido, principalmente, a obstruções. 
Sopros e Batimentos: os ruídos vasculares incluem sopros que podem ser sistólica (arteriais, mais frequentemente aneurisma de aorta ou pelas artérias hepática (cirrose hepática, aneurisma e carcinoma) e esplênica (pacientes com malária, leucemia, cirrose hepática ou tumores esplênicos)) ou contínuos (venosos, o exemplo mais marcante é o audível sobre a circulação colateral, periumbilical, decorrente de hipertensão portal). Batimentos cardíacos audíveis em Fossa Ilíaca Esquerda sugere paciente com ascite ou peritonite.
Gravidez: pela ausculta pode-se avaliar a posição fetal, óbito fetal, gemelaridade, sofrimento fetal (aumento e redução da frequência cardíaca do feto).
Sinal de Lyam: é o equivalente auscultatório do Piparote. Coloca-se o estetoscópio (ao invés da mão) para analisar as ondas produzidas. O som auscultado lembra o desdobramento das bulhas cardíacas.
Exame dos Órgãos Abdominais
EXAME DO FÍGADO_____
Inspeção: procurar abaulamentos, retrações no quadrante superior direito. Suspeitar de fígado quando houver massa com mobilidade respiratória do lado direito. 
Ausculta: é o método propedêutico mais pobre em informações no exame físico do fígado. Feito a manobra da arranhadura, que é a colocação do estetoscópio na região epigástrica, e arranha com uma chave de cima para baixo no abdome, e quando a chave passa por cima do fígado o som é percebido mais facilmente. É usada quando o paciente tem dor para outras manobras.
Percussão: geralmente é usada para hepatimetria que é a medida das dimensões aproximadamente do fígado. Utilizando três linhas de referência: (1) linha axilar média, que não deve ultrapassar 16 cm de comprimento; (2) Linha hemiclavicular, cujas dimensões podem variar de 8 a 12 cm; (3) linha mediana, medindo até 6 cm.
Tatiana
Tatiana fez um comentário
oi, voce consegue me enviar por email? por favor!
0 aprovações
Carregar mais