A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
143 pág.
Graca Abundante ao Principal dos Pecadores   John Bunyan

Pré-visualização | Página 1 de 35

__Jraç
Jlbundante
' ©raça ^
Rbundante
I • / / ( \III* >* K Wv'-OfU í (a*í 7> I L ll lV
l 7 r '__ J
tf w _./ f j
C ra ç a A b u n d an te ao P r in c ip a l d o i P e ca d o re i - 
I Win ftiirohiogrnlin dc Jo h n R unynn
Traduado do original eta inglé» Grace Abounding to 
rh í C h iíf or Sinn<*ra por John Rimvnn
© Evullfclicjl Fle*r
FuLUljJu uii^iiuiiiuenle CUÍ 1ÕÕÕ.
F.*ra wináo foi tradurida a parrir da edição publicada 
em 2000 pvi Evangelical F ie « - R ivndale N utlli 
Induitnal Eftatc, Darlington DL3 OPH England
Copyright*^ CCò Editor» Piel 
^Roolt 1 • F.dicAn m prtrnijfiiA» "’01Í
_ a _
EDITORA FIEL
Cauu Puslal 1C01 
COP; 12230-971 
Sào José dos Campos, SP 
PABX. (12) 3919-9999 
www cditorafiel com br
lijdoi os < b a » J m Íínfua ponjifiwsa ro tn a á o s por t iá ttm 
fiel Ja Vijswci Etanfelica Ltoar^i
Piß BlO A A ÍÍPÍODUÇÃO MSTS Lfl.*IÖ JO*. OUASCJS*.
míos, <ífm /\ rrnurxv) rnrnriA new Formar';, <v\nr> ru 
BKtVkS U lA y U k S , W M IKUICA ^A U J A K JM lk .
Pretidente Jamet Richard Denham 111 
Prcuidcntc emerifo Jamr* Richard Dcnham ]r 
E Jikn : Tidgo J. SauUw Fillio 
Trtduçlo Lavir» M*c*l Lope:
Reviíâor hrandico \X?Uin£top. herreira.
Aíia PäuU Sufébiu Feieu<», J<uue* Ricluid Del Jiaui jt. 
Diagram a ä^o Rub net Duraii 
0 .%’ :^ Kubtiel Du: Xe
ISBN °?&45m : - o ? i s
In t r o d u ç ã o - Jo h n B u n y a n ( 1 6 2 8 1 6 8 8 )
ro R M i c i i a e l H a y k i n ........................................... 7
1 O s PRIMEIROS ANO S..............................................................................17
2 - D e s p e r t a d o o i n t e r e s s e p e l a r e l i c i ã o ...................................23
I - A s p rim e ira s i n q u i e t a ç õ e s d a a l m a ........................................... $1
4 - A t o r m e n t a d o p e l o p e c a d o e p o r Sa t a n á s .............................. 41
5 - I n t e n s i f i c a d o s o s a t a í ^i j f s d k S a i a n á s ......................................... 55
6 - A g r a ç a de D e u s e a f ú r i a de Sa t a n á s ...................................... 67
7 - A AGONIA DO CORAÇÀO E DA MENTE.............................................. 8l
8 - o TRIUNFO DA (ÍRAÇA...................................................................9S
9 A BÊNÇÃO E O DENEríCIO DA ArLIÇÀO...........................................117
10 - U m p r e c a d o r d a Pa l a v r a .........................................................129
II - U m p k i s i o n k i k o p o k a m o r a o f v a n g h h o .................................143
C o n c l u s ã o .................................................................................................. 155
h P I L O C O I S 9
u ■fpqnentemenre me sentia como se estivesse na forca, 
com uma corda ao redor do pescoço.” Era assim que, 
mais tarde, John Bunyan recordava a possibilidade de
sua morte por enforcamento, enquanto permanecia numa fria cela de 
prisão durante os anos 1660. Sua recusa em desistir do chamado de 
Deus, para ser evangelista e pregador, o conduziu ao aprisionamento 
em 16Ó0, com um subsequente encarceramento por doze longos anos, 
durante os quais ele poderia enfrentar uma possivel sentença de morte 
por enforcamento.
Quando John Ncwton (1725-1807), o famoso lider evangélico do 
século seguinte e autor do famoso hino Graça Elenui, refletiu sobre 
este período extremamente difícil na vida de Bunyan, observou- “O 
Senhor tem ra:ões, muito além de nossa compreensão, para abrir uma 
imensa porta, enquanto fecha a boca de um pregador útil. John Bunyan 
não teria realizado a metade do bem que fez, se tivesse continuado a 
pregar em Bedford, em ve: de ficar calado na prisão desta cidade".1 
O que Newton provavelmente tinha em mente eram os dois clássicos 
evangélicos escritos por Bunyan, como resultado de seu aprisionamento, 
de 1660 a 1672 - ou seja, o relato de sua conversão, in titulado Graça 
Abundnnr? ao /Yinri/jal dos Pecadores (1666), do qual este livro é uma 
apresentação moderna, e O P<>m>rino (1678 e 1684) Através dos séculos, 
a visáo contida nesses dois livros tem alimentado crentes e os tem 
encorajado em sua peregrinação cristã Mas como foi exatamente que 
Bunyan veio a ser preso?
Os P R IM E IR O S A N O S DE 1ÍUNYAN
Bunyan nasceu no vilarejo de lilstow, no condado de Bedtord, em 
1628, e cresceu nesse ambiente rural. Foi à escola até à idade de nove ou 
de: anos, e isso toi o suficiente para ele aprender a ler e a escrever. Tirado 
da escola por seus pais, quando ainda eta menino, seguiu a profissão de 
seu pai como “la toe iro”, isto é, consertador de vasilhas e panelas velhas 
Conhido, muito de seu tempo, na* anos de adolescência, foram gastos, 
como clc mesmo admitiu, cm desordem e rebeldia.
Quando tinha dezesseis anos de idade, sua mãe faleceu, e seu pai 
casou-se novamente no mesmo ano lálvez isto tenha antecipado a sua 
decisão de abandonar o lar e tomar parte na Guerra Civil que estava 
transtornando a sociedade britânica. O conllilo entre o rei Charles I e seu 
Parlamento se originara por motivos religiosos e causou destruição desde 
1642 até 1651 Aqueles que se opunham ao rei faziam-no pela causa da 
liberdade religiosa. A vitória do Parlamento, cm 1651, c o subseqüente 
decreto de Olivcr Cromwcll (1599-1658) trouxeram á Inglaterra c ao Pais 
de Gales a maior liberdade religiosa que se conhecia até aquele momento
O quanto Bunyan realmente presenciou na guerra é um assunto 
de debate entre os estudiosos. Nenhuma batalha significativa era travada 
próximo a Kcwport Pagnell, onde clc eslava posicionado. Bunyan nao 
se retere a nenhum conflito militar especifico Mas o realismo das cenas 
de combate em suas alegorias posteriores, como The Hnh War (A Guerra 
Santa - 1682), levou alguns eruditos a pensar que Bunyan viu, dc fato, 
alguma batalha. Bunyan menciona cm Gtíiçíi Abundante ao Punapal dos 
Pecadoies que tinha de ii a um cerco, paia o qual havia sido designado 
como sentinela. Outro soldado perguntou se poderia ir em seu lugar. Não 
sabemos por que, mas Bunyan trocou dc lugar com ele. Naquela mesma 
noile o homem loi baleado na cabeça e morreu. Anos depois, Bunyan 
recordaria esse livramento providencial como uma das misericórdias de 
Deus demonstradas a ele, mesmo quando ainda era inimigo de Cristo.
Dispensado do exército no fim dos anos 1640, retornou ao lar em 
Elstow, paia casar-se, estabelecer-se e continuar seu trabalho como latoeiro
K G k a i , : a A i u i n o a n i i m í P k i n c i i ‘ a i ik>.s F i < : a i h > k i «.
I n i k o i h h ã o J o h n B u n v a n ( 1 6 2 8 1 6 8 8 ) M 9
Bunvan casou-se duas ve:es. Sua primeira esposa, que faleceu em 1658, 
uma moça pobie como ele, trouxe-lhe um simples dote de dois livros sobre 
a piedade puritana, popular naqueles dias: l h e Plain M ans Pathway to 
l l e a t rn (O Caminho de um Homem ao Céu — 1601), de Arthur Dent, 
e The Practice o f Pien (A Prática da Piedade - 1612), de Le\vis Bayly, A 
história nao registrou o nome de sua primeira esposa. Quatro tilhos 
nasceram deste casamento, incluindo uma filha cega, Mary, O dote de 
sua primeira esposa, os dois livros puritanos, talve: tenham encorajado 
Bunvan a tentar ser religioso. Entretanto, durante o inicio dos anos 
1650, ele toi levado a compreender que toda religião no mundo em nada 
contribui para estabelecer paz entre o homem e Deus, se Cristo estiver 
ausente do coração. Bunvan passou por um longo periodo de protundo 
tormento espiritual, o qual, mais tarde, ele registrou em Graça Akmuimilc 
no Pnnciptil dos Pecadoies, escrevendo posteriormente: MEu estava sob grande 
senso de condenação e temia que, em razão de meus pecados, minha alma 
tosse deixada tora da glória eterna".
Por volla de 1653 ou 1654, Bunvan chegou ã