A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
143 pág.
Graca Abundante ao Principal dos Pecadores   John Bunyan

Pré-visualização | Página 9 de 35

descobrir alguém que contiou no Senhor e toi abandonado”. 
Chegando em casa, tentei achar esse versículo na Bíblia, náo duvidando 
de que breve o encontraria, pois era vivo, lorte c reconfortante ao meu 
espiiito, como se talasse comigo. Bem, eu piocurei, mas nao o encontrei na 
Bíblia. Aquelas palavras permaneceram somente em minha mente. Então, 
perguntei separadamente a dois homens piedosos, se eles sabiam onde se 
encontrava semelhante versículo, mas eles náo sabiam. Isto me le: pensar 
em como tais palavras se apoderaram de meu coração e ali permaneceram, 
de modo tão repentino, torre e consolador, e como, apesar disso, ninguém 
as encontrava. Ao mesmo tempo, nunca duvidei de que estivessem nas 
Escrituras Sagradas. Continuei em minha busca por mais de um ano,
1 f > ( 1 k A (,:A A n i J N I l A N I I A O P k I N ( . I I * A I I H ) N P l ( A l H t K I s
mas não encontrei esse texto. Então, por fim, olhando rapidamente os 
livios apócrifos, eu o encontrei em Eclesiástico 2.10. A principio, isso me 
desanimou; todavia, como nesse tempo eu já tinha mais conhecimento 
do amor e da hondade de Deus, o transtorno foi menor. Piquei menos 
perturbado especialmente quando considerei que, embora a referida 
passagem nao estivesse nos livros que classificamos de santos e canônicos, 
ela continha a essência e a substância de muitas das promessas Portanto, 
era o meu dever tirar consolo daquelas palavras. Ijouvo a Deus por esse 
vcrsiculo, o qual contribuiu para o meu bem A sua mensagem ainda brilha 
diante de m im
A c a b o u o d i a d a g r a ç a ?
Depois destas coisas, a segunda dúvida me sobreveio fortemente: e se 
o dia da graça houver acabado pata sempre' E se eu estivei fora do tempo 
da misericórdia? Lembro que um dia eu andava pelo campo e estava ab­
sorto num pensamento: e se o dia da graça houver acabado? Para agravar 
minha inquietação, o tentador trouxe-me à mente aquelas boas pessoas de 
Bedtord, sugerindo-me isto: desde que elas já são convertidas, são o povo 
a quem Deus tencionou salvar nestes lugares. Eu chegara muito tarde, elas 
tinham recebido a graça antes de iiunlia chegada. Agora, eu eslava em gran­
de atliçao, acreditando que essa era realmente a minha situaçao. Assim, 
impaciente, não conseguia parar de andar de um lado para o outro, lamen­
tando minha triste condiçáo, considerando-me pior que milhares de tolos, 
por haver demorado tanto e ler gaslado tantos anos no pecado, como eu o 
tirera Clamava continuamente- Oh1 se ao menos eu tivesse me convertido 
antes; se tivesse me convertido sete anos atrás! Também ficava irado contra 
mim mesmo, ao pensar que nào tinha bom senso e desperdiçava meu tem­
po até que minha alma e o céu estivessem perdidos.
lendo sido atormentado por esse temor durante um longo período, 
eu mal conseguia continuar vivendo; e, passando por uma siniação 
semelhante àquela na qual recebi outro encorajamento, entraram em 
minha mente as seguintes palavras: “Ainda há lugar... obriga a todos a
entrar, para que tique cheia a minha casa” (Lc 14.22-23). Estas palavras 
(em especial a tiase: “Ainda há lugai”) me toiam agiadáveis, pois pensei 
tei entendido por meio delas que havia lugai suticiente paia mim no 
réu. Além disso, considerei que, ao dizê-las, o Senhor Jesus pensou em 
mim. E, sabendo que viria o tempo em que eu estaria atlito, com temor 
de que nao houvesse lugar pata mim em seu coraçao, ele as talou e deixou 
registradas, de modo que eu encontrasse ajuda para lutar contra esta vil 
tentação. Naquele momento, acreditei verdadeiramente nisso. Passei um 
tempo na luz c no encorajamento dessas palavras; e o conlorto se tornava 
ainda maior, quando considerava que, há muito tempo, o Senhor Jesus 
havia pensado em mim e talado essas palavras com um piopõsito, poi 
amor de mim. Acreditei que ele as dissera com o propósito de que eu tosse 
encorajado por elas.
Mas eu nao ticava sem minhas tentações — tentações tanto de 
Satanás como de meu próprio coração e de minhas companhias impias 
Contudo, agradeço a Deus porque as tentações tòram sobrepujadas por 
uma conscientização acerca da morte e do Dia do juizo, que permaneciam 
diante de m im Eu pensava trequentemente emNabucodonosor, a respeito 
de quem tora dito que lhe seriam dados todos os reinos da terra (Dn 
5.18-19). Eu pensava que se este grande homem recebesse todas as suas 
bênçãos neste mundo, uma hora no inlerno o laria esquecê-las todas. Este 
pensamento toi uma excelente ajuda paia mim.
P U SEREI C H A M A D O PO R D E U S ?
Nessa época, tiii capacitado a perceber algo a respeito dos animais 
que Moisés identificou como limpos ou imundos (Dt 14). F.u pensava que 
aqueles animais representavam pessoas, os limpos representavam o povo 
de Deus; os imundos, os lilhos do iinpio. Li que os puros ruminavam; isso 
nos mostra que temos de nos alimentar da Palavra de Deus, eu pensava 
Eles também tinham unhas tendidas. F.u pensava que isso significava 
a necessidade de abandonar os caminhos dos impios, se quiséssemos 
sei salvos. Contudo, ao lei um pouco mais a respeito desses animais,
4 A i o k m i n m i o n i . o r i c A i x » i p o k S a i a n á n ^ i 7
1 . S ( 1 k A (,:A A n i J N I l A N I I A O P k I N ( . I I * A I I H ) N P l ( A l H t K I s
descobri que, mesmo se ruminássemos como a lebre e tivéssemos unhas 
semelhantes ãs dos cães ou tivéssemos unhas tendidas como as dos porcos 
e não ruminássemos como as ovelhas, ainda seriamos imundos. Imaginava 
que a lebre representava aqueles que talam sobre a Palavra mas andam nos 
caminhos do pecado. O porco representaria a pessoa que abandona o seu 
pecado e a corrupção externos, mas nao possui a Palavra da té, sem a qual 
não há salvação, não importando quão piedosa seja uma pessoa Depois, 
lendo a Palavra, descobri que aqueles que serão glorificados com Cristo 
no mundo por vir devem ser chamados por Ele nesta vida — chamados a 
compartilhar de sua Palavra e sua justiça, das consolações e primicias de 
seu Espírito; chamados a um interesse especial por todas as coisas celestes, 
que certamente preparam a alma para o descanso e o lar de glória que 
está no céu.
Mais uma ve: tiquei como que paralisado, sem saber o que ta:et, 
temendo que não tosse chamado. Se eu não tor chamado, pensei, o que 
pode me tá:er algum bem? Ninguém herda o Remo dos Céus, exceto 
aqueles que são chamados. Oh! como eu passei a amar aquelas palavras 
sobre a chamada do crente, tais como as que o Senhor disse a alguém: 
"Segue-me”; e a outro: "Vem após mim”! Eu pensei- Oh! se ele dissesse isso 
para mim também! Quão alegremente eu o seguiria! Não posso expressar 
com que anseios supliquei a Crislo que me chamasse. Continuei assim por 
um tempo, com intenso desejo de set convertido a Jesus Cristo.
Naquele dia, também vi uma glória tão imensa em ser convertido, 
que não pude descansar sem ter parte nesta glória. Ouro! Se ela pudesse 
ser obtida com ouro, o que eu náo leria dado por ela? Se eu possuisse o 
mundo inteiro, teiia dado de: mil ve:es mais por essa glória, para que 
minha alma tosse tra:ida ao estado de conversão. Quão amáveis pareciam 
agora aqueles que eu considerava homens ou mulheres convertidos! Eles 
brilhavam; andavam como pessoas que têm sobre si o inconfundível selo 
do céu Oh’ eu vi que as suas divisas cairam em lugares amenos e que 
possuíam a linda herança (Sl ló.ó).
O que me te: sentir mal foram as palavras de Cristo, registradas no 
evangelho de Marcos: “Subiu ao monte e chamou os que ele mesmo quis,
e vieram para junto dele” (Mc 3.13). Esse versículo me tez desanimar e 
temei, mas também intlamou a minha alma. O que me te: temer toi esta 
consideração: Cristo poderia não gostar de mim, unia ve: que chamava 
somente aqueles que ele mesmo queria. Oh! a glória que vi naquele bendito 
estado envolveu tanto o meu coração, que eu mal podia ler a respeito de 
alguém a quem Cristo