Cont Custos_Lorentz 2012-1_Lorentz
49 pág.

Cont Custos_Lorentz 2012-1_Lorentz


DisciplinaContabilidade e Análise de Custos823 materiais2.543 seguidores
Pré-visualização18 páginas
200 
13 - manutenção das máquinas de fabricação 200 
14 - reparos no prédio do escritório central 300 
15 - limpeza dos prédios: 
a) da fábrica 100 
b) do departamento de vendas 50 
c) do escritório central 50 
16 - aluguel dos prédios: 
a) da fábrica 1.000 
b) do escritório de vendas 500 
c) do escritório central 500 
17 - salários dos vigias da fábrica e respectivos encargos sociais 400 
18 - juros sobre descontos de duplicatas 600 
19 - contas de telefone: 
a) do departamento de vendas 300 
b) do escritório central 200 
20 - material de escritório utilizado no escritório central 400 
Estoques na atividade industrial 
 
O industrial fabrica os produtos que destina à venda, agregando à matéria-prima uma série de insumos. Na 
empresa industrial é necessário controlar os fatores que são aplicados à produção (material direto, mão-de-obra direta e 
gastos gerais de fabricação), para se determinar o valor dos estoques de produtos em elaboração, dos estoques de 
produtos acabados e do custo dos produtos vendidos. 
 
 
 
Contabilidade e Análise de Custos \u2013 2012/1 Francisco Lorentz 
 
lorentz@unisuamdoc.com.br twitter.com/f_lorentz 
5
\ufffd 
De forma simplificada, a apuração do resultado na empresa industrial é feita do seguinte modo: 
Vendas líquidas 20.000,00 
( - ) CPV (14.000,00) 
Lucro bruto 6.000,00 
( - ) Despesas operacionais: 
- de vendas 2.000,00 
- administrativas 1.000,00 
- financeiras 1.200,00 (4.200,00) 
Lucro líquido 1.800,00 
 
O Custo dos Produtos Vendidos (CPV), corresponde às matérias-primas utilizadas, embalagens e outros 
materiais diretos, mão-de-obra direta e gastos gerais de fabricação (ou custos indiretos de fabricação), necessários à 
fabricação dos produtos vendidos. Ou seja, corresponde ao valor dos fatores de produção aplicados aos produtos 
comercializados em determinado período. O CPV representa o custo dos produtos que foram transferidos para os 
clientes, em virtude das vendas. 
 
 
 
Matérias-primas 
 
 
Produtos em 
Elaboração 
 
Produtos 
Acabados 
 
 
 
CPV 
 
Ciclo de negociação das Empresas Industriais 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
- Estoque de Matérias-primas \u2013 são matérias-primas em estoques aguardando para serem utilizadas no processo 
produtivo; 
- Estoque de Produtos em Processo/Elaboração \u2013 são produtos que foram iniciados, mas ainda não estão 
totalmente acabados; 
- Estoque de Produtos Acabados \u2013 são produtos que foram terminados seu ciclo de produção, mas ainda não 
foram vendidos. 
 
Cálculo do Custo dos Produtos Vendidos: Estoque Inicial de Produtos Industriais (em elaboração e acabados) + 
Custo de Produção do Período (Matéria-Prima consumida, Salários dos Operários, Energia Elétrica, Combustíveis e 
demais custos) \u2013 Estoque final de Produtos Industriais (em elaboração e acabados). 
CPV = EIPE + EIPA + CPP \u2013EFPE \u2013 EFPA 
 
TERMINOLOGIA UTILIZADA EM CONTABILIDADE DE CUSTOS 
 
A área de custos possui terminologia própria que, entretanto, muitas vezes é utilizada de forma equivocada. 
 
Gasto - é o valor arcado pela entidade para obter um produto ou serviço, representado por entrega ou promessa 
de entrega de ativos (normalmente dinheiro). Pode ser um investimento, custo ou despesa. Conceito extremamente 
amplo e que se aplica a todos os bens e serviços recebidos/prestados. 
Só existe gasto no ato da passagem para a propriedade da empresa do bem ou serviço, ou seja, no momento em 
que existe o reconhecimento contábil da dívida assumida ou da redução do ativo dado em pagamento. 
 
Desembolso - pagamento resultante de aquisição do bem ou serviço. Caracteriza-se pela entrega de numerário. 
 
ESTOCA 
PRODUTOS 
ACABADOS 
COMPRA 
MATÉRIAS- PRIMAS 
ESTOCA 
MATÉRIAS-PRIMAS 
PRODUZ 
VENDE 
PRODUTOS 
ACABADOS 
Contabilidade e Análise de Custos \u2013 2012/1 Francisco Lorentz 
 
lorentz@unisuamdoc.com.br twitter.com/f_lorentz 
6
\ufffd 
Investimento - gasto ativado em função de sua vida útil ou de benefícios atribuíveis a períodos futuros. Pode se 
transformar em custo, despesa ou perda. Todos os sacrifícios havidos pela aquisição de bens ou serviços (gastos) que 
são "estocados" no Ativo da empresa para baixa ou amortização quando de sua venda, de seu consumo, de seu 
desaparecimento ou de sua desvalorização são especificamente chamados de investimentos. 
Podem ser de diversas naturezas e de períodos de ativação variados: a matéria-prima é um gasto contabilizado 
temporariamente como investimento circulante; a máquina é um gasto que se transforma num investimento permanente; 
as ações adquiridas de outras empresas são gastos classificados como investimentos circulantes ou permanentes, 
dependendo da intenção que levou a sociedade à aquisição. 
 
Custo - gasto relativo ao bem ou serviço utilizado na produção de outros bens ou serviços. Este gasto só é 
reconhecido como custo no momento de utilização dos fatores de produção, para fabricação de um produto ou execução 
de um serviço. 
Exemplos: matéria-prima utilizada na produção, energia elétrica consumida na produção, salários do pessoal da 
produção, manutenção e depreciação das máquinas e equipamentos de produção. 
 
Despesa - Gasto com bens e serviços não utilizados nas atividades produtivas e consumidos com a finalidade de 
obtenção de receitas. 
Exemplos: salários e encargos do pessoal de vendas e administrativo, energia elétrica do escritório, aluguéis e 
seguros do prédio da administração, depreciação dos equipamentos do escritório etc. 
 
Terminologia Contábil - quadro resumo 
 
Perda - é um gasto não intencional decorrente de fatores externos fortuitos ou da atividade normal da empresa. 
No primeiro caso, são considerados da mesma natureza que as DESPESAS são \u201cjogadas\u201d diretamente contra o resultado 
do período. Exemplo: enchentes, desabamentos, obsoletismo de estoques, sinistros etc. No segundo caso, onde se 
enquadram, por exemplo, as perdas normais de matérias-primas na produção industrial, integram o Custo de Produção 
do Período. Exemplo: aparas de chapas de aço. 
 
Onde terminam os custos de produção? 
 
É bastante fácil a visualização de onde começam os custos de produção; mas nem sempre é da mesma maneira 
simples a verificação de onde eles terminam. É relativamente comum a existência de problemas de separação entre 
custos e despesas de venda. A regra é simples, bastando definir-se o momento em que o produto está pronto para a 
venda. Até aí, todos os gastos são custos. A partir desse momento, todos os gastos serão tratados como despesas 
necessárias para a realização da venda. 
 
 
 
 
 
 
Produtos 
Acabados 
CUSTOS DESPESAS 
VENDAS 
Contabilidade e Análise de Custos \u2013 2012/1 Francisco Lorentz 
 
lorentz@unisuamdoc.com.br twitter.com/f_lorentz 
7
\ufffd 
Por exemplo, os gastos com embalagens podem tanto estar numa categoria como noutra, dependendo de sua 
aplicação; quando um produto é colocado para venda tanto a granel quanto em pequenas quantidades, seu custo 
terminou quando do término de sua produção. Como a embalagem só é aplicada após as vendas, deve ser tratada como 
despesa. Isso implica a contabilização do estoque de produtos acabados sem a embalagem e esta é ativada num estoque 
à parte. Se, por outro lado, os produtos já são colocados à venda embalados de forma diferente, então seu custo total 
inclui o de seu acondicionamento, ficando ativados por esse montante. 
 
EXERCÍCIOS 
 
1) Classifique os fatos abaixo em Despesas ou Custos: 
a) propaganda dos produtos fabricados ___________________________________________________