Eletroquímica
14 pág.

Eletroquímica


DisciplinaQuimica Geral Teorica I238 materiais775 seguidores
Pré-visualização3 páginas
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS
FACULDADE DE FÍSICA
DÉBORA DYANE DO AMARAL SILVA
ISABELA DOS SANTOS CARVALHO
STANLEY SANTIAGO COELHO
VITOR LUCAS RODRIGUES DE MEDEIROS
YTALO CÁSSIO GOMES PINHEIRO
WILTOM SEIICHI ITO
ELETROQUÍMICA
BELÉM/PA
2018
DÉBORA DYANE DO AMARAL SILVA
ISABELA DOS SANTOS CARVALHO
STANLEY SANTIAGO COELHO
VITOR LUCAS RODRIGUES DE MEDEIROS
YTALO GOMES PINHEIRO
WILTOM SEIICHI ITO
	
Trabalho de pesquisa apresentado como requisito para obtenção de nota na disciplina Química Geral Teórica I, ministrada pelo Prof. 
Dr.José
 Ribamar 
Bogea
 Lobato.
BELÉM/PA
2018
Sumário
1. Introdução......................................................................................................2
2. Reações de Oxiredução................................................................................2
2.1. Reações e semi-reações de oxirredução.......................................2
 2.1.1. Qual a importância de estudar as reações?.................2
 2.1.2. Como funcionam essas reações?..................................2
3. Potenciais de Redução..................................................................................3
3.1. Calculo para medir o potencial redução e de oxidação em volts representado polo símbolo E°..........................................................................4
4. Potencial Padrão............................................................................................4
5. Células Galvânicas........................................................................................5
6. Corrosão.........................................................................................................7
	6.2. Tipos de corrosão...........................................................................7
 6.2.1. Corrosão Eletroquímica.................................................7
 6.2.2. Corrosão Química...........................................................8
 6.2.3. Corrosão eletrolítica.......................................................8
6.2. Revestimentos.................................................................................8
6.3. Proteção Catódica...........................................................................9
 6.3.1 Proteção por ânodo de sacrifício..................................9
 6.3.2. Proteção catódica com corrente impressa.................9 
7. Conclusão....................................................................................................11
8. Bibliografia...................................................................................................12
1. Introdução
A eletroquímica é uma parte da química que vai trabalhar, basicamente, com a transferência de elétrons. O essencial é sabermos que quando uma substância sofre uma oxidação ela perde elétrons. Então, outra substância irá receber esses elétrons, esta sofrerá uma redução. Vamos começar falando de pilhas eletroquímicas, também chamadas de células ou célula galvânica. Neste caso, temos uma reação química Redox (espontânea), ou seja, de oxiredução que vai gerar corrente elétrica. Então, eletroquímica é a área da química que estuda as reações que envolvem a transferência de elétrons e a interconversão de energia química em energia elétrica. A eletroquímica também estuda as reações que não acontecem espontaneamente, ou seja, as que ocorrem por meio da corrente elétrica, conhecidas como eletrólise.
Energia Química \u2192 Energia Elétrica (células galvânicas \u2013 processo espontâneo)
Energia Elétrica \u2192 Energia Química (eletrólise \u2013 processo não espontâneo)
2. Reações de Oxiredução 
2.1. Reações e semi-reações de oxirredução
2.1.1. Qual a importância de estudar as reações?
O estudo sobre as reações de oxirredução é importante para questões econômicas como o desenvolvimento de novas baterias, é também de interesse biológico como o descarte de pilhas no ambiente.
2.1.2. Como funcionam essas reações? 
O termo oxidação se refere à transferência de elétrons de um reagente para outro. As reações podem ser realizadas de duas formas diferentes, uma com o contato direto entre o oxidante e o redutor e outra com o uso de células eletroquímicas, que é relacionada com a transformação de energia química em elétrica. 
Os processos de reações devem ser simultâneos e possuir dois agentes, o redutor e o oxidante. O agente redutor é aquele que irá oxidar, perder elétrons, ficando cada vez mais positivo e o seu nox irá aumentar. O agente oxidante irá ganhar elétrons, logo seu nox irá diminuir. A reação é formada com a conversão de elétrons, podendo ser subdividida em semi-reações. Ao somá-las obtém-se a equação global.
	Oxidação
	Redução
	Agente redutor
	Agente oxidante
	perder elétrons
	Receber elétrons
	Nox aumenta
	Nox diminui
3. Potenciais de Redução
Segue a baixo a tabela padrão de potencial de redução
Figura 01 \u2013 Tabela de potencial de redução
É a facilidade de um elemento químico conseguir elétrons e se reduzir, sendo que cada elemento tem seu próprio potencial de redução.
Atribuímos um valor arbitrário a um elemento, com o objetivo de conseguir potenciais de eletrodos, para termos ele como referencia. Os demais são medidos verificando-se a diferença de potencial que adquirem quando ligados ao eletrodo de referência. O sentido em que ocorre a reação determina o sinal de reação. Através convenção, os potenciais de eletrodo serão a semirreação de redução. Durante o processo, se ocorrer uma oxidação, o potencial é considerado negativo, e se caso ocorra uma redução o potencial será positivo. O eletrodo mais comum que se toma como referência para tabular os potenciais de eletrodo é o H+, que se denomina eletrodo de referência ou normal de hidrogênio, o qual possui valor igual a 0 Volt.O 
3.1. Cálculo para medir o potencial de redução e de oxidação em volts representado polo símbolo E°
Figura 02 \u2013 Cálculo para medir o potencial de redução
Onde:
deltaE°=variação de potencial
E° = diferença de potencial (padrão)
E°RED = potencial de redução
E°OX = potencial de oxidação
Padrão: 25°C e 1atm
Pode-se utilizar qualquer uma destas fórmulas, dependendo dos dados que são fornecidos.
A diferença de potencial pode ser chamada também de força eletromotriz (fem).
Quanto maior o E°RED mais o metal se irá se reduzir, e quando maior o E°RED, mais o metal se oxida.
4. Potencial Padrão
	Potencial padrão é medida em um eletrodo quando as substâncias eletroativas estão na concentração de um mol, sobre a pressão de 1 atm e temperatura de 25 oC. Como numa pilha as reações serão escritas como sendo de redução, os potenciais padrões serão sempre referentes à redução. Além disso, os potenciais padrões não expressam números absolutos e partem de um referencial, o potencial padrão referente é igual a zero e pertence ao eletrodo padrão de hidrogênio.
	Dessa forma, tendo fixado o potencial padrão do eletrodo de hidrogênio como zero podemos obter outros potenciais padrões usando o eletrodo padrão de hidrogênio como um dos eletrodos de uma pilha, Já que o potencial padrão de uma pilha é dada ao subtrair o potencial padrão do eletrodo da direita pelo da esquerda e como o potencial padrão do eletrodo de hidrogênio é 0 ele mostra o potencial padrão de outras substâncias.
	Um outro método usado para fazer medidas de potenciais padrões de pilhas consiste em medir experimentalmente os valores do potencial de redução para a pilha em diferentes concentrações do eletrólito e a partir da equação eletroquímica de Nersnt obter graficamente o valor do potencial padrão.
5. Células Galvânicas
Figura 03 \u2013 Oxidação do zinco e redução do cobre
	Nas células galvânicas, organiza-se um processo em que há transferência de elétrons. Esses elétrons passam por um fio condutor de forma que possamos obter energia elétrica. Então, basicamente,