lei86666-comentada-130327091928-phpapp02
40 pág.

lei86666-comentada-130327091928-phpapp02


DisciplinaDireito Administrativo I57.361 materiais1.040.107 seguidores
Pré-visualização14 páginas
devendo ser formada, no mínimo, por três 
membros, sendo ao menos dois servidores qualificados da entidade licitante, podendo o 
terceiro ser estranho à Administração. Pode ser permanente, para o julgamento de todas 
as concorrências, ou especial para cada caso. O membro da comissão responde 
solidariamente por todos os atos praticados pela mesma, salvo se fez constar de ata sua 
posição divergente, devidamente fundamentada (art. 51, § 3º). O mandato da comissão 
de licitação é de até um ano, vedada a recondução da totalidade de seus membros para a 
mesma comissão, no período subseqüente (art. 51, § 4º). 
 
Obrigatoriedade: A concorrência é obrigatória para: 
 
a) obras e serviços de engenharia de valor superior a R$ 1.500.000,00; 
b) compras e serviços que não sejam de engenharia, de valor superior a R$ 
650.000,00; 
c) compra e alienação de bens imóveis, qualquer que seja o seu valor, ressalvado o 
disposto no artigo 19, que admite concorrência ou leilão para alienação de bens 
adquiridos em procedimentos judiciais ou mediante dação em pagamento (§3º do 
artigo 23); 
d) concessões de direito real de uso (§3º do artigo 23); 
e) licitações internacionais, com a ressalva para a tomada de preços e para o convite, 
na hipótese do §3º do artigo 23; 
f) alienação de bens móveis de valor superior ao previsto no art. 23, II, b \u2013 R$ 
650.000,00 (art. 17, § 6º); 
g) para o registro de preços (art. 15, § 3º, 1), ressalvada a possibilidade de utilização 
do pregão, conforme artigos 11 e 12 da Lei nº 10.520/2002. 
 
Pode ser realizada nos casos em que couber convite ou tomada de preços. 
 
Concorrência internacional: É aquela em que se permite a participação de firmas 
nacionais e estrangeiras, isoladamente ou em consórcio com empresas nacionais. O seu 
procedimento é o mesmo de qualquer concorrência, apenas com sujeição às diretrizes 
estabelecidas pelos órgãos federais responsáveis pela política monetária e de comércio 
exterior, ou seja, às normas expedidas pelo Banco Central e pelo Ministério da Fazenda. 
Nas concorrências internacionais cujo objeto será pago com recursos provenientes de 
financiamento ou doação de agência oficial de cooperação estrangeira ou organismo 
financeiro multilateral, poderão ser admitidas as condições decorrentes de tratados 
internacionais, afastando-se momentaneamente os preceitos da Lei 8.666/93. 
 
 21
Consórcios de empresas: É a associação de dois ou mais interessados na 
concorrência, de modo que, somando técnica, capital e trabalho, possam executar um 
empreendimento que, isoladamente, não teriam condições de realizar. Não é, portanto, 
uma pessoa jurídica, mas uma simples reunião operativa de firmas, contratualmente 
comprometidas a colaborar no empreendimento, mas mantendo cada qual sua 
www.ResumosConcursos.hpg.com.br 
Resumo: Lei das Licitações Comentada \u2013 por Desconhecido 
personalidade própria, sob a liderança de uma delas. 
 
A firma-líder apenas representa o consórcio no trato com o Poder Público, 
responsabilizando-se pelas demais sob o tríplice aspecto técnico, econômico e 
administrativo, inclusive quanto a multas e eventuais indenizações, exigindo a legislação 
atual (art. 33, V) a responsabilidade solidária das consorciadas. 
 
É vedada a participação da empresa ou profissional, na mesma licitação, em mais de um 
consórcio, ou isoladamente (art. 33, IV). 
 
 
3.2. Tomada de preços 
 
Tomada de preços é a modalidade de licitação realizada entre interessados previamente 
cadastrados ou que preencham os requisitos para cadastramento até o terceiro dia 
anterior à data do recebimento das propostas, observada a necessária qualificação (art. 
22, § 2º). A \u201cqualificação\u201d, aí referida, é a de que trata o artigo 36. 
 
A publicidade deve ser observada na tomada de preços, com obediência às mesmas 
normas já referidas para a concorrência (publicação de edital), porém com a diferença de 
que o artigo 21, § 2º, III exige que a publicação se faça com 15 dias de antecedência 
apenas, salvo para os contratos sob regime de empreitada integral ou para as licitações 
de melhor técnica ou técnica e preço, quando o prazo passa para 30 dias. A contagem do 
prazo observa a norma do § 3º do mesmo dispositivo. 
 
Obrigatoriedade: A tomada de preços é obrigatória nos seguintes casos: 
 
a) obras e serviços de engenharia de valor estimado superior a R$ 150.000,00; 
b) compras e outros serviços de valor superior a R$ 80.000,00. 
 
Pode ser realizada nos casos em que couber convite. Há, ainda, a possibilidade, prevista 
no § 3º, de ser adotada tomada de preços, nas licitações internacionais, desde que o 
órgão ou entidade disponha de cadastro internacional de fornecedores e sejam 
observados os limites do artigo 23, estabelecidos para essa modalidade de licitação. 
 
Registro cadastral: Deve ser mantido pelos órgãos e entidades que realizem freqüentes 
licitações, devendo ser atualizados anualmente (art. 34); é facultada, contudo, a utilização 
de registros cadastrais de outros órgãos ou entidades da Administração Pública (art. 34, § 
2º), o que abrange a Administração Direta e Indireta da União, dos Estados, do Distrito 
Federal e dos Municípios, inclusive as entidades com personalidade de direito privado sob 
controle do poder público e das fundações por ele instituídas ou mantidas (art. 6º, XI). 
 
 22
A pessoa cadastrada recebe um \u201ccertificado de registro cadastral\u201d, com validade de um 
ano, no máximo, e do qual consta a categoria em que se inclui, tendo em vista sua 
especialização, segundo a qualificação técnica e econômica avaliada pelos elementos 
constantes da documentação relacionada nos artigos 30 (qualificação técnica) e 31 
(qualificação econômico-financeira). Para os participantes que apresentem esse 
certificado na tomada de preços, a habilitação é prévia, porque feita no momento da 
inscrição no registro cadastral, perante comissão permanente ou especial de, no mínimo, 
www.ResumosConcursos.hpg.com.br 
Resumo: Lei das Licitações Comentada \u2013 por Desconhecido 
3 (três) membros; no caso de obras, serviços ou aquisição de equipamentos, a comissão 
para julgamento dos pedidos de inscrição em registro cadastral, sua alteração ou 
cancelamento, será integrada por profissionais legalmente habilitados (art. 51, § 2º). 
 
O certificado pode ser aceito em qualquer modalidade de licitação, mesmo na 
concorrência. 
 
Comissão: A direção e o procedimento da tomada de preços até o julgamento das 
propostas são de inteira responsabilidade da comissão de licitação, composta de, no 
mínimo, três membros, conforme exigência do art. 51, tal como ocorre na concorrência. 
 
 
3.3. Convite 
Convite é a modalidade de licitação entre, no mínimo, três interessados do ramo 
pertinente a seu objeto, cadastrados ou não, escolhidos e convidados pela unidade 
administrativa, e da qual podem participar também aqueles que, não sendo convidados, 
estiverem cadastrados na correspondente especialidade e manifestarem seu interesse 
com antecedência de 24 horas da apresentação das propostas (art. 22, § 3º). 
 
Publicidade: É a única modalidade de licitação em que a lei não exige publicação de 
edital, já que a convocação se faz por escrito, com antecedência de 5 dias úteis (art. 21, § 
2º, V), por meio da chamada carta-convite. No entanto, a Lei nº 8.666/93 inovou ao 
permitir que participem da licitação outros interessados, desde que cadastrados e 
manifestem seu interesse com a antecedência de até 24 horas da apresentação das 
propostas. A medida contribui para aumentar o rol de licitantes, mas torna mais complexo 
um procedimento que se caracteriza e se justifica exatamente por sua maior simplicidade, 
decorrente do fato de que essa modalidade de licitação é cabível para os contratos de 
pequeno valor. Para permitir essa participação, o artigo 22, § 3º, exige que a unidade 
administrativa afixe, em lugar apropriado, cópia