questesparafixaodalein8112-140411120235-phpapp01
34 pág.

questesparafixaodalein8112-140411120235-phpapp01


DisciplinaDireito Administrativo I55.981 materiais1.019.131 seguidores
Pré-visualização20 páginas
DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
A leinº. 8.112/90 institui o regime jurídico dos servidores públicos civis da União, dosEstados, DF e Municípios, excluindo os servidores das autarquias em regime especial,que são regidas por legislação especial.
Conforme a Lei n°. 8.112 de 11 de dezembro de 1990, servidor é a pessoa legalmenteinvestida em cargo público.
Servidor público é a pessoa que ocupa cargo público possuindo vínculo estatutário.
Empregado público é a pessoa legalmente investida em cargo público possuindo vínculocontratual com a Administração.
Cargo público é o conjunto de atribuições e responsabilidades cometidas a um servidor. 
Os cargos públicos, criados por decreto, são para provimento em caráter efetivo ou emcomissão.
Os cargos públicos, criados por lei, são acessíveis somente aos brasileiros natos.
Tanto o cargo efetivo quanto o cargo em comissão são de livre nomeação eexoneração.
Os cargos em comissão poderão ser exercidos somente para atividades de direção,chefia e assessoramento.
Os servidores temporários ocupam cargo público, porém não é obrigatória a realizaçãode concurso público.
A Lei n°. 8.112/90 prevê o provimento de cargos públicos para estrangeiros.
Os servidores poderão ser regidos pelo regime estatutário e trabalhista.
Os servidores públicos devem ser regidos por um regime jurídico único.
Provimento, Vacância, Remoção, 
Redistribuição e Substituição
O nível de escolaridade, entre outros, é requisito para a investidura em cargo público.
São requisitos básicos para investidura em cargo público, entre outros, a nacionalidadebrasileira, aptidão física e mental, o gozo dos direitos políticos e a quitação com asobrigações eleitorais.
A nacionalidade brasileira, requisito básico para investidura em cargo público, abrange os natos, naturalizados e portugueses equiparados.
É assegurado aos portadores de deficiência o direito de se inscrever em qualquer concurso público, na qualidade de deficiente físico.
Aos portadores de deficiência serão reservadas 20% das vagas oferecidas no concurso.
As universidades e as instituições de pesquisa científica e tecnológica federais poderão prover seus cargos cora professores, técnicos e cientistas estrangeiros.
A investidura do cargo público ocorrerá com o exercício.
O provimento de todos os cargos públicos far-se-á mediante ato do Presidente da República.
Readaptação não representa forma de provimento, mas sim de vacância.
A Lei n°. 8.112/90 estabelece como formas de provimento, entre outras, a nomeação, promoção, ascensão, aproveitamento e a readaptação.
Nomeação é a forma de provimento originária.
O ato de nomeação far-se-á em caráter efetivo para cargos de confiança vagos.
A nomeação far-se-á em comissão, inclusive na condição de interino, para os cargos de confiança vagos.
O servidor ocupante de cargo em comissão ou de natureza especial poderá ser nomeado para ter exercício, interinamente, em outro cargo de confiança, hipótese em que deverá optar pela remuneração de um deles.
O concurso será de provas ou de provas e títulos, e, sua validade, será de até 2 anos, podendo ser prorrogado uma única vez, por igual período.
O prazo de validade do concurso e as condições de sua realização serão fixados em lei.
De acordo com a Lei n°. 8.112/90, não se abrirá novo concurso enquanto houver candidatoaprovado em concurso anterior com prazo de validade não expirado.
A posse dar-se-á pela assinatura do respectivo termo, no qual deverão constar somente as atribuições inerentes ao cargo ocupado.
O candidato nomeado que não tomar posse será exonerado.
O candidato aprovado dentro do número de vagas tem direito subjetivo a nomeação.
O candidato que tomar posse e não entrar em exercício será demitido.
A investidura do cargo público ocorrerá com a posse.
O servidor terá o prazo de 30 dias, contados da data da posse, para entrar em exercício.
A posse ocorrerá no prazo de 30 dias, contados da data da publicação do ato de provimento.
Segundo a Lei n°. 8.112/90, a posse poderá ocorrer por meio de procuração específica.
Só haverá posse nos casos de provimento de cargo por nomeação, comissão e ascensão.
No ato da posse, é facultado ao servidor apresentar declaração de bens e valores.
No ato da posse, o servidor apresentará declaração quanto ao exercício ou não de outro cargo, emprego ou função pública.
A posse independe de prévia inspeção médica oficial.
Exercício é o efetivo desempenho das funções do cargo.
Em regra, o início do exercício de função de confiança coincidirá com a data do ato de provimento.
O início, a suspensão, a interrupção e o reinicio do exercício serão registrados no assentamento individual do servidor.
No ato da posse, o servidor apresentará ao órgão competente os elementos necessários ao seu assentamento individual.
A promoção interrompe o tempo de exercício.
Um indivíduo aprovado em concurso público deve passar pelas seguintes fases: posse, nomeação e exercício, nesta ordem.
O servidor que for removido, redistribuído, requisitado, cedido ou posto em exercício provisório em outro município terá o prazo máximo de 15 dias, contados da publicação do ato, para a retomada do efetivo desempenho das atribuições do cargo.
A duração máxima do trabalho semanal será de quarenta e quatro horas, observados os limites diários.
O servidor ocupante de cargo em comissão ou função de confiança submete-se a regime de integral dedicação ao serviço.
Em regra, o servidor não aprovado em estágio probatório será exonerado ou, se estável, reconduzido ao cargo anteriormente ocupado.
Estágio probatório é o período em que se avalia a aptidão e a capacidade do servidor para o exercício do cargo.
A produtividade do servidor não seráobjeto de avaliação para o desempenho do cargo.
Durante o estágio probatório, o servidor será avaliado apenas pela assiduidade, pontualidade, responsabilidade e disciplina.
Seis meses antes de concluir o período do estágio probatório, a avaliação de desempenho do servidor será submetida à homologação da autoridade competente.
O servidor reprovado em estágio probatório será demitido se não for estável.
Não é permitido ao servidor em estágio probatório exercer função de direção, chefia ou assessoramento.
O período de estágio probatório ficará suspenso, em todos os casos, quando o servidor for afastado para estudo ou missão no exterior.
Ao servidor em estágio probatório poderá ser concedida licença por motivo de afastamento do cônjuge ou companheiro.
O servidor em estágio probatório poderá ser afastado para exercício de mandato classista.
No estágio probatório, poderá ser concedido ao servidor, afastamento para participar de curso de formação decorrente de aprovação em concurso para outro cargo na Administração Pública Federal.
Conquistará estabilidade no serviço público, o servidor que completar 2 anos de efetivo exercício.
O servidor estável perderá o cargo somente em virtude de sentença judicial, sendo assegurada ampla defesa.
A investidura de servidor em cargo compatível com limitação, mental ou física, sofrida denomina-se readaptação.
A readaptação será efetivada em cargo de atribuições afins, podendo sofrer alterações nos vencimentos; e inexistindo cargo vago, o servidor ficará em disponibilidade.
Aproveitamento é uma das formas de vacância que constitui o retorno do servidor que estava em disponibilidade.
Reversão é o retorno do servidor demitido injustamente.
No interesse da Administração, o servidor poderá ser revertido desde que, entre outros requisitos, tenha solicitado a reversão e estável quando na atividade.
A reversão do servidor aposentado poderá ocorrer desde que o servidor tenha no máximo setenta e cinco anos de idade.
A reversão ocorrerá no mesmo cargo ou no cargo resultante de sua transformação.
Quando declarado por junta médica oficial que os motivos da aposentadoria são insubsistentes, o servidor será revertido. Encontrando-se provido o cargo, o servidor ficará em disponibilidade até a ocorrência de vaga.
Reintegração é uma forma de provimento que consiste