questesparafixaodalein8112-140411120235-phpapp01
34 pág.

questesparafixaodalein8112-140411120235-phpapp01


DisciplinaDireito Administrativo I55.888 materiais1.018.289 seguidores
Pré-visualização20 páginas
na reinvestidura do servidor estável ao cargo anteriormente ocupado, quando invalidada a sua demissão por decisão administrativa ou judicial.
Quando ocorrer a reintegração e o cargo tiver sido extinto, o servidor exercerá suas atribuições como excedente.
A reintegração é a reinvestidura do servidor estável no cargo anteriormente ocupada Encontrando-se provido o cargo, o seu eventual ocupante será revertido ao cargo de origem.
Á recondução ocorrerá quando o servidor estável reprova em estágio probatório relativo a outro cargo.
Oretorno do servidor estável ao cargo de origem denomina-se recondução. Encontrando-se provido o cargo, o servidor será aproveitado em outro cargo.
Aproveitamento é o retorno do servidor que estava em disponibilidade em cargo de atribuições e vencimentos compatíveis com o anteriormente ocupado.
João, servidor estável, retornou ao cargo anteriormente ocupado devido à reintegração de Pedro, ocupante anterior do cargo. Esse fato caracteriza-se como uma forma de provimento denominada remoção.
O aproveitamento será tornado sem efeito e a disponibilidade será cassada, se o servidor não entrar em exercício no prazo legal, salvo doença comprovada por junta médica.
A vacância do cargo público decorrerá, entre outras formas, de demissão, exoneração, transferência e falecimento.
A vacância poderá resultar de posse em outro cargo inacumulável.
É correto afirmar que a vacância de cargo público decorrerá, entre outros, da readaptação do servidor.
A exoneração é forma de vacância de cargo público e tem caráter punitivo.
A redistribuição de servidores constitui forma de vacância.
Redistribuição é o deslocamento do cargo de provimento efetivo, ocupado ou vago no âmbito do quadro geral de pessoal, para outro órgão ou entidade do mesmo Poder.
Segundo a Lei n°. 8.112/90, a vacância de cargo público decorrerá somente de demissão, exoneração, promoção, readaptação, posse em outro cargo inacumulável, aposentadoria e falecimento.
A exoneração dar-se-á somente de ofício.
A exoneração de cargo em comissão dar-se-á apenas ajuízo da autoridade competente.
A dispensa de função de confiança dar-se-á ajuízo da autoridade competente ou a pedido do próprio servidor.
A exoneração de cargo em comissão e a dispensa de função de confiança ocorrerá quando não satisfeitas as condições do estágio probatório.
De acordo com Lei n°. 8.112/90, remoção é o deslocamento de cargo de provimento efetivo no âmbito do mesmo quadro, com ou sem mudança de sede.
Independentemente do interesse da Administração, a remoção poderá ocorrer a pedido do servidor, para outra localidade, para acompanhar cônjuge ou companheiro, também servidor público civil ou militar, que foi deslocado no interesse da Administração.
A remoção ocorrerá de oficio, independente do interesse da Administração, para outra localidade.
Entre as modalidades de remoção, tem-se a remoção a pedido, a critério da Administração.
A redistribuição ocorrerá ex officio para ajustamento de lotação e da força de trabalho às necessidades dos serviços, inclusive nos casos de reorganização, extinção ou criação de órgãos ou entidade.
Os servidores investidos em cargo ou função de direção ou chefia e os ocupantes de cargo de natureza especial terão substitutos indicados em resolução do órgão.
O substituto do servidor investido em função de direção assumirá, automática e cumulativamente, o exercício da função de direção, nos afastamentos legais do titular, devendo optar pela remuneração de um deles durante o respectivo período.
DIREITOS E VANTAGENS
Vencimento é a retribuição pecuniária pelo exercício do cargo público, com valor fixado em decreto executivo.
Remuneração é o vencimento do cargo efetivo, acrescido das vantagens pecuniárias permanentes estabelecidas em lei.
Conforme a Lei n°. 8.112/90, nenhum servidor receberá, a título de vencimento, importância inferior ao salário-mínimo.
O servidor perceberá a remuneração do dia em que faltar ao serviço, sem motivo justificado.
Não poderá ser descontado do servidor, a parcela de remuneração diária, proporcional aos atrasos, ausências justificadas e saídas antecipadas, pois não são prejudiciais ao serviço.
As faltas justificadas decorrentes de caso fortuito ou de força maior poderão ser compensadas a critério da chefia imediata, sendo consideradas como efetivo exercício.
Nunca poderão incidir descontos sobre a remuneração ou proventos do servidor público federal.
Poderá haver consignação em folha de pagamento a favor de terceiros mediante autorização do servidor, independente da concordância da Administração.
As reposições e indenizações ao erário serão previamente comunicadas ao servidor, podendo ser parceladas, a pedido do interessado.
A indenização poderá ser feita em parcelas cujo valor não excederá a 20% da remuneração ou provento.
As reposições e indenizacões ao erário poderão ser parceladas, desde que o valor de cada parcela não seja inferior a 10% da remuneração, provento ou pensão.
Quando constado pagamento indevido no mês anterior ao do processamento da folha, a reposição será feita em 2 parcelas, desde que as parcelas não excedam a 30% da remuneração ou provento.
O servidor em débito com o erário, que for demitido ou exonerado, terá o prazo de noventa dias para quitar o débito.
Conforme previsto na Lei n°. 8.112/90, o servidor que não quitar o débito com o erário,no prazo previsto em lei, terá seu nome inscrito no SERASA.
O servidor em débito com o erário que tiver sua disponibilidade cassada deverá quitar o débito no prazo legal de sessenta dias.
Maria Clara, servidor pública, em razão de decisão liminar, recebeu a quantia de R$ 10.000,00. A referida decisão foi posteriormente cassada. Nesse caso, o valor percebido por Maria Clara não precisa ser restituído, uma vez que a Lei prevê que "a lei não retroagirá, salvo para beneficiar o réu".
O vencimento, a remuneração e o provento não serão objetos de arresto, sequestro ou penhora, exceto nos casos de dívidas com terceiros e pensão alimentícia.
Além do vencimento, poderão ser pagas ao servidor as vantagens de indenização, gratificações e adicionais.
As indenizacões, em hipótese alguma, incorporam-se ao vencimento ou provento.
Assim como a indenização, as gratificações e os adicionais não se incorporam aos vencimentos.
Para efeito de concessão de quaisquer outros acréscimos pecuniários ulteriores, sob o mesmo título ou idêntico fundamento, as vantagens pecuniárias não serão computadas, nem acumuladas.
São espécies de indenização a ajuda de custo, as diárias, o transporte e o auxílio-moradia.
A indenização incluída recentemente na Lei n°. 8.112, de 11 de novembro de 1990, é o auxílio-moradia.
A ajuda de custo destina-se a compensar as despesas de instalação do senador que, no interesse da administração, passar a ter exercício em nova sede, em caráter transitório.
Maria, servidora pública, casada com António, também servidor público, passa a ter exercício em nova sede, com mudança de domicilio em caráter permanente. António também passa a ter exercício em nova sede, sendo a mesma Maria. Nesse caso, ambos os servidores farão jus à ajuda de custo.
A ajuda de custo não abrange as despesas de transporte da família do servidor.
São assegurados ajuda de custo e transporte para a localidade de origem, à família do servidor que falecer na nova sede, dentro do prazo de 2 (dois) anos, a contar do óbito.
Será paga ajuda de custo ao servidor que for deslocado, a pedido, para outra localidade em caráter permanente.
Aajuda de custo não poderá exceder a importância correspondente a três remunerações.
O servidor que se afastar do cargo, ou reassumi-lo, em virtude de mandato eletivo, fará jus à ajuda de custo.
Àquele que for nomeado para cargo em comissão com mudança de domicílio, mesmo que não seja servidor da "União, será concedida a ajuda de custo.
O servidor que passar a ter exercício em nova sede, com mudança de domicílio, em caráter permanente, terá o prazo de quinze dias para se apresentar na nova sede.