Poder Constituinte -
20 pág.

Poder Constituinte -


DisciplinaControle e Constitucionalidade344 materiais1.901 seguidores
Pré-visualização4 páginas
públicos de saúde.
	O descumprimento desse artigo poderá gerar Intervenção Federal com base no artigo 34, inciso VII, alínea \u201ce\u201d.
Art. 212 - A União aplicará, anualmente, nunca menos de dezoito, e os Estados, o Distrito Federal e os Municípios vinte e cinco por cento, no mínimo, da receita resultante de impostos, compreendida a proveniente de transferências, na manutenção e desenvolvimento do ensino.
Durante o período de intervenção federal, como se viu, também não poderá ser objeto de aprovação de Emenda Constitucional.
5.3.1.2.1 - Estado de Defesa e Estado de Sítio
Dentro do tema da Defesa do Estado e das Instituições democráticas, a CF/88 estabeleceu dois grupos:
instrumentos ( medidas excepcionais) para manter ou restabelecer a ordem nos momentos e anormalidades constitucionais., instituindo o sistema constitucional de crises, composto pelo \u201cestado de defesa\u201d e \u201cestado de sítio\u201d (legalidade extraordinária);
defesa do País ou sociedade, através das Forças Armadas e da Segurança Pública. 
5.3 2 \u2013 Poder Constituinte derivado Decorrente \u2013 
5.3.2.1 \u2013 Dos Estados-Membros
É o poder que cada Estado membro tem de elaborar sua própria Constituição. Tal competência decorre da capacidade de \u201cauto-organização\u201d estabelecida pelo poder constituinte originário.
Simboliza a afirmação plena da autonomia política, administrativa e financeira dos Estados membros, que são governados, organizados e regidos por leis e autoridades próprias (art. 25 CF)
No Brasil, o Constituinte Estadual sempre se exprimiu por via de Assembléia Constituinte Estadual. ( art. 11 ADCT)
	Art. 25 - Os Estados organizam-se e regem-se pelas Constituições e leis que adotarem, observados os princípios desta Constituição.
Ato das Disposições Constitucionais Transitórias (ADCT)
Art. 11. Cada Assembléia Legislativa, com poderes constituintes, elaborará a Constituição do Estado, no prazo de um ano, contando da promulgação da Constituição Federal, obedecidos , os princípios desta.
5.3.2.2 \u2013 Limites Constitucionais ao poder Constituinte derivado Decorrente
1.- princípios constitucionais sensíveis ( art. 37, VII ) 
São aqueles que autorizam a intervenção federal nos Estados membros e no Distrito Federal.
Os princípios sensíveis enumerados no art. 34, VII, constituem o fulcro da organização constitucional do país, de tal sorte que os estados federados, ao se organizarem, estão circunscritos à adoção:
Da forma republicana do governo \ufffd
Do sistema representativo e do regime democrático;
Dos direitos da pessoa humana;
Da autonomia municipal;
Da prestação de contas da administração pública, direta e indireta.
São princípios que dizem respeito basicamente à organização dos poderes governamentais dos Estados. O princípio da prestação de contas atrai a observância dos princípios referentes ao sistema de controle externo e de controle interno a serem induzidos dos preceitos dos arts. 70 a 75 e, por conseguinte, a observância dos princípios orçamentários. O princípio da autonomia municipal impõe ao Poder Constituinte Estadual limites no tocante à organização dos Municípios \ufffd
A inclusão de normas na constituição Estadual em desrespeito a esses princípios poderá provocar a representação do Procurador Geral da República, visando à declaração de inconstitucionalidade, e decretação de intervenção federal, caso não tenha eficácia a simples suspensão da execução do ato impugnado, tudo nos termos e na forma estatuída no art. 36,III § 3º. Da CF/88.
Cada Estado Federado tem o poder de elaborar sua própria Constituição;
O Estado Poderá inovar;
As inovações introduzidas nas Constituições Estaduais não podem desrespeitar a Constituição Federal.
2.- Princípios constitucionais estabelecidos (organizatórios) são aqueles que limitam ou proíbem a ação indiscriminada do poder constituinte decorrente \u2013 encontram-se dispersos na Constituição Federal e dividem-se:
a) \u2013 limites vedatórios explícitos ( vedam a pratica de medidas contrárias ao fixado pelo Poder Constituinte originário \u2013 ec. Art. 19, 35, 150, 152);
b) \u2013 limites mandatórios explícitos ( restrições à liberdade de organização) \u2013 ex. art. 18 § 4º., 29, 31 § 1º., 37 ao 42, 92 a 96, 98,99, 125 §2º., 127 ao 130, 132, 134, 135, 144, IV e V, §§ 4º. Ao 7º.)
c) limites inerentes ( vedam implícita ou tacitamente a invasão de competência por parte dos Estados membros)
d) limites decorrentes (decorrem de disposições expressas ex .necessária observância dos princípios, federativo e republicano, do Estado democrático de Direito, da legalidade, igualdade, da dignidade da pessoa humana, combate às desigualdades regionais, das diretrizes ligadas à ordem econômica, financeira e social)
d) limites constitucionais extensíveis: integram a estrutura federativa brasileira, associando-se com a forma de investidura em cargos eletivos (art.77) processo de elaboração legislativa (art. 59e seguintes) orçamentos (art. 165 e seg,) e as normas relacionadas à Administração Pública (art. 37 e seg.),				
5.3.2.3 - Poder Constituinte derivado Decorrente \u2013 Municípios, Distrito Federal e Territórios Federais.
Os municípios possuem liberdade para elaboração de suas Leis Orgânicas, que seria a Constituição Municipal, uma vez que o conteúdo das Leis Orgânicas seria o mesmo conteúdo das Constituições.
Dessa forma, a capacidade de auto organização municipal está delimitada no art 29 da Constituição Federal, sendo que seu exercício caberá à Câmara Municipal.:
	Art. 29 - O Município reger-se-á por lei orgânica, votada em dois turnos, com o interstício mínimo de dez dias, e aprovada por dois terços dos membros da Câmara Municipal, que a promulgará, atendidos os princípios estabelecidos nesta Constituição, na Constituição do respectivo Estado e os seguintes preceitos:
O poder constituinte decorrente, conferido aos Estados membros da Federação, não foram estendidos aos Municípios, conforme entendimento jurisprudencial emanado do TJSP.
Por outro lado, também percebe-se que o Poder Constituinte Originário não elevou a Câmara Municipal como poder constituinte, como se nota da interpretação do art. 11 \u2013 parágrafo único do ADCT.
Assim, o poder constituinte decorrente, conferido aos Estados \u2013membros e ao Distrito Federal, não se faz na órbita dos Municípios. Por essa razão, ato local questionado em face da lei orgânica municipal enseja controle de legalidade, e não de constitucionalidade\u201d.
O Distrito Federal, 
O Distrito Federal, de acordo com o art. 32, caput, da CF/88, será regido por lei orgânica, votada em dois turnos com interstício mínimo de 10 dias e aprovada por 2/3 da Câmara Legislativa, que a promulgará. Tal lei orgânica deverá obedecer aos princípios estabelecidos na Constituição Federal.
Dessa forma, muito embora a posição particular ocupada pelo DF na Federação, já que a sua autonomia é parcialmente tutelada pela União (arts. 21, XIII e XIV, e 22, XVII), além de acumular competências legislativas reservadas tanto aos Estados como aos Municípios (art. 32, § 1.º), a vinculação da lei orgânica será diretamente com a CF.
Nesse sentido, o Min. Carlos Britto afirmou que, \u201cconquanto submetido a regime constitucional diferenciado, o Distrito Federal está bem mais próximo da estruturação dos Estados-membros do que da arquitetura constitucional dos Municípios\u201d (ADI 3.756, j. 21.06.2007, DJ de 19.10.2007).
Assim, na medida em que a derivação é direta em relação à Constituição Federal, parece razoável afirmarmos, que, no âmbito do DF, verifica -se a manifestação do poder constituinte derivado decorrente, qual seja, a competência que o DF tem para elaborar a sua lei orgânica (verdadeira Constituição distrital) sujeitando -se aos mesmos limites já apontados para os Estados -membros e, assim, aplicando -se, por analogia, o art. 11 do ADCT.
Por esse motivo, é perfeitamente possível o controle concentrado no âmbito do TJ (Justiça do Distrito Federal e dos Territórios), tendo como paradigma a
Ana Cristina
Ana Cristina fez um comentário
valeu mesmo. ajudou muito!
1 aprovações
Yara
Yara fez um comentário
Muito bom material, irá me ajudar muito na prova da próxima semana! Grata ;)
2 aprovações
Amanda
Amanda fez um comentário
Alguem tem direito administrativo descomplicado?
1 aprovações
Carregar mais