TRABALHO AV2 GN
9 pág.

TRABALHO AV2 GN


DisciplinaGás Natural184 materiais892 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Os terminais para desembarque do gás situam-se junto aos centros de consumo, em locais de águas profundas e abrigadas. Seus principais elementos são os tanques de estocagem e os re-gaseificadores, além dos equipamentos complementares.
Caminhão tanque
O transporte terrestre pode ser efetuado através de caminhões-tanque ou vagões-tanque com capacidade da ordem de 35 m3 de GNL. Os tanques são fabricados com aço e isolamento térmico especial para manter o gás natural na fase líquida e, por este motivo, os custos são muito elevados.
Novidades GNL
A Petrobras contratou o afretamento de dois navios destinados ao transporte e à armazenagem de Gás Natural Liquefeito (GNL) no mês de setembro. Os navios Excelsior e Excalibur têm cada um, 138 mil m³ de capacidade, totalizando 276 mil m³ de gás natural liquefeito, o que corresponde a 165,6 milhões de m³ de gás natural após a regaseificação, volume suficiente, por exemplo, para atender o consumo industrial, comercial, residencial e veicular do Estado do Ceará por um ano.
Os navios pertencem à empresa norte-americana Excelerate Energy L.P., especializada em transporte marítimo de GNL e infraestrutura de regaseificação. O contrato tem como objetivo dar maior flexibilidade e confiabilidade à comercialização de GNL, diversificando o fornecimento de gás natural e, consequentemente, aumentando a segurança energética do país.
Essa contratação se alinha com a estratégia da Petrobras de ser um player global no mercado internacional de GNL. A Companhia entrou nesse mercado em 2009 com dois terminais de regaseificação, um no Porto de Pecém, no município de São Gonçalo do Amarante, no Ceará, e outro na Baía de Guanabara (RJ). Atualmente, está em construção o Terminal de Regaseificação da Bahia, localizado na Baía de Todos os Santos, em Salvador.