RESUMO GERAL PV I
32 pág.

RESUMO GERAL PV I


DisciplinaPráticas Veterinárias I178 materiais2.720 seguidores
Pré-visualização6 páginas
flanco, mexer na água com o focinho, 
morder/ escoicear o flanco, rolar, sentar, gemer, sudorese intensa e, conforme a 
fase da enfermidade, hiperexcitabilidade ou depressão. 
Classificação do grau de dor 
Leve Sem alterações circulatórias, Manifestações discretas. 
Moderada Alterações respiratórias, Cavar, deitar, rolar Sudorese intensa. 
Grave Alterações circulatórias Rolar, se jogar. 
 
 A síndrome cólica pode ser não estrangulativa, quando a irrigação é 
comprometida pela distensão intraluminal, decorrente principalmente do acúmulo de 
líquido e gás, e pode ser estrangulativa, quando pode acometer a circulação venosa, 
arteriais ou ambas, causando alterações na mucosa, no TPC, na frequência 
cardíaca e respiratória. 
 
 
 
Primeiros Socorros: 
\u2212 Sonda Nasogástrica: pode servir para a descompressão gástrica e diminuir 
a dor, como meio auxiliar de diagnóstico e via de tratamento. Para a 
passagem da sonda nasogástrica deve-se conter o animal adequadamente 
de acordo com o temperamento do cavalo e o grau de dor. Após a contenção, 
a sonda deve ser lubrificada (lidocaína gel, nitrofurazona) e marcada 
externamente na altura da glote (algumas sondas já vêm com uma marca aos 
40cm, média de tamanho da cabeça de adultos, e outras vêm marcadas a 
cada l0cm). Deve-se introduzir a sonda medialmente e ventralmente na 
narina, com o objetivo de se evitar a falsa narina, que fica dorsal e 
lateralmente. A introdução deve ser delicada, com a curvatura da sonda 
acompanhando a curvatura da cabeça. Ao aproximar-se da marca da glote, 
deve-assoprar a sonda com a intenção de se promover a deglutição e, 
simultaneamente, introduzir a sonda. Pode-se também esperar pela 
deglutição espontânea do animal e introduzir a sonda, mas isso pode demorar 
um pouco mais. 
 A passagem da sonda, com lavagem gástrica e administração de 
 analgésico, será eficaz no tratamento de 80 a 90% dos cavalos com síndrome 
 cólica, indicando a importância desse procedimento. 
\u2212 Tricotomia: É necessário fazer a tricotomia na região da calha da jugular, 
pois o animal vai precisar utilizar um cateter, para administração de fluido. 
\u2212 Hidratação: Por meio da avaliação de alguns parâmetros clínicos, como 
turgor da pele (pregueamento), umidade e viscosidade da mucosa bucal e 
retração do globo ocular , pode-se estimar o estado de hidratação do animal. 
\u2212 Parâmetros vitais: É necessário avaliar todos os parâmetros, temperatura 
retal, frequência respiratória, frequência cardíaca, mucosas e tempo de 
preenchimento capilar. 
\u2212 Paracentese abdominal: É a avaliação físico-química e citológica do líquido 
peritoneal, é um método auxiliar importante no diagnóstico das doenças 
abdominais nos equinos, utilizada na diferenciação de peritonites sépticas e 
assépticas. 
\u2212 Palpação Retal: A palpação retal é um exame de fundamental importância, 
em alguns casos, é o procedimento que vai dar o diagnóstico definitivo ou 
uma forte suspeita se aquele paciente tem ou não indicação cirúrgica. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2. RUMINANTES 
 Os ruminantes são uma subordem de mamíferos artiodátilos, que inclui os 
veados, girafas, bovídeos e por vezes incluídos até mesmo os camelos, 
caracterizados pela presença de um estômago complexo, com três ou quatro 
câmaras, adaptado à ruminação. 
 Os órgãos envolvidos neste processo digestivo realizam a digestão mecânica, 
proporcionando a fragmentação dos alimentos ingeridos, inicialmente por meio da 
mastigação efetivada na cavidade bucal, em seguida o alimento é conduzido até o 
rúmen por intermédio do esôfago, após o processamento do alimento no rúmen, o 
bolo alimentar formado é transportado até o próximo compartimento denominado por 
retículo, o qual se comunica com outra cavidade, o omaso e deste em direção ao 
abomaso. 
 
A. Nomenclatura Zootécnica 
 
MACHO FÊMEA CRIA INTERMEDIÁRIO 
TOURO VACA BEZERRO NOVILHO (A) 
BÚFALO BÚFALA BEZERRO NOVILHO (A) 
CARNEIRO OVELHA CORDEIRO BORREGO (A) 
BODE CABRA CABRITO BORREGO (A) 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
B. Métodos de Contenção 
 A contenção de bovinos é extremamente necessária e utilizada regularmente 
em todos os locais onde se trabalhe com esses animais. Tanto os técnicos, 
fazendeiros, peões, médicos veterinários ou qualquer um que necessite que os 
animais fiquem total ou parcialmente contidos ou imobilizados, terão que adotar 
procedimentos de contenção. 
 Erros na contenção podem acarretar: 
\u2022 CABEÇADAS: O BOVINO BALANÇA A CABEÇADA E A UTILIZA PARA BATER 
(CUIDADO COM OS CHIFRES) 
\u2022 COICES: O BOVINO NORMALMENTE ESCOICEIA PARA FRENTE E PARA O 
LADO. 
\u2022 PISADAS: O BOVINO GERALMENTE CORRE PARA PASSAR POR CIMA DE 
INDIVÍDUOS QUE BLOQUEIAM SUA ROTA DE FUGA 
 
O GRAU DE CONTENÇÃO NECESSÁRIO REFLETE: 
\u2022 A ESPÉCIE 
\u2022 A RAÇA 
\u2022 O USO 
\u2022 A FAMILIARIDADE DO ANIMAL COM O MANEJO 
\u2022 O GRAU DE INVASIVIDADE 
\u2022 A DURAÇÃO PREVISTA DO PROCEDIMENTO 
 
POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: 
\u2022 TRAUMATISMOS (FERIDAS) 
\u2022 PARALISIAS 
\u2022 DISTÚRBIOS METABÓLICOS 
\u2022 HIPERTERMIA 
\u2022 ESTRESSE EMOCIONAL 
 
INSTALAÇÕES: 
\u2022 BRETE 
\u2022 TRONCO 
\u2022 TRONCO TOMBADOR 
\u2022 GAIOLAS DE PALPAÇÃO 
\u2022 SERINGA 
\u2022 SWEEP TUB 
 
 
MANUAIS: 
\u2022 ENCABRESTAMENTO 
\u2022 ELEVAÇÃO DE CAUDA 
\u2022 DERRUBAMENTOS 
 
EQUIPAMENTOS: 
\u2022 IMOBILIZAÇÃO ELETROMAGNÉTICA 
\u2022 FORMIGAS 
\u2022 ARGOLAS NASAIS 
 
\u2212 Tronco de Contenção: É um equipamento especialmente projetado e 
construído para a contenção ou imobilização completa de um bovino, de 
maneira que se possa realizar no mesmo qualquer procedimento, com total 
segurança para o operador e para o próprio animal. Alguns dos 
procedimentos executados em Troncos de Contenção incluem castração, 
inseminação artificial, marcação, transferência de embriões, palpação, 
casqueamento, colocação de brincos de identificação, medida de perímetro 
escrotal, vacinações, coleta de sangue, aplicação de injeções etc. 
\u2212 Peia: é utilizada nos trabalhos de ordenha, tomada de temperatura e combate 
a carrapatos. 
\u2212 Formiga: Principal método utilizado para condução e contenção de cabeça, 
introduz-se o instrumento no nariz do animal, e pressiona-se o septo nasal, 
exercendo uma pressão considerável. Normalmente utilizado em animais não 
cooperativos. 
\u2212 Derrubamento lateral (caprinos): Segura-se a base da orelha e a 
mandíbula, voltando a cabeça do animal em direção ao tórax. 
\u2212 Sentado (Ovinos): 
 
C. Métodos de derrubamento 
 É um método de contenção utilizado quando há necessidade de 
procedimentos com o animal deitado. Normalmente utiliza-se a contenção química 
antes de derrubar o animal, o animal é derrubado com cordas e deve-se sempre 
deixá-lo em decúbito lateral direito. 
\u2212 Método Italiano: pode ser aplicado tanto em fêmeas como em machos e 
animais descornados, pois não constringirá mama ou pênis. 
 
 
 
\u2212 Método de Rueff: este método é mais empregado em fêmeas com chifres, 
pois em machos é traumático na região do pênis e do prepúcio. 
 
 
 
\u2212 Método de Almeida Barros: sua execução é simples, pois necessita apenas 
de uma corda com argola e pode ser executado tanto em machos como em 
fêmeas, dispensando a peia. 
 
 
 
D. Exame clínico: Histórico, Anamnese e Exame Físico. 
 - Exame clínico: 
 
\u2022 IDENTIFICAÇÃO: É O REGISTRO DAS CARACTERÍSTICAS DE ESPÉCIE, 
RAÇA, FAIXA ETÁRIA, SEXO, USO, PROCEDÊNCIA, E QUALQUER 
OUTRO FATOR DO INDIVÍDUO QUE POSSA SER RELEVANTE AO CASO. 
\u2022 ANAMNESE: É O LEVANTAMENTO DO HISTÓRICO DO CASO E DE 
OUTRAS INFORMAÇÕES ATRAVÉS DE INFORMAÇÕES FORNECIDAS 
PELO PROPRIETÁRIO OU TRATADOR. 
 
\u2022 HISTÓRICO: É O LEVANTAMENTO DOS ANTECEDENTES MÉDICOS DO 
PACIENTE INDEPENDENTEMENTE DE SUA RELAÇÃO COM O CASO 
CORRENTE.