FARMACOLOGIA 09 - Fármacos que agem no SNC e SNP - MED RESUMOS (DEZ-2011)
22 pág.

FARMACOLOGIA 09 - Fármacos que agem no SNC e SNP - MED RESUMOS (DEZ-2011)


DisciplinaFarmacologia Médica Básica24 materiais563 seguidores
Pré-visualização12 páginas
baixa (PAM < 60 mmHg). A dopamina € til no choque em trŽs n‡veis:
o Dose alta (10 a 20 microgramas/kg/min): tem efeito pressor, sustentando a press‰o arterial nos casos de choque grave 
e descompensado.  alfa-agonista. 
o Dose intermediˆria (5 a 10 microgramas/kg/min): a droga tem efeitos inotr‚picos semelhantes  dobutamina. Aumenta o 
d€bito card‡aco no choque cardiogŽnico ou s€ptico leve a moderado.  beta e alfa-agonista. 
o Dose alta (2 a 5 microgramas/kg/min): melhora a perfus‰o renal e a diurese (efeito dopamin€rgico, com vasodilataƒ‰o 
espl†ncnica e aumento do fluxo renal em 50%). Entretanto, na prˆtica, a funƒ‰o renal sofre pouca melhora com a 
utilizaƒ‰o de dopamina nesta dose. 
Arlindo Ugulino Netto \u2013 FARMACOLOGIA \u2013 MEDICINA P3 \u2013 2008.2
17
\uf0b7 Dobutamina: tem aƒ‰o apenas sobre receptores \u3b21, aumentando o d€bito com discreta aumento da frequŽncia 
card‡aca e um grande efeito inotr‚pico. N‰o interfere na vascularizaƒ‰o renal. Pode desenvolver toler†ncia com 
o uso prolongado.
Na prˆtica cl‡nica, € indicada quando a disfunƒ‰o miocˆrdica € a causa primˆria do choque (o chamado choque 
cardiogênico). Tamb€m € usada em estados de baixo d€bito card‡aco, como miocardite, miocardiopatia e infarto 
do miocˆrdio. Caso a PA esteja adequado, pode ser combinada com vasodilatador para reduzir a p‚s-carga. 
OBS9: Em indiv‡duos com insuficiŽncia renal por choque hipovolŽmico (insuficiência pré-renal), n‰o € indicado o uso de 
adrenalina. Indica-se, nesses casos, al€m da reposiƒ‰o volŽmica, o uso de dopamina (esta n‰o € vasopressora e realiza 
uma vasodilataƒ‰o em n‡vel renal por estimulaƒ‰o de receptores dopamin€rgicos, melhorando a perfus‰o renal), uma 
vez que a adrenalina exerce uma vasoconstriƒ‰o muito exagerada, prejudicando na irrigaƒ‰o renal. A dobutamina € 
indicada para casos de reanimaƒ‰o card‡aca, pois s‚ age em receptores \u3b21.
OBS10: Na hierarquia do uso de drogas para o choque, temos: adrenalina (com uso mais complexo e generalizado 
devido a sua interaƒ‰o com seus receptores) > noradrenalina (aƒ‰o de taquicardia e vasopress‰o) > dopamina (embora 
aja em receptores \u3b1 e \u3b2 dos vasos, n‰o apresenta uma vasopress‰o renal por interagir em receptores dopamin€rgicos 
desses vasos) > dobutamina (aƒ‰o apenas no aumento da forƒa de contraƒ‰o card‡aca).
\uf0b7 Fenilefrina: € um agonista \u3b11 e \u3b12, utilizado para aumento da press‰o arterial para hipotensos e 
congestionamento nasal (por meio da vasoconstriƒ‰o). Pode elevar a press‰o arterial perif€rica por poder agir 
nesses receptores \u3b11. Na cl‡nica, pode ser utilizada como agente midriˆtico, descongestionante nasal e agente 
cardiot…nico.
\uf0b7 Isoproterenol: € um agonista \u3b2 inespec‡fico (n‰o tem preferŽncia espec‡fica por \u3b21 ou \u3b22). Era bastante 
utilizado, como agonista \u3b22, para tratar a hipersensilidade br…nquica realizando broncodilataƒ‰o. Por€m, ao 
mesmo tempo, realiza taquicardia estimulando receptores \u3b21 card‡acos. Por este motivo, entrou em desuso, 
sendo substitu‡do por drogas agonistas \u3b22 espec‡ficas. Apresenta efeitos adversos similares aos da adrenalina.
\uf0b7 Salbutamol (Aerocort‘; Aerojet‘; Asmaliv‘): € um agonista \u3b22 espec‡fico, sendo ele um dos substitutos do 
Isoproterenol para tratamento da crise asmˆtica, por realizar broncodilataƒ‰o sem taquicardia. Por€m, esta 
seletividade € relativa  quantidade administrada dessa droga: grandes concentraƒ„es em indiv‡duos 
hipersens‡veis, pode haver estimulaƒ‰o \u3b21. O Salbutamol e a Ritodrina funcionam ainda como relaxantes 
uterinos, muito utilizado nos casos de parto prematuro para se adiar em cerca de 48h este parto (tempo 
necessˆrio para se administrar cortic‚ides na m‰e e assim, a produƒ‰o de surfactantes pelos pulm„es do bebŽ).
\uf0b7 Fenoterol (Berotec‘; Duovent‘): € um agonista do receptor beta-2 adren€rgico de aƒ‰o curta a prolongada, e 
deve ser o simpatomim€tico de escolha para tratamento da asma em associaƒ‰o ao cortic‚ide inalat‚rio, sendo 
comumente utilizado na forma de bombinha com espaƒador ou nebulizaƒ‰o (10 gotas dilu‡das em 3 a 5 ml de 
soro fisiol‚gico para adulto). Geralmente, tamb€m € associado ao Brometo de Ipratr‚pio (anti-colin€rgico), 20 
gotas.
O Fenoterol €, portanto, um fˆrmaco utilizado pela medicina como antiasmˆtico devido ao seu efeito 
broncodilator, em associaƒ‰o a cortic‚ides e Brometo de Ipratr‚pio, principalmente para crise asmˆtica e para 
tratamento prolongado da asma leve a moderada.
\uf0b7 Formoterol (Alenia‘; Foradil‘): trata-se de um agonista \u3b22-adren€rgico de aƒ‰o prolongada, agindo na 
musculatura lisa br…nquica, e produzindo broncodilataƒ‰o. O efeito broncodilatador € manifestado rapidamente 
(1 a 3 minutos) ap‚s a inalaƒ‰o do fˆrmaco. A duraƒ‰o m€dia do efeito de uma nica dose € de 12 horas. Ap‚s a 
inalaƒ‰o, o Formoterol € absorvido rapidamente, e cerca de 50% do fˆrmaco liga-se a prote‡nas plasmˆticas. O 
metabolismo € realizado principalmente no f‡gado e a eliminaƒ‰o € feita por via renal; apenas cerca de 6 a 10% 
do fˆrmaco s‰o eliminados sem metabolizaƒ‰o.
Indicaƒ„es: asma br…nquica; Doenƒa pulmonar obstrutiva cr…nica; Bronquites: espasm‚dica, asmˆtica, al€rgica.
Reaƒ„es adversas: as mais frequentes s‰o cefal€ia, palpitaƒ„es, tremores, agitaƒ‰o. cansaƒo, distrbios do 
sono, taquicardia e c‰ibras musculares. Mais ocasionalmente registraram-se exantema, urticˆria e 
broncoespasmo.
Precauƒ„es: administrar com cuidado a pacientes com tirotoxicose, cardiopatia isquŽmica; insuficiŽncia card‡aca 
severa. Do mesmo modo, devem aumentar-se os controles de glicemia nos pacientes diab€ticos que se 
encontrem sob tratamento com formoterol. Deve-se realizar cuidadoso controle dos n‡veis s€ricos de potˆssio, 
pois pode causar hipocalemia severa.
Contra-indicaƒ„es: Hipersensibilidade ao fˆrmaco; Arritmias card‡acas severas; InsuficiŽncia card‡aca grave.
Arlindo Ugulino Netto \u2013 FARMACOLOGIA \u2013 MEDICINA P3 \u2013 2008.2
18
AGONISTAS SIMPÁTICOS DE AÇÃO INDIRETA
\uf0b7 Anfetaminas: s‰o estimulantes centrais e perif€ricos que exercem uma liberaƒ‰o 
de catecolaminas pr€-armazenadas, funcionando, assim como subst†ncias 
simpatomim€ticas de aƒ‰o indireta (pois n‰o agem diretamente sobre o receptor, 
mas provocam a mesma resposta simpˆtica, por liberarem catecolaminas na fenda 
sinˆptica). Comercialmente, s‰o utilizadas nas f‚rmulas dos \u201cArrebites\u201d, 
responsˆveis por aumentar o estado de vig‡lia (muito embora desencadeiem \u201cefeito 
rebote\u201d, causando sono de forma abrupta).
\uf0b7 Metilfenidato (Ritalina‘): € uma subst†ncia qu‡mica utilizada como fˆrmaco, estimulante leve do sistema 
nervoso central com mecanismo de aƒ‰o ainda n‰o bem elucidado, estruturalmente relacionado com as 
anfetaminas.  usada para tratamento medicamentoso dos casos de transtorno do d€ficit de atenƒ‰o e 
hiperatividade (TDAH), narcolepsia e hipersonia idiopˆtica do sistema nervoso central (SNC).  utilizada por 
muitos estudantes de maneira indiscriminada para potencializar a capacidade de assimilaƒ‰o e diminuir a 
necessidade de sono.  um potente inibidor da recaptaƒ‰o da dopamina e da noradrenalina. Bloqueia a captura 
das catecolaminas pelas terminaƒ„es das c€lulas nervosas pr€-ganglionares; impede que sejam removidas do 
espaƒo sinˆptico. 
AGONISTAS SIMPÁTICOS DE AÇÃO MISTA
\uf0b7 Efedrina (Marax‘; Revenil‘; Rinisone‘): tem aƒ‰o em alfa e beta receptores e na 
liberaƒ‰o da noradrenalina armazenada em terminais nervosos. Tem uma aƒ‰o, 
portanto, simpatomim€tica, promovendo taquicardia, vasoconstricƒ‰o (atuando em 
receptores \u3b1) e/ou vasodilataƒ‰o (atuando em receptores \u3b2), retenƒ‰o do contedo 
gˆstrico, retenƒ‰o da urina, etc.
A efedrina € uma amina simpatomˆtica similar aos derivados sint€ticos da 
anfetamina, muito utilizada em medicamentos para emagrecer, pois ao acelerar o 
metabolismo, ela promove maior mobilizaƒ‰o gordura; por€m, causa uma forte 
dependŽncia (taquifilaxia: rˆpida diminuiƒ‰o do seu efeito em doses consecutivas), 
o que fez a droga ser proibida para estes fins.
OBS11: