FARMACOLOGIA 08 - Anti-hipertensivos - MED RESUMOS (SET-2011)
13 pág.

FARMACOLOGIA 08 - Anti-hipertensivos - MED RESUMOS (SET-2011)


DisciplinaFarmacologia Médica Básica24 materiais563 seguidores
Pré-visualização6 páginas
liso (ciclase 
de guanilil), converte GTP em GMPc capaz de ativar uma 
PKG que fosforila os canais de pot‰ssio (liberando sua 
sada da c‚lula, que se tornar‰ hiperpolarizada) e 
ativando protenas carreadoras de c‰lcio do REL, as 
quais passam a armazenar concentra„†es de Ca2+
citoplasm‰tico para dentro de seu l‡men. Estes eventos 
culminam em um relaxamento vascular, diminuindo, 
assim, as consequ…ncias da hipertens€o arterial de forma 
r‰pida e eficaz.
Arlindo Ugulino Netto \u2013 FARMACOLOGIA \u2013 MEDICINA P4 \u2013 2009.1
3
Ex: Nitrato de amila; Trinitrato de gliceril; Mononitrato de isossorbida (IsordilŽ). Este ‚ administrado de 
forma sublingual para alvio dos fenŠmenos vasculares de resultam em infarto do mioc‰rdio. A via escolhida ‚ a 
sublingual porque, al‚m de ser uma absor„€o r‰pida e eficaz, ela ‚ drenada quase que diretamente para a veia 
cava superior, agilizando seu efeito sist…mico.
BLOQUEADORES DOS CANAIS DE CˆLCIO
Os f‰rmacos bloqueadores dos canais de Ca2+ mais usado s€o:
\uf0b7 Fenilalquilamina: Verapamil;
\uf0b7 Diidropiridinas: Nifedipina (AdalatŽ), Anlodipina;
\uf0b7 Benzotiazepinas Diltiazem.
Tais canais de C‰lcio s€o dotados de cinco unidades: \u3b11 (por onde passam os ons c‰lcio), \u3b12, \u3b2, \u3b3 e \u3b4. Todos os 
bloqueadores dos canais de Ca2+ ligam-se nas subunidades \u3b11 do canal de modo alost‚rico.
’ necess‰rio frisar ainda que os Ca2+ podem se apresentar nos seguintes tipos:
\uf0fc Canal de Ca2+ volt-dependente tipo L: ‚ sensvel ‹ Nifedipina e est€o presentes principalmente no m‡sculo liso 
vascular. Ao sofrerem a„€o da Nifedipina, ocorre alvio da hipertens€o arterial e da angina pectoris. Diz-se, 
portanto, que a Nifedipina ‚ vaso-seletiva, e sua prescri„€o para casos de taquicardia n€o seria uma conduta 
adequada.
\uf0fc Canal de Ca2+ volt-dependente tipo T: ‚ sensvel ao Verapamil e est‰ presente nos miƒcitos cardacos e no 
tecido nodal. A a„€o do verapamil ‚ justificada por aliviar arritmias do tipo taquicardia interagindo com este tipo 
de canal de Ca2+. Diz-se, portanto, que o Verapamil ‚ uma droga cardiosseletiva.
ANTAGONISTAS DOS RECEPTORES \u3b1-ADREN‰RGICOS
Com vimos, a musculatura dos vasos 
apresenta apenas inerva„€o simp‰tica. No caso dos 
vasos, os receptores que apresentam afinidade pela 
noradrenalina s€o os \u3b11. Estes, uma vez ativados, 
d€o incio a uma cascata de eventos intrnsecos que 
t…m como resultado a contra„€o do vaso: ao interagir 
com a noradrenalina, o receptor \u3b11 ativa uma 
protena Gq/11 acoplada a ele que, ao converter GDP 
em GTP, ativa uma protena fosfolipase (PLC-\u3b2)
capaz de clivar fosfolipdeo de membrana (PIP2) em 
inositol trifosfato (regi€o polar do fosfolipdeo) e 
diacilglicerol (regi€o apolar). O IP3, capaz de se ligar 
a um receptor especfico no retculo endoplasm‰tico 
e promover a libera„€o de c‰lcio do retculo, fator 
importante para a contra„€o muscular. O DAG ‚ 
respons‰vel por ativar uma PKC que fosforila demais 
enzimas tamb‚m indispens‰veis para a contra„€o. ’ 
por meio da dilata„€o vascular que esta classe de 
anti-hipertensivos promove a redu„€o da press€o 
arterial.
Ex: principal exemplo desta classe ‚ o Prazosin (HexapressŽ).
\u3b2-BLOQUEADORES
Os receptores \u3b21-adren‚rgicos est€o presentes nos miƒcitos 
cardacos acoplados ‹ uma protena GS. Quando esses receptores s€o 
ativados, desencadeiam uma via de transdu„€o de sinal intracelular que tem 
como consequ…ncia um aumento do c‰lcio intracelular, culminando em um 
cronotropismo positivo. O receptor \u3b2, quando ativado, induz a protena GS a 
uma mudan„a conformacional capaz de ativar a via da adenilil ciclase, 
protena de membrana que converte ATP em AMPc, respons‰vel por ativar 
uma PKA respons‰vel por todos os eventos necess‰rios ‹ contra„€o 
muscular. Estes eventos culminam em taquicardia e aumento da press€o 
arterial (os receptores \u3b22 presentes nos vasos do tecido muscular pouco 
refletem na press€o aterial).
Os bloqueadores dos receptores \u3b21 atuam inibindo a influ…ncia do 
d‚bito cardaco na press€o arterial.
Arlindo Ugulino Netto \u2013 FARMACOLOGIA \u2013 MEDICINA P4 \u2013 2009.1
4
Ex: Propranolol, Atenolol, etc. Diferentemente do Atenolol, que ‚ \u3b21-especfico, o Propranolol ‚ inespecfico, 
podendo causar broncoconstric„€o como efeito indesejado ao ativar os receptores \u3b22 da musculatura brŠnquica. 
O propanolol ‚, portanto, contra-indicado para pacientes que sofrem de asma e que apresentaram taquicardia, 
por exemplo. Para eles, ‚ mais indicado seria a prescri„€o de Atenolol.
SIMPATOLÍTICOS DE AÇÃO CENTRAL
Os simpatolticos de a„€o central agem em nvel neuronoral para diminuir os efeitos do sistema nervoso 
simp‰tico na hipertens€o arterial. Agem diminuindo a libera„€o do neurotransmissor (NA) ou formando falso 
neurotransmissor (\u3b1-metilnoradrenalina);
A fenda sin‰ptica (seja ela em nvel central ou ganglionar perif‚rica) ‚ repleta de protenas que servem como 
stios especficos de a„€o farmacodinˆmica. Vejamos agora um exemplo de como se d‰ a sntese do neurotransmissor 
noradrenalina (NA) em nvel neuronal e a sua intera„€o com alguns f‰rmacos. Como sabemos, a NA ‚ oriunda da 
transforma„€o do amino‰cido tirosina (a tirosina ‚ formada, ainda em nvel sanguneo, a partir da fenilalanina, por meio 
da enzima fenilalanina hidroxilase \u2013 F.H.). Essa tirosina ‚ captada por meio de receptores de membrana especfico de 
fibras noradren‚rgicas para dentro da fibra pr‚-sinaptica. Nesse momento, ela ‚ convertida em DOPA, por meio da a„€o 
da tirosina hidroxilase (T.H.). Esta ‚ a etapa limitante da velocidade da produ„€o de NA, ou seja, a enzima tirosina 
hidroxilase ‚ estimulada ou inibida pela concetra„€o do produto final. A DOPA (que ainda n€o funciona como 
neurotransmissor, mas ‚ precursor da melanina) ‚ descarboxilada pela DOPA-descarboxilase (D.D.), convertendo-se em 
dopamina (‚ nesta rea„€o que a metildopa interfere). Esta, por a„€o da dopamina \u3b2-hidroxilase (D.H.), ‚ convertida em 
noradrenalina, a qual ‚ inicialmente armazenada e, mediante estmulo nervoso, ‚ lan„ada na fenda sin‰ptica por meio 
de exorcitose (em um processo totalmente dependente de Ca2+) para interagir com receptores adren‚rgicos pƒs-
sinapticos (para realizar o seu efeito biolƒgico) bem como com receptores pr‚-sinapticos (para realizar um 
contrabalan„o, estimulando ou inibindo a sua sntese, sendo eles: \u3b12 ou \u3b22).
Em todo o processo previamente descrito, h‰ sitios de a„€o de drogas que podem interferir negativa ou 
positivamente. Entretanto, ‚ necess‰rio conhecer a interfer…ncia dos principais simpatolticos de a„€o central.
Ex: Clonidina (CatapresŽ) e metildopa (AldometŽ).
\uf0b7 Clonidina: H‰ uma s‚rie de mecanismos que controlam os nveis de NA da fenda sinaptica: (1) a catecol o-
metiltransferase (COMT) degrada a NA na fenda, diminuindo a sua concentra„€o e, portanto, a sua a„€o efetora; 
(2) take 1: recapta„€o neuronal da NA; (3) take 2: recapta„€o tecidual da NA; (4) modula„€o enzim‰tica por meio 
dos receptores \u3b12 e \u3b22 da fibra pr‚-sinaptica; entre outros mecanismos. ’ de extrema importˆncia, portanto, a 
modula„€o da NA por meio dos receptores adren‚rgicos do subtipo 2 na fibra 
pr‚-sinaptica: altas concentra„†es de NA estimulam a express€o do receptor 
\u3b12, que realiza um controle negativo sobre a produ„€o de NA; j‰ o NA em 
baixas concentra„†es tem maior afinidade por \u3b22, que estimula 
positivamente a produ„€o de NA. A clonidina, anti-hipertensivo simpatoltico 
de a„€o central, ‚ um agonista \u3b12, baixando a press€o arterial: ela estimula 
os receptores \u3b12 pr‚-sinapticos, os quais modulam negativamente a 
libera„€o de NA na fenda sin‰ptica e, consequentemente, inibindo a a„€o da 
NA nos receptores que aumentariam a press€o arterial (vasoconstric„€o, 
taquicardia, etc). Uma vez ativados, os receptores \u3b12-adren‚rgicos pr‚-
sin‰pticos inibem a protena de membrana adenilato ciclase, que se 
estivesse ativada, converteria ATP em AMPc e abriria canais para ons Ca2+ 
respons‰veis